SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

LEI DA IMPUNIDADE - DOIS LATROCÍNIOS EM 72 HORAS


VIOLÊNCIA NA SERRA. Dois latrocínios em 72 horas - GUILHERME A. Z. PULITA | CAXIAS DO SUL. ZERO HORA 12/12/2011

Empresário trabalhava em galpão quando foi baleado no peito por supostos assaltantes em Caxias

Ainda sob o trauma da execução de uma empresária que carregava o pagamento dos funcionários, na quarta-feira, Caxias do Sul contabilizou novo latrocínio no fim de semana. O também empresário Roberto Baltazar Boff, de 32 anos, foi assassinado enquanto trabalhava no galpão de sua empresa no bairro Bela Vista.

Pouco depois das 16h de sábado, três homens armados, segundo testemunhas, invadiram a Strong Machines, na Rua Bortolo Zani. Boff estava sozinho na empresa de equipamentos de movimentação de cargas e teria deixado o portão aberto.

Ninguém sabe se o empresário reagiu ou se foi executado. Os matadores deixaram o pavilhão levando a carteira e a caminhonete de Boff. Um funcionário da Strong encontrou o patrão morto com um tiro no peito. Ele havia conversado por telefone com Boff 10 minutos antes. Sidnei Borges da Silva disse que o empresário afirmou estar se preparando para fechar o prédio.

– Cheguei e vi meu companheiro executado – lembrou Silva.

A BM localizou a caminhonete a três quilômetros do local do assalto. Moradores contaram aos PMs que viram um homem desembarcando da caminhonete e embarcando em um Tempra preto. No carro, estariam outros dois homens.

Operação na região central prejudica bairros

Às vésperas das festas de fim de ano, o município de 435 mil habitantes sofre o efeito “cobertor curto” na segurança. Em dezembro os policiais realizam a Operação Papai Noel, um reforço no policiamento para coibir roubos no comércio e a pedestres na época em que há mais circulação de dinheiro. Mas, diferentemente de anos anteriores, a cidade não recebeu mais policiais militares de outros municípios. O reforço é feito com redistribuição de PMs e aumento de horas-extras. Desta forma, bairros afastados do Centro, como o Bela Vista, ficam desassistidos de policiamento ostensivo.

O mesmo ocorre com o bairro Santa Catarina – onde, na quarta-feira, a empresária Rosmeri Fátima Giazzon, de 45 anos, foi arrastada de seu carro e morta à queima-roupa por ladrões. Eles visavam um malote com R$ 15 mil recém sacados por Rosmeri. Os assaltantes fugiram em um Bora roubado, encontrado pela polícia no dia seguinte sujo com o pó do extintor de incêndio. Segundo a polícia, é uma estratégia para dificultar a identificação de impressões digitais. A polícia prendeu na quinta-feira Rodrigo Crizel da Silva, 31 anos, que admitiu ter participado do roubo do Bora, em Farroupilha, no dia 30 de novembro.

Os dois latrocínios entram na lista de pendências dos cinco únicos investigadores da Polícia Civil no maior município do interior do Estado.

Um comentário:

Ell LLE disse...

POr que o título é "lei da impunidade"?