SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

TIROTEIO NO CENTRO DE PORTO ALEGRE DEIXA TRÊS FERIDOS

Tiroteio na Capital deixa três feridos. Após a confusão, o caso foi registrado na DPPA, no Palácio da Polícia - CORREIO DO POVO, 01/12/2011


Uma confusão entre frequentadores de casas noturnas no Centro de Porto Alegre terminou com o saldo de três feridos e dois presos ao amanhecer de ontem, depois que moradores reclamaram de brigas e discussões no entorno das boates. Por volta das 5h30min, policiais do 9 BPM foram acionados para atender uma ocorrência de disparos na rua Riachuelo, próximo à avenida Borges de Medeiros. Ao chegarem ao local, encontraram baleados e feridos um tenente da reserva da BM, seu sobrinho e o amigo deste. O trio estava em um Fiat Palio, onde um tiro estilhaçou o vidro lateral e atingiu o lado interno da porta do passageiro.

Uma busca na área resultou na detenção de um suspeito. As vítimas foram encaminhadas ao HPS, onde havia um homem procurando atendimento médico com ferimento no braço. O tenente apontou ambos como envolvidos. Os dois acusados têm cabelos pintados e usavam camiseta vermelha. O advogado Guilherme Maués, defensor do primeiro suspeito, acha que coincidências possam ter confundido o reconhecimento pela vítima.

O caso foi encaminhado à DPPA, no Palácio da Polícia. No local, os amigos do primeiro suspeito alegavam que a confusão começou após o militar da reserva ter se irritado com o fato do acusado ter urinado na roda do Palio. O bate-boca e o empurra-empurra teriam então acabado em tiros. Já a vítima havia declarado que foi alvo de um assalto e teve a arma roubada por três homens e uma mulher.

O tenente Guido Bernardi, do 9 BPM, admitiu que a história estava confusa. Porém, as imagens das câmeras de vídeo da área mostrariam supostamente o primeiro suspeito atirando contra o tenente e no carro antes de passar a arma para uma mulher. O que ocorreu antes é uma incógnita: se houve um assalto ou a arma foi roubada após uma discussão por motivo fútil. "A investigação da Polícia Civil é que vai esclarecer isso", observou Bernardi.

Nenhum comentário: