SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

CRIMES GRAVES ASSOLAM O CENTRO DO PODER

Crimes considerados graves são os que mais crescem na cidade. Levantamento da Polícia Civil aponta que a quantidade de homicídio, sequestro relâmpago e latrocínio cresceu nos últimos dois anos. Apesar de ainda em teste, programa pioneiro no Brasil deve agilizar a troca de informações sobre ocorrências fechadas e em andamento. Thalita Lins e Roberta Machado - Colaborou Antonio Temoteo, CORREIO BRAZILIENSE, 30/11/2011 08:17

Dados da Polícia Civil do Distrito Federal revelam que, entre os crimes que mais cresceram nos primeiros 11 meses do ano, em comparação ao mesmo período de 2010, estão três considerados graves. A quantidade de latrocínios (roubos com morte) subiu de 39 para 52 — um aumento de 33,3% —, enquanto o de homicídios, de 611 para 674 (10,3%). O total de roubo com restrição a liberdade da vítima (sequestro relâmpago) saltou de 520 para 615 casos. Também está em ascensão o tráfico de drogas envolvendo crianças e adolescentes (veja arte).

O diretor-geral da Polícia Civil, Onofre Moraes, afirmou que, diante das estatísticas, apertará o cerco contra os bandidos. “Os crimes, principalmente os fenômenos, como o sequestro relâmpago, e os mais violentos não são mais preocupação apenas das delegacias das áreas, mas da instituição. Nós vamos unir todas as forças para combatê-los”, garantiu. A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informou, por meio da assessoria de imprensa, que não teve acesso ao levantamento e, por isso, não se pronunciou.

O levantamento comprova o cenário de insegurança na capital federal. Aponta que o sequestro relâmpago apavora a população. Em 2011, 97 pessoas acabaram rendidas por criminosos apenas no Plano Piloto, sendo que 37 casos se concentraram na Asa Norte. Os índices apontam que dois ataques ocorreram na Universidade de Brasília (UnB) e outros dois, na comercial da 409 Norte. Mas há casos em vários pontos da área central. Uma aposentada de 69 anos, por exemplo, foi sequestrada às 19h, na 106 Norte, depois de estacionar o veículo embaixo de um dos blocos. Foi rendida por dois bandidos, um deles armado. Foi deixada na BR-040. O crime aconteceu em 24 de outubro.

Já o Paranoá detém o maior número de registros relativos a homicídios. Houve 114 nos dois últimos anos. O ranking é seguido por Santa Maria, onde 96 pessoas foram assassinadas no período. Logo abaixo está o P Norte, em Ceilândia, local de 87 homicídios. Assim como o sequestro relâmpago, as mortes são registradas com maior frequência a partir das 18h e antes da meia-noite, aos sábados e domingos. “Isso ocorre muito aos finais de semana, porque temos poucos policiais nas ruas, não posso omitir. Não podemos mais continuar somente com um trabalho de segunda a sexta. Vamos ter polícia também aos sábados e domingos”, revelou Onofre de Moraes.

A quantidade de latrocínios também é preocupante. Na noite da última segunda-feira, um escrivão da Polícia Civil de 39 anos quase entrou para as estatísticas do crime. Ele levou dois tiros na Área Especial 12, no Núcleo Bandeirante, após uma tentativa de roubo. O policial foi levado para o Hospital de Base de Brasília (HBB) e passa bem. Segundo o delegado-chefe da 11ª DP, Sandro Erlon Orlando, ele aguardava uma amiga em um carro estacionado próximo a um prédio, quando foi surpreendido por três assaltantes armados. Houve troca de tiros, e o escrivão acabou atingido no braço esquerdo e no peito. Um dos bandidos também ficou ferido.

Vigilância eletrônica

Um dos pontos vulneráveis no Plano Piloto é a Universidade de Brasília (UnB), alvo dos mais diversos crimes. Segundo os responsáveis pela segurança da instituição, foram instaladas há 3 meses câmeras de segurança nos locais mais visados no câmpus da Asa Norte. “A nossa segurança é patrimonial, não temos poder de polícia. Temos servidores e contratos com duas empresas terceirizadas, mas eles são somente como porteiros e vigias”, afirmou o professor Davi Diniz, chefe de gabinete da reitoria da UnB. “Mas, devido à demanda, temos tentado dar um treinamento melhor a eles para que respondam a situações de violência. Não há como considerar o problema de segurança da UnB como algo que possa se resolver sem o poder público”, concluiu.

O aluno de agronomia da UnB Diego Felipe Alves, 23 anos, se sente inseguro no câmpus. “Ouvimos sempre falar de roubo de carro, sequestro, estupro. É complicado, porque ainda tem aluno que fica dormindo ou namorando no carro. Isso é perigoso”, alertou. Para evitar problemas, ele e a irmã, a estudante do 1º semestre de ciências sociais Natália Assunção, 19 anos, param o carro em áreas mais movimentadas.

Moradores da Asa Norte também reclamam da insegurança no bairro. O autônomo Mário Rodrigues, 53 anos, vive na 409. Ele aponta que a presença constante de usuários de drogas na quadra. Segundo Mário, mesmo com a instalação das câmeras de segurança, presentes no prédio há um ano, pequenos crimes continuam a ocorrer na vizinhança. Ele ressalta que parte da insegurança da área vem do movimento da comercial vizinha. “É carro demais na quadra, e quase sempre os motoristas voltam bêbados e falando alto. Isso chama a atenção, e polícia aqui é muito raro”, reclamou.

Mais luz

Ao todo, mais de 50 mil estudantes, funcionários e usuários da universidade frequentam dia e noite o câmpus da Asa Norte, construído em um espaço de cerca de 500 mil metros quadrados. Os gestores da instituição, que não é cercada por grades, tentam frear a insegurança do local, com, por exemplo, a melhoria da iluminação pública.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Nas questões de segurança pública, o que esperar dos Estados, se a União não consegue impor a paz social nos seus domínios.

CRIANÇAS NA MIRA DA LUTA DE GANGUES



Menino e menina foram alvo de balas perdidas em bairros disputados pelo tráfico em Porto Alegre - CAROLINA ROCHA, ZERO HORA 30/11/2011

Duas crianças são as mais novas vítimas da guerra entre gangues em bairros da Capital. No sábado, um menino de sete foi ferido no rosto enquanto brincava em frente de casa, na Restinga. Na noite de segunda-feira, foi a vez de uma menina de 11 anos ser ferida dentro de casa no bairro Sarandi por um tiro disparado supostamente por um adolescente.

As crianças, que não eram os alvos dos atiradores, estavam em locais que a polícia considera de disputa constante por pontos de tráfico. Nos dois casos, os bandos são velhos conhecidos de policiais civis e militares.

A menina mora na Vila Respeito, região disputada pelo tráfico de drogas. Baleada no rosto, ela estava internada na UTI do Hospital Cristo Redentor em estado grave. Passava das 21h30min quando os disparos começaram em frente a uma casa da Rua Francisco de Medeiros.

Os tiros, possivelmente de pistola, eram feitos todos em direção a uma residência. A menina, que estava dentro da casa, foi ferida por uma das balas e socorrida por familiares.

O autor dos disparos seria um adolescente de 17 anos, que, na sexta-feira, havia sido preso com o irmão mais velho pela Brigada Militar. Libertado no mesmo dia, ele teria ido até a casa vingar-se da dona do imóvel, tia da menina.

A confusão entre as duas famílias teria começado no início do mês. O pai da menina seria integrante da gangue dos Cabrita e está preso, assim como a mãe da criança.

Ataque à casa teria sido vingança contra a família

Segundo a BM, o atirador teria, no início do mês, vingado um homicídio atribuído à gangue dos Cabrita, colocando fogo em uma das casas da família. Depois disso, foi preso e, possivelmente atacou a residência novamente, acreditando que tenha sido entregue à polícia pela tia da menina.

O jovem fugiu e, por ser adolescente, o caso deve passar da 1ª Delegacia de Homicídios para a 1ª Delegacia para Adolescente Infrator. Até a noite de ontem, a Brigada Militar seguia fazendo buscas para tentar localizá-lo.

Menino atingido quando brincava na frente de casa

Desde sábado, um leito na enfermaria do Hospital de Pronto Socorro acolhe um menino inquieto e que se machucou no sábado. Um curativo na bochecha direita e o raio X que mostra uma fratura no maxilar e uma bala alojada na face são as lembranças da noite de sábado.

O garoto de sete anos brincava com um carrinho em frente de casa, no bairro Restinga. O pai, um motorista aposentado de 59 anos, recorda que havia chegado poucos minutos antes em casa. Viu o menino brincando e entrou. Logo em seguida, ouviu dois disparos, barulho já comum na redondeza.

– Não deu dois segundos, e o guri entrou em casa gritando. “Fui baleado, fui baleado!” – conta o pai.

Um vizinho ajudou no socorro e levou o garoto até o Pronto Atendimento Moinhos. Depois, a criança foi para o HPS, onde estava na tarde de ontem, aguardando a cirurgia para a retirada da bala.

Alvo dos disparos seria casal que passava no local

Por enquanto, a Polícia Civil sabe apenas que o menino foi vítima de uma bala perdida. Por volta das 20h30min de sábado, dois jovens em uma moto passaram pela rua onde ele brincava.

Seriam eles os autores dos disparos. O alvo, segundo testemunhas, seria um casal que caminhava na mesma calçada. O motivo seria a disputa entre dois grupos rivais – os Miltons e os Madeireira – por pontos de tráfico.

VANDALISMO MOTIVA QUEIXAS DIÁRIAS EM PORTO ALEGRE

RECLAMAÇÃO DIÁRIA. Vandalismo motiva 85 queixas por dia na Capital - ZERO HORA 30/11/2011

A prefeitura de Porto Alegre recebe 85 reclamações de vandalismo por dia. As queixas chegam à Central de Atendimento do 156 Fala Porto Alegre, que atendeu mais de 20,9 mil chamadas para o Disque-Pichação, relativas a vandalismo, depredação do patrimônio público e pichações, até o dia 21 deste mês.

De acordo com o secretário de Direitos Humanos e Segurança Urbana, Nereu D’Avila, apesar do policiamento, há dificuldades para realizar a prisão dos autores das depredações.

O 156 atende diariamente até 23h, inclusive sábados, domingos e feriados. Para serviços como trânsito, abastecimento de água, esgoto sanitário e denúncias de vandalismo, o atendimento será nas 24 horas do dia. Para menus diferenciados como informações turísticas e Linha Turismo, das 8h às 22h e, para tributos municipais, das 9h às 17h.

Em março, a prefeitura unificou os números das seis primeiras centrais para agilizar as demandas dos cidadãos.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Descriminalizado pelas leis benevolentes criadas pelos nossos parlamentares, o vandalismo age impunemente nas ruas de todas as cidades do Brasil, causando danos irreparáveis. Toda esta impunidade é fruto da escolha do eleitor ao votar em políticos que desprezam a ordem pública.

VIOLÊNCIA NA RESTINGA - OPERAÇÃO POLICIAL PARA COMBATER

BM faz operação para combater a violência na Restinga. Policiais encontraram uma pistola e cartuchos em casa abandonada - CORREIO DO POVO ONLINE, Luciano Nagel / Rádio Guaíba, 30/11/2011 08:04

Cerca de 30 policiais militares realizam, desde as 6h desta quarta-feira, uma operação para coibir o tráfico de drogas e a violência no bairro Restinga, zona Sul de Porto Alegre. Policiais vasculharam um terreno em busca de armas e drogas. Em uma residência abandonada, foi encontrada uma pistola 9mm com 14 cartuchos.

O bairro Restinga integra o programa Territórios da Paz, da Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP). O objetivo do projeto, inspirado na experiência carioca das Unidades de Polícia Pacificadora, é recuperar áreas dominadas por criminosos e estabelecer programas sociais e preventivos junto aos moradores.

NO CENTRO DE PORTO ALEGRE, PM RR E SOBRINHO SÃO BALEADOS EM ASSALTO

PM da reserva e sobrinho são baleados no Centro de Porto Alegre. Uma terceira pessoa também foi atingida de raspão durante tentativa de assalto - CORREIO DO POVO ONLINE, 30/11/2011, 08:30

Um policial militar (PM) da reserva, o sobrinho dele e um amigo dos dois foram baleados, por volta das 5h30min desta quarta-feira, no Centro de Porto Alegre. Segundo a Brigada Militar, os três estavam próximo ao bar Casablanca, na rua Riachuelo, quando sofreram uma tentativa de assalto.

Três homens e uma mulher teriam abordado as vítimas para tentar roubar um Palio. O PM foi atingido na canela, o sobrinho no pé e o amigo recebeu um tiro de raspão. Os três foram encaminhados para o Hospital de Pronto Socorro da Capital.

Um dos suspeitos foi preso com um revólver calibre 38. Ele foi levado à 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento.

PASSO FUNDO. Casal é baleado durante perseguição de moto em Passo Fundo. Segundo a polícia, suspeito de ser o autor dos disparos já foi identificado - ZERO HORA ONLINE, 30/11/2011 | 10h31

Um casal foi baleado na manhã desta quarta-feira na Avenida Brasil, em Passo Fundo, no norte do Estado. Os dois são moradores do bairro Leonardo Ilha e estavam em uma moto a caminho do trabalho.

A caroneira da moto, de 30 anos, foi ferida nas costas e nas pernas. O condutor, de 33 anos, foi atingido no joelho.

De acordo com testemunhas, os disparos partiram de um caroneiro de outra moto que seguia o casal. As duas vítimas foram encaminhadas ao Hospital da Cidade e passam por cirurgia.

Segundo a polícia, o suspeito de ser autor dos disparos já foi identificado, mas ainda não foi preso.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

TERRITÓRIOS DA PAZ GAÚCHO - DUAS EXECUÇÕES

PORTO ALEGRE. CRIMES NA CAPITAL. Duas execuções em territórios da paz - ZERO HORA 29/11/2011

A polícia investiga dois homicídios com características de execução em áreas de territórios da paz em Porto Alegre entre a madrugada e a manhã de ontem. O primeiro crime aconteceu na Restinga. Às 23h30min, Marcelo dos Santos, 27 anos, foi encontrado morto a tiros na Rua José Carlos Nascimento. Marcelo era foragido da Justiça e cumpria pena por roubo e porte ilegal. A suspeita da polícia é de um acerto entre criminosos. Às 6h30min, Ismael Ribeiro Rodrigues, 27 anos, foi encontrado morto com pelo menos 12 tiros de pistola calibre .380 ao lado de uma moto na Rua Afonso Moacir Cerioli, no bairro Rubem Berta. A polícia desconhece o motivo do crime.

LAGOA VERMELHA. MISTÉRIO NO NORTE. Corpo é encontrado à beira de riacho

Um corpo foi encontrado no início da tarde de ontem à beira de um riacho em Lagoa Vermelha, no norte do Estado. Segundo a Polícia Civil, a identificação não foi possível devido ao estado de decomposição do corpo.A polícia não conseguiu determinar se era um homem ou uma mulher. Não havia sinais aparentes de violência. O corpo foi encaminhado ao Departamento Médico Legal de Passo Fundo.

PORTO ALEGRE - BAIRRO SARANDI. Menina é atingida por bala perdida na Capital. Criança de 11 anos está internada em estado grave - ZERO HORA ONLINE, 29/11/2011 | 08h56,

Uma menina de 11 anos foi atingida por uma bala perdida enquanto brincava em casa no bairro Sarandi, em Porto Alegre, na noite de segunda-feira. A Brigada Militar atendeu à ocorrência na Rua Francisco de Medeiros. O policial militar do 20º BPM, Flávio Peralta, conversou com parentes da menina, que acreditam que o caso está ligado com o tráfico de drogas. A menina foi socorrida por familiares e encaminhada ao Hospital Cristo Redentor, onde passou por cirurgia. O estado de saúde dela é considerado grave.

PELOTAS - CRIME NA MADRUGADA. Homem é morto a tiros em Pelotas, no sul do Estado. Michael Soares. Moscarelli, de 25 anos, foi alvejado por diversos disparos de arma de fogo - RÁDIO GAÚCHA, ZERO HORA ONLINE, 29/11/2011 | 05h05

Um homem de 25 anos morreu após sofrer diversos disparos de arma de fogo na madrugada desta terça-feira em Pelotas, no sul do Estado. Michael Soares Moscarelli foi alvejado na Rua Paulo Zanotta da Cruz, nas proximidades da rodovia Pelotas-Porto Alegre (BR-116). Moscarelli morreu no local. A Brigada Militar afirmou que a vítima possuía antecedentes criminais. Ainda não há suspeitos do crime.

Homem é morto a tiros em São Leopoldo. Vítima foi identificada como Julio Alves de Oliveira, de 50 anos. Um homem foi morto a tiros nesta madrugada, em São Leopoldo, no Vale do Sinos. RÁDIO GAÚCHA, ZERO HORA ONLINE, 29/11/2011 | 07h19

A vítima, identificada como Julio Alves de Oliveira, de 50 anos, foi atingida na barriga por uma arma de calibre 12, na Rua Ornestina Guimarães, bairro Campina. O Samu chegou a socorrer Oliveira, mas ele morreu antes de chegar ao hospital. Não há informações sobre a autoria ou motivação do crime.

BARBÁRIE - MORADOR DE RUA AGREDIDO POR JOVENS

BARBÁRIE NO VALE. Imagens de câmeras de segurança podem ajudar a polícia a confirmar a tentativa de homicídio - ALISSON COELHO E CARLOS WAGNER, zero hora 29/11/2011

Presos por suspeita de agredir a socos, chutes e pedradas um morador de rua, três jovens surpreenderam policiais civis de São Leopoldo pela frieza com que teriam relatado o crime. Com marcas de sangue nas roupas, nos calçados e nas mãos, os rapazes afirmaram que o agredido era “apenas um morador de rua”, como se a justificativa minimizasse o ato. Imagens das câmeras de vigilância do município vão auxiliar na investigação.

Para o delegado de plantão Rogério Baggio Berbicz, da Delegacia de Pronto-Atendimento, Jeferson dos Santos, 23 anos, Maicon Ademir dos Santos Battu, 19 anos, e Cristiano da Rosa dos Santos, 18 anos, relataram que o morador de rua teria feito uma piada a respeito da camisa de um deles. As agressões deixaram Israel da Silva Machado, 35 anos, em estado gravíssimo, no Hospital Centenário.

Assim que souberam que o homem corria risco de vida, segundo o delegado, os três jovens teriam afirmado que haviam sido vítimas de uma tentativa de assalto e que tinham “apenas reagido”. O policial autuou os três por tentativa de homicídio qualificado (por motivo fútil). Ao amanhecer, eles foram levados à Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ), em Charqueadas.

Pela manhã, o caso foi repassado ao delegado Marco Antônio Duarte de Souza, da 1ª DP de São Leopoldo.

– Testemunhas disseram que os três agrediram a vítima. Em seguida, o morador de rua teria ido atrás dos jovens, para continuar a discussão. Só então aconteceram as agressões mais fortes – afirmou o delegado.

Os nomes dos jovens foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública de São Leopoldo, registrados na ocorrência número 21870/2011 feita pela Guarda Municipal (GM), que efetuou as prisões. Imagens de câmeras instaladas no Centro mostram um grupo tentando ajudar a vítima, caída na via. Em outro ponto, populares perseguiam os três jovens. O material foi requisitado pela polícia e é considerado importante para esclarecer os fatos.

Eram 23h28min quando a confusão mostrada em uma das telas do Centro de Monitoramento da GM chamou a atenção do agente Márcio Habeigzang. Três agentes foram ao local.

– Pessoas estavam gritando e apontando para um homem no chão, que estava tendo convulsões e com a cabeça sangrando. Mais adiante, populares estavam perseguindo os rapazes, afirmando que eles haviam agredido o homem, que seria morador de rua – registra o documento cedido à polícia pelo órgão municipal.


Reunião na praça e briga por times

Os três presos frequentam a Praça do Imigrante. No local, se reúnem à noite grupos de jovens que se envolvem em brigas de torcida de times. É o que relatou a ZH familiares de dois dos envolvidos (Cristiano e Maicon), moradores de bairros populares.

Para os pais de Cristiano, Áurea da Rosa dos Santos, 48 anos, e o metalúrgico Valdemar dos Santos, 45 anos, os encontros na praça mudaram o filho.

– Sempre foi um guri bom, não sei o que está acontecendo. Ele não voltou para casa domingo e não atendia o telefone. Foi um choque quando na manhã seguinte, o delegado disse que ele estava preso – diz a mãe.

Para o padrasto de Maicon, o aposentado Aírton Valdo Fontana, 51 anos, o envolvimento com as drogas estragou a vida do enteado:

– Depois de ver que o Inter estava perdendo, ele saiu com os amigos. Desde então, não o vimos mais.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

VIOLÊNCIA MATA DOZE PESSOAS NO TRÂNSITO E ONZE EM HOMICÍDIOS

Vinte e três pessoas morreram de forma violenta neste final de semana no RS. Foram doze mortes no trânsito e onze homicídios - Rádio Guaíba, 28/11/2011 11:39

MORTES NO TRÂNSITO

Segunda-feira
SANTA MARIA (1) - Silvio Toniazzo Penna, de 29 anos, morreu em acidente ocorrido por volta de 6h, em Santa Maria. A moto que ele conduzia colidiu contra um ônibus, na avenida Liberdade, esquina com a Venâncio Aires. Segundo a polícia, a vítima morreu no local.

Domingo
CAMARGO (1) - Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em acidente no km 15 da ERS 132 em Camargo, na região Noroeste do Estado. O choque entre um gol e uma árvore, ocorrido às 18h30 deste domingo causou a morte do motorista Irani Borges de Lima, de 18 anos, no local.

CAMPO BOM (1) - Uma colisão entre uma motocicleta e um carro no km 18 da ERS-239 deixou uma pessoa morta e uma ferida. Valdemar de Oliveira, de 54 anos, condutor da moto morreu no local. Um adolescente de 17 anos que estava na carona foi conduzido ao hospital local mas não corre riscos.

PRESIDENTE LUCENA (1) - Um motociclista morreu, no final da tarde deste domingo, ao colidir a moto que conduzia em um jipe. O acidente, conforme o corpo de bombeiros, ocorreu próximo ao pórtico de entrada do munício de Presidente Lucena. A vítima foi identificada como Rogério Miguel Sidegum, de 32 anos.

ERECHIM (1) - Uma colisão entre um Fiat Uno e uma motocicleta causou a morte de uma jovem de 19 anos em Erechim, na tarde deste domingo. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, Milene Thais Veronese era passageira da motocicleta. O acidente ocorreu no km 71 da BR 480, por volta das15h15min.

PAROBÉ (1) - A empresária Maria Oliveira da Silva, 36 anos, morreu na madrugada deste domingo em um acidente de trânsito em Parobé, no Vale do Paranhana. Segundo a Brigada Militar, o acidente ocorreu na ERS-239, no quilômetro 42, às 2h40min. Silva, proprietária da sorveteria Frutare de Sapiranga, conduzia um Fiat UNO caiu no valo de escoamento de água entre as pistas.

PAROBÉ (1) - Um idoso morreu no início da noite deste domingo em Parobé, no Vale do Paranhana, após a colisão da bicicleta que conduzia contra uma motocicleta. Antônio Roque, de 69 anos, trafegava na Rua João Corrêa, quando ocorreu a colisão. O motociclista chegou a prestar socorro, mas a vítima não resistiu.

Sábado
ALEGRETE (1) - Um jovem morreu na manhã deste sábado, na Fronteira Oeste, em um acidente de trânsito. Jeferson Maidana Cambraia Junior, 20 anos, era carona em um carro que colidiu contra outro na esquina das ruas Marise Barros com David Canabarro, no centro da cidade.

Sexta-feira
MIRAGUAÍ (1) - O choque entre um veículo Fiat Palio e uma motocicleta no km 36 da ERS 530, causou a morte de um dos tripulantes da motocicleta. Ainda não há informações se foi o condutor ou o passageiro. A vítima foi identificada como sendo um indígena e não estava portando nenhuma espécie de documento que permitisse a identificação. O ferido, outro homem que estava na motocicleta, foi encaminhado a um hospital da região.

SANTO ÂNGELO (1) - Um homem morreu enquanto empurrava um Ford Escort em pane na rodovia ERS 344 na altura do km 92. Um Fiat Uno atingiu Maurílio Miguel dos Santos Prestes, de 34 anos, chegou a ser conduzido ao Hospital de Santo Ângelo pelo SAMU mas não resistiu aos ferimentos. O condutor do Uno negou-se a passar pelo exame com o etilômetro, foi conduzido à Delegacia de Polícia e sofreu medidas administrativas.

SANTA MARIA (1) - Leonardo Orlandi, 20 anos, que se envolveu em acidente quando dirigia um veiculo Honda Civic na BR 287, e colidiu com uma carreta, morreu no Hospital de Caridade Astrogildo de Azevedo, às 22h50min de sexta-feira.

HOMICÍDIOS

Segunda-feira
CAXIAS DO SUL (1) - Uma mulher de 29 anos foi encontrada morta, no início manhã desta segunda-feira, em Caxias do Sul. Por volta das 4h, a Brigada Militar foi comunicada da existência de um cadáver na rua Pedro Marcarini, bairro Marechal Floriano. Chegando ao local foi encontrado o corpo de Giliane Maria Wadenphul, com pelo menos 11 perfurações de arma de fogo. Segundo dados preliminares, a perícia acredita que a vítima tenha sido morta em outro lugar. Gilaine possui antecedentes por tráfico de drogas e lesão corporal e estava sendo procurada pela justiça.

Domingo
PORTO ALEGRE (1) - Um homem foi morto no final da noite deste domingo no bairro Restinga, zona Sul de Porto Alegre. O crime aconteceu por volta de 23h14, na rua José Carlos Nascimento, no loteamento Pitinga. Marcelo dos Santos apresentava sinais de dois disparos de arma de fogo e constava como foragido no sistema prisional. Não há informações sobre autoria e as circunstâncias em que ocorreu o homicídio.

PORTO ALEGRE (1) - Daniel Córdova Farias, 38 anos, foi encontrado morto, por volta das 15h40min deste domingo, na rua Antônio Cândido Ferreira, 202, bairro Jardim Carvalho.

ARROIO GRANDE (1) - Um homem foi morto a pauladas na manhã deste domingo. De acordo com a Brigada Militar, a vítima foi identificada como Paulo Fernando Gonçalves, de 58 anos. O crime ocorreu na rua Herculano de Freitas, bairro Centro.

SANTA MARIA (1) - Uma mulher, ainda não identificada, foi assassinada pelo marido a facadas por volta das 5h35 deste domingo, em Santa Maria, na Região Central do Estado. Conforme a Brigada Militar, após desentendimento entre os dois, a vítima foi esfaqueada dentro da residência na rua Fernandes Vieira, bairro Salgado Filho. O suspeito segue foragido.

BENTO GONÇALVES (1) - O jovem Denizar Cabral da Luz, de 23 anos, foi morto a tiros na rua Balduino Alegrete, bairro Jardim Glória, em Bento Gonçalves, na serra gaúcha. De acordo com a Brigada Militar, Luz foi alvejado com pelo menos seis disparos e morreu a caminho do hospital, por volta das 5h30 desse domingo. A vítima possuía antecedentes criminais. Ninguém foi preso.

CANOAS (1) - A Brigada Militar localizou o corpo de um homem alvejado com três disparos em Canoas, na Região Metropolitana, por volta das 6h50 desse domingo. A vítima, ainda não identificada, foi localizada atirada no Beco do Dorva, bairro Santo Operário. As causas do crime não foram divulgadas. Ninguém foi preso.

SANTA MARIA (1) - Glaucia Saldanha da Rosa, de 23 anos, foi morta com 24 facadas pelo companheiro na madrugada deste domingo.O crime ocorreu na rua Fernandes Vieira, em Santa Maria. O autor das facadas fugiu do local e logo depois telefonou para uma vizinha, relatando que tinha matado a mulher. A Brigada Miltiar foi acionada e os agentes constaram a morte clínica da vítima.

Sábado
ALVORADA (1) - A Brigada Militar encontrou o corpo de Claudiomir Rosa dos Passos, de 41 anos, por volta das 7h15 deste sábado. A vítima apresentava um ferimento grave na cabeça. Um pedaço de pau, com sangue, foi encontrado perto do cadáver. A polícia acredita que Passos tenha sido assassinado a pauladas. O crime ocorreu em frente a um bar na rua Martin Lutero, bairro São Pedro, próximo à parada 59.

TAQUARA (1) - Em Taquara, uma discussão entre dois homens em um bar, na rua Padre Tomé, zona rural do município, resultou na morte de Leonel Dias Rodrigues, 20 anos. Segundo a Brigada Militar, ele foi atingido por um tiro no rosto por volta das 23h de sábado. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao Hospital Bom Jesus, mas morreu três horas depois. O suspeito já foi identificado, mas não foi preso.

Sexta-feira
SÃO LEOPOLDO (1) - Um homem foi morto, na noite dessa sexta-feira, na rua Capitão Armindo Bier, bairro Vicentina. De acordo com a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) do município, a vítima foi identificada como Felipe Gabriel da Silva Muniz, de 23 anos. Ninguém foi preso. Os agentes ainda não esclareceram as circunstâncias do crime. Até outubro, o município já havia registrado 45 homicídios.

FLORIANÓPOLIS PRECISA DE SEGURANÇA

PALAVRA DE ESPECIALISTA - O que Florianópolis mais precisa - DIÁRIO CATARINENSE, GABRIELLE BITTELBRUN, 28/11/2011

A lista do que poderia ser feito para melhorar Florianópolis é extensa. Neste segundo dia da série Floripa te quero bem, ouvimos seis especialistas sobre mobilidade, planejamento urbano e segurança. Falta de conversa entre os governos municipal e estadual, de integração entre os diferentes projetos, ausência de interesse político e burocracia estariam entre os principais fatores que contribuem para problemas nestas áreas determinantes para a cidade. O lado bom é que, para os pesquisadores, os primeiros passos para melhorar a vida em Florianópolis podem ser dados a qualquer momento.

PALAVRA DE ESPECIALISTA. Segurança

Polícias Militar e Civil integradas trabalhando em conjunto com a Guarda Municipal. É o que defende o Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), Celso Bedin Júnior.

– Não precisa necessariamente unificar as polícias, mas elas têm que fazer um trabalho integrado e de forma qualificada. Segurança Pública é um conjunto de fatores, que tem de ser vistos de forma totalizada. Atos isolados não surtem efeito – opina.

Para o combate ao tráfico de drogas, por exemplo, deveriam ser feitas operações conjuntas entre os efetivos municipais e estaduais, de acordo com Celso Bedin.

O advogado destaca que o investimento no sistema prisional deveria ser feito não apenas na construção de novas cadeias, mas em ações educativas e profissionalizantes para dar meios de ex-detentos saírem do crime.

– Como não há política alguma de recuperação, os presídios acabam sendo “intensivão” para praticar novos crimes – afirma Bedin.

O professor de direito penal da Univali, Rodrigo Nioto dos Santos, concorda que o Estado deveria “dar chances para o indivíduo sair melhor” da prisão, oferecendo capacitação profissional.

O professor defende, além da ampliação do efetivo para a repressão dos crimes, um plano preventivo, como meio de conter a violência, melhorando os serviços básicos para toda a população. Um início, na opinião do estudioso, seria a implantação do sistema de educação integral.

– Só para a repressão dos crimes, o Estado tem um limite de investimento. Mas se aplicar os recursos para melhorar a qualidade de vida, não só em escola, mas em saúde, moradia, consequentemente, já se reduzirão os índices de criminalidade – avalia.

Mesmo assim, no quesito segurança, a Capital catarinense é bem vista pelos especialistas, em uma comparação com outras cidades.

– Ainda não estamos no Rio de Janeiro. Só que, se não for feito nada, é um caminho sem volta – afirma o advogado Celso Bedin.

CARLOS EDUARDO, EX-JOGADOR DO GRÊMIO, FOI ASSALTADO E TEVE CARRO ROUBADO EM CANOA/RS


Carlos Eduardo foi vítima de assalto antes de retornar à Rússia. Jogador do Rubin Kazan teve carro e pertences pessoais levados na última terça-feira - ZERO HORA ONLINE 28/11/2011

O jogador Carlos Eduardo, um dos sonhos de consumo da diretoria do Grêmio para reforçar a equipe na próxima temporada, passou por um susto durante o período de férias em que esteve no Estado. De acordo com o seu empresário Jorge Machado, o meia-atacante sofreu um assalto na última terça-feira, na cidade de Canoas.

— Botaram um revólver na cabeça dele e levaram o carro. Ele foi deixar um amigo em casa e graças a deus não aconteceu nada de sério com eles. Só ficou o trauma e o prejuízo financeiro, pois acabaram levando celular, carteira e uma corrente que ele estava usando — disse Jorge Machado.

Carlos Eduardo, que passava um período de férias na casa de sua família em Novo Hamburgo, retornou à Rússia no último sábado. O jogador busca a liberação junto ao Rubin Kazan para poder retornar ao Grêmio em 2012.

PROMESSAS NÃO CUMPRIDAS NA SEGURANÇA


EDITORIAL O GLOBO, 25/11/11 - 5h00

Muito do que é anunciado continua sem aparecer na vida real

Recomenda-se aguardar um tempo para medir o alcance das medidas anunciadas anteontem pelo ministro da Justiça no âmbito do sistema penitenciário. Vistas apenas pela abrangência das ações a serem adotadas e pelo montante de recursos a ser destinado aos estados para a recuperação da rede de presídios, ou construção de novas unidades, as medidas do programa parecem consistentes. No mínimo, são bem-vindas, cruciais mesmo, para fazer frente ao desafio de desarmar a bomba-relógio que ameaça fazer explodir superlotadas penitenciárias de todo o país, na forma de tragédias que, não raro, se manifestam em dramáticos picos de eclosão.

A dúvida quanto à eficácia do plano de ação reside menos no potencial do que no seu gerenciamento. Ao anunciar as medidas, o ministro José Eduardo Cardozo assegurou que, desta vez, elas são “para valer”. Programas de governo, quando anunciados, tornam-se pacto público — logo, por definição, todos têm a obrigação de sair do papel. Mas justifica-se a ênfase de Cardozo, que soa como ressalva, pelo histórico de promessas não cumpridas pelo lulopetismo desde 2003. Particularmente na questão da segurança pública, de que o sistema penitenciário é um dos mais importantes vieses, há um rol extenso de compromissos que, o tempo mostrou, não foram “para valer”.

Caso das 42,5 mil vagas que o ministério pretende abrir em presídios até 2013, como anunciado anteontem. Metade delas já deveria ter sido criada até o ano passado. Propaladas reformas em unidades prisionais dos estados não foram “para valer”, e igualmente não saiu do papel a criação de 3.800 vagas para o aprisionamento especializado de jovens. Ficaram também no terreno de promessas não cumpridas pelos dois governos Lula obras físicas para melhoria de estabelecimentos penais e, no âmbito específico da União, o funcionamento, até 2006, de cinco presídios federais para presos de alta periculosidade (quatro estão em operação, e atrasaram).

O agravamento linear da crise do sistema penitenciário é manifestação de um problema mais amplo, além da educação — a inexistência no país de uma efetiva política de Estado para a segurança, que lastreie ações estratégicas em nível nacional, mas integradas com organismos estaduais. Programas pontuais têm logrado melhorar os indicadores da criminalidade em alguns estados (Rio de Janeiro e São Paulo, principalmente), mas ainda é inaceitável o perfil da violência no Brasil fruto do banditismo.

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que, em pelo menos 13 estados, os índices de homicídios cresceram entre 2009 e 2010. Com uma média que beira 22 assassinatos por cem mil habitantes, o país tem mais do dobro da taxa aceitável pela ONU, evidência de que o Brasil — que está na lista das nações com os piores indicadores de mortes decorrentes da violência — vive, neste particular, uma situação endêmica. E não é o caso de atribuir ao problema causas orçamentárias: os gastos do poder público com a segurança são superiores aos de alguns países desenvolvidos, onde os índices de violência estão abaixo do patamar da ONU. O nó está essencialmente no gerenciamento — ou seja, gasta-se mal nessa rubrica. Espera-se, por isso, que o programa penitenciário anunciado por Cardozo saia de fato do papel, e que o Executivo federal se envolva numa política nacional de segurança.

VIOLÊNCIA NO RS

SÃO JOSÉ DO NORTE - Presidiário tenta fugir de audiência e é morto em São José do Norte. Homem foi perseguido e acabou morto conflito com policiais e agentes penitenciários - Rafael Diverio, ZERO HORA ONLINE, 28/11/2011 | 18h27.

Um homem foi morto após fugir de uma audiência no fórum de São José do Norte, no sul do Estado. O caso ocorreu por volta de 17h desta segunda-feira.

O presidiário Daniel Duarte da Silva, 30 anos, escapou do local onde deveria prestar depoimento e foi perseguido por policiais civis e agentes penitenciários. Acabou localizado em um barraco na Vila Veneza, na periferia da cidade.

Segundo a polícia, houve uma troca de tiros, que culminou com a morte de Silva. O corpo foi encaminhado ao IML de Rio Grande.

O homem respondia a inquérito por furto qualificado, ameaça e roubo a pedestre.

IJUI - Laudo preliminar aponta que corpo encontrado em rio de Ijuí é de um homem. Com o exame, fica descartada a hipótese de corpo ser de uma adolescente desaparecida em Três Passos - Roberto Witter, ZERO HORA ONLINE, 28/11/2011 | 16h31

Um laudo preliminar divulgado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) no início da tarde desta segunda-feira aponta que o corpo encontrado na margem do rio Potiribu, em Ijuí, era de um homem. O cadáver foi localizado por pescadores no início da manhã de domingo. O caso já estava sendo acompanhado pela Polícia Civil de Três Passos, cidade onde a adolescente Cíntia Luana Ribeiro de Moraes, 15 anos, desapareceu no dia 13 de julho.

— Este exame preliminar afasta a possibilidade de o cadáver ser de uma mulher. Com isso, é descartada completamente a hipótese de ser o corpo da menina desaparecida em Três Passos. Por enquanto ainda não temos pista sobre a identidade desta vítima — explica Mauricio Posselti, que agora comanda a investigação.

A Polícia Civil trabalha com a hipótese de que o caso se trate de um homicídio. Os pés amarrados da vítima reforçam a possibilidade do crime. Ainda de acordo com a polícia, nenhum caso de desaparecimento foi registrado na região nas últimas semanas. Ainda não há data para que o laudo definitivo seja divulgado pelo IGP.

PORTO ALEGRE - Criança é ferida em tiroteio entre gangues

Uma briga entre gangues no bairro Restinga, a poucos metros do local onde está o ônibus da BM do projeto RS na Paz, resultou em uma criança de seis anos baleada.

Segundo a Brigada Militar, por volta das 20h30min de sábado, o menino estava na Rua Manoel Faria da Rosa Primo quando o disparo foi feito. Atingido no rosto, ele foi levado ao Pronto Atendimento Moinhos de Vento e, depois, transferido para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) onde seguia internado em estado regular ontem. Ninguém foi preso.

SANTA MARIA - BRUTALIDADE. Jovem é assassinada a facadas. O suspeito é o marido, foragido do semiaberto

Um telefonema por volta das 5h30min de ontem revelou o assassinato da dona de casa Glaucia Saldanha da Rosa, 23 anos, em Santa Maria. O autor da ligação seria o assassino, avisando uma vizinha da vítima de que havia cometido um crime.

Ao chegar ao local, Ana Jurema Militão, 57 anos, encontrou o corpo de Glaucia caído no chão do quarto e as duas filhas dela, um bebê de quatro meses e uma criança de três anos, chorando na cama perto da suposta arma do crime, uma faca com marcas de sangue. De acordo com o delegado Vladimir Urach, o principal suspeito é o marido da vítima, Cristiano Rosa de Oliveira.

– Estamos esperando o resultado da perícia, mas, em princípio, foram 24 facadas. O suspeito é o marido, que estava na casa com a vítima e as crianças e, depois, fugiu. Ele estava foragido do albergue, onde cumpria pena em regime semiaberto – declarou o delegado.

PORTO ALEGRE. Homicídio na Zona Sul. Homem é morto a tiros na Restinga, na zona sul de Porto Alegre. Vítima identificada como Marcelo dos Santos, 27 anos, sofreu dois dispardos de arma de fogo - zero hora online, 28/11/2011 | 05h27

Um homem foi morto a tiros na madrugada desta segunda-feira em Porto Alegre. O homicídio ocorreu por volta da meia-noite na Rua José Carlos Nascimento, bairro Restinga, na zona sul da Capital.

Segundo a Brigada Militar, Marcelo dos Santos, 27 anos, morreu após ser atingido por dois disparos de arma de fogo em via pública. Ainda de acordo com a BM, ele era foragido da Justiça por roubo e homicídio.

A polícia acredita que a causa do crime seja um acerto de contas. Ainda não há suspeitos.

COMERCIANTE É EXECUTADO COM SETE TIROS

EXECUÇÃO MISTERIOSA. Comerciante é morto em Gravataí. Homem estava com duas jovens no carro quando foi baleado com sete tiros - CAROLINA ROCHA, ZERO HORA 28/11/2011

Para a família, é um mistério o motivo da execução do comerciante Orvani Luiz Dall Aqua, 51 anos, na madrugada de ontem, em Gravataí. Na Saveiro onde ele foi morto com sete tiros, ficaram os documentos, R$ 160 e o celular.

Por volta das 2h, moradores do Bairro Santa Luzia foram acordados pelo som de tiros e, depois, pelo barulho do choque do carro com o meio-fio da calçada. Dentro do veículo estava Orvani, baleado sete vezes no peito e no braço esquerdo. Na rua, duas jovens, de 16 e 18 anos, que estariam com Orvani, pediam ajuda.

As duas foram baleadas na cabeça e, ontem, permaneciam internadas no Hospital Dom João Becker.

– Amigos que estavam chegando aqui em casa viram dois caras fugindo em uma moto. Pelo que deu pra ver, eles subiram a rua atirando – conta um morador das proximidades, que pediu para não ser identificado.

Segundo o registro feito pela Polícia Civil, nada foi roubado de Ovanir. Entre os objetos recolhidos no local, cartuchos de calibre .40, munição de uso restrito das forças policiais. À tarde, a Brigada Militar de Gravataí recebeu informação que o crime teria relação com outros dois assassinatos, ocorridos no início do mês, no bairro Rincão da Madalena, onde Ovanir tinha minimercado.

Na ocasião, dois primos foram executados em meio a uma disputa entre transportadores ilegais de passageiros. Até o final da tarde de ontem, a 1ª Delegacia da Polícia de Gravataí não confirmava essa linha de investigação.

É a segunda tragédia na família de Orvani. Em 2008, uma filha sua foi morta durante assalto a um dos minimercados da família, há poucas quadras de onde ocorreu o crime de ontem. Pai de seis filhos, Orvani era natural de Putinga, no Vale do Taquari, onde ele será sepultado hoje.

OS JOVENS E A VIOLÊNCIA


EDITORIAL ZERO HORA, 28/11/2011

O país vem conseguindo estabilizar algumas estatísticas mais críticas na área da criminalidade, como as referentes a homicídios e ocorrências violentas, mas está cada vez mais marcado pela violência juvenil. Recém divulgado, com base em dados da Secretaria Especial de Direitos Humanos, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública revela um aumento significativo no envolvimento de adolescentes entre 12 e 17 anos com o crime. É importante que seus resultados sejam devidamente levados em conta por responsáveis pela formulação de políticas para a juventude.

Conforme o estudo, há 12 mil adolescentes internados no país, outros 3,9 mil em internação provisória – situação na qual ainda não foi estabelecida a medida socioeducativa a ser cumprida – e 1,7 mil em regime de semiliberdade. Uma característica geral dessa faixa etária, porém, que é a de sair mais para as ruas em busca de companhia e diversão, faz com que esses mesmos jovens se vejam ainda mais expostos a situações de risco, particularmente em áreas menos contempladas pelo poder público.

Uma redução desses níveis inaceitáveis de exposição depende de medidas que permitam aos adolescentes se movimentar com mais segurança. As providências vão desde mais tempo de permanência em sala de aula, até uma preocupação maior com alternativas de lazer, de práticas esportivas e de programação cultural.

A preocupação central, porém, deve ser no sentido de evitar que crianças e adolescentes tenham acesso a drogas ilícitas, que estão entre as razões da maior parte dos registros de violência no Estado e no país. Essa é uma questão que o poder público precisa enfrentar com uma combinação adequada de medidas de prevenção e de repressão, destinada a garantir melhor qualidade de vida para os jovens.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Onde está esta redução do número de homicídios? Pelo que se lê nos jornais, cada dia mais pessoas são assassinadas em todo o país e muitas são executadas com técnicas mafiosas. A Lei da Impunidade está permitindo que bandidos fiquem nas ruas, a justiça continua distante e morosa, e as benevolências cada vez mais amplas estão inutilizando o esforço das polícias e da sociedade organizada. Em Alagoas, 17 homicídios num fim de semana, e no RS o número de pessoas executadas e assassinadas em latrocínio já é preocupante. Agora, o editorial acerta em dizer que "o poder público precisa enfrentar com uma combinação adequada de medidas de prevenção e de repressão, destinada a garantir melhor qualidade de vida para os jovens", MAS esquece que, além da prevenção e da repressão, existe a necessidade de promover aos jovens o tratamento das dependências de drogas e dos desvios de comportamento que são causas do aliciamento pelo crime e motivação para a violência.

EM ALAGOAS, 17 HOMICÍDIOS NUM FINAL DE SEMANA

IML de Maceió registra 17 homicídios neste final de semana. Apenas na capital, foram 11 assassinatos; maioria das vítimas é jovem - Gazetaweb, 26.11.2011 09h34

Mais um final de semana violento em Alagoas. Apenas em Maceió e adjacências, 17 homicídios foram registrados pelo Instituto Médico Legal (IML) da capital entre essa sexta-feira (25) e este domingo (27). Dos 17, 11 ocorreram em Maceió.

Entre os assassinados na capital está Agnaldo do Nascimento, de 30 anos, que foi atingido por quatro tiros na Rua Boa Vista, no bairro do Jacintinho, na noite da sexta-feira (25). No mesmo dia, ainda em Maceió, Cícero Cassiano da Silva, de 25 anos, foi atingido por 13 disparos de arma de fogo, deflagrados por três homens não identificados, na Rua Belo Horizonte, em frente ao QG.

Na noite do sábado (26), Fabiano dos Santos Nascimento, de 27 anos, foi morto a pedradas, na Rua da Floresta, no bairro do Tabuleiro do Martins, por um homem não identificado, que fugiu do local do crime. Mais ou menos no mesmo horário, outro jovem, Anderson Mendes Barbosa, de 21 anos, foi assassinado com seis tiros de pistola 380, sendo dois na cabeça e dois no peito. A vítima morava na Travessa São Jorge, no bairro do Jacintinho.

Já no interior, Jean Carlos Batista da Silva, de 22 anos, foi morto com dois tiros na cabeça, na madrugada deste domingo no município de Rio Largo. O crime aconteceu na Rua Antônio Elias Calheiros, em Lourenço de Albuquerque, próximo ao terminal ferroviário, onde a vítima morava. Também em Rio Largo, na Mata do Rolo, um homem não identificado matou com dois tiros o jovem Felipe Rodrigo Silva, de 18 anos, que morava no Loteamento Vila Rica.

sábado, 26 de novembro de 2011

CRIMINALIDADE EM ALTA

OPINIÃO O Estado de S.Paulo - 26/11/2011

O Brasil gasta cada vez mais em segurança pública, mas gasta mal, pois as taxas de homicídio em vários Estados estão entre as mais altas do mundo e outros índices mostram baixa eficiência do poder público no combate à criminalidade. A busca de informação, essencial para a prevenção da criminalidade e para o planejamento das ações policiais quando e onde elas forem necessárias, e o uso de tecnologias mais modernas ainda não se disseminaram pelo País, o que tem facilitado a expansão do crime em algumas regiões e alguns Estados. Em outros, que adotaram políticas adequadas, há notável melhora nos índices.

Dada a precariedade das estatísticas - por falta de preparo ou por descuido de alguns órgãos estaduais -, é muito provável que o quadro seja ainda mais sombrio do que o mostrado na quinta edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pela organização não governamental Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com o Ministério da Justiça.

Mas os dados do Anuário reforçam uma tendência já identificada em outros trabalhos. Trata-se do deslocamento da violência para regiões onde a atividade econômica se expandiu com maior velocidade nos últimos anos, mas a modernização do órgãos de segurança não evoluiu na mesma velocidade e, por isso, a ação policial ainda não alcançou o grau de eficiência observado nos polos mais desenvolvidos.

O aumento da renda e o crescimento da economia do Nordeste nos últimos anos foram acompanhados pelo aumento generalizado da violência na região, como destacou reportagem do Estado (24/11). Dos 10 Estados que apresentam taxas de homicídio acima de 30 casos por 100 mil habitantes, 6 estão no Nordeste (Alagoas, Paraíba e Pernambuco, nos três primeiros lugares, Sergipe em 5.º, Bahia em 7.º e Ceará em 9.º).

As vítimas desses crimes eram jovens, em sua maioria, e boa parte tinha ligações com drogas. "Os jovens são as maiores vítimas dos homicídios porque entram cada vez mais cedo no mundo das drogas, não têm dinheiro para sustentar o vício e pagam com a vida", de acordo com a interpretação do secretário de Defesa Social de Alagoas, coronel Dário César.

Outro tipo de crime - os roubos em geral - também aumentam no Nordeste, e Sergipe ocupa o segundo lugar entre as unidades da Federação onde ele é mais frequente (em primeiro lugar está o Distrito Federal). Essa modalidade de crime inclui pequenos roubos, como os de celulares, carteiras e caixas de ônibus, e seu aumento igualmente pode ser decorrência do crescente uso de drogas. Para o coordenador do Centro de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil de Sergipe, Everton dos Santos, a maioria dessas ocorrências está ligada ao tráfico de drogas, principalmente do crack.

A eficiência da ação policial em Estados como São Paulo, comprovada pelas estatísticas, é resultado de políticas corretas e mantidas por longo tempo, acompanhadas de investimentos em pessoal e em modernização dos equipamentos. É possível que a maior eficiência nos grandes centros tenha empurrado o tráfico de drogas para outras regiões, como o Nordeste.

É preciso melhorar em nível nacional a aplicação do dinheiro público em segurança pública, para que também em outras regiões comecem a surgir os resultados dos investimentos. "O Brasil gasta muito, mas gasta muito mal", diz o secretário-geral do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o sociólogo Renato Lima. "Não conseguimos reduzir as taxas de violência nem garantir os direitos (dos cidadãos). O Estado brasileiro não está dando conta do recado."

Criado em 2006 para avaliar as políticas públicas, a gestão da informação, os sistemas de comunicação, a tecnologia e as práticas e procedimentos dos órgãos de segurança pública, o Fórum elabora seu Anuário com o objetivo de oferecer elementos mais precisos para a ação das autoridades. Parte destas, porém, parece não querer se ajudar, pois não tem dados confiáveis nem sobre sua área de atuação. Os Estados que têm as piores estatísticas são Rio de Janeiro, Minas Gerais, Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará e Rio Grande do Norte.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Há várias causas para a alta da criminalidade. O primeiro é a visão de segurança pública que é míope no Brasil, pois foca em recursos materiais para forças policiais esquecendo a dignidade e segurança do agente policial e os demais instrumentos e ações necessárias para assegurar a paz social, a vida e o patrimônio.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ALIANÇA ENTRE FACÇÕES DE SP E RIO

PF descobre aliança entre facções criminosas de SP e Rio - MARCO ANTÔNIO MARTINS, DO RIO - FOLHA.COM, 25/11/2011 - 09h46

A polícia cumprir nesta sexta-feira 46 mandados de prisão contra uma quadrilha de traficantes da facção criminosa Comando Vermelho, no Rio. De acordo com as investigações, o grupo teria se aliado à facção paulista PCC (Primeiro Comando da Capital) para praticar assaltos e traficar drogas.

Participam da operação policiais civis, federais, militares e da Corregedoria da Polícia Militar, com o apoio do Ministério Público do Rio.

Batizada de "Martelo de Ferro", em homenagem à juíza Patrícia Acioli, morta em agosto, a operação descobriu que o Comando Vermelho transformou a favela do Salgueiro, em São Gonçalo (região metropolitana do Rio), cidade onde a juíza atuava, em um entreposto para a distribuição de maconha e cocaína.

Em interceptações telefônicas obtidas com autorização judicial, os policiais federais flagraram PMs que respondiam a processos na Vara Criminal de São Gonçalo extorquindo traficantes, sequestrando parentes de criminosos e até ordenando a prática de assassinatos.

MISTÉRIO NA MORTE DE OUTRO TAXISTA EM PORTO ALEGRE

CORRIDA FATAL. O assassinato de motorista de 54 anos, encontrado no bairro Belém Velho, foi o segundo na Capital no intervalo de 56 horas - EDUARDO TORRES, ZERO HORA 25/11/2011

Uma moradora do Beco Boqueirão, no bairro Belém Velho, na zona sul da Capital, levou um susto na manhã de ontem. Por volta das 7h, deparou com o corpo de um homem no matagal à beira da rua de chão batido. Pouco tempo depois, a Brigada Militar foi alertada para um táxi abandonado no Beco Império, a três quilômetros dali, no bairro Vila Nova. Não demorou para os policiais chegarem à conclusão de que era o segundo taxista morto em Porto Alegre em 56 horas.

Julimar Kurtz Cruz, 54 anos, havia sido baleado na cabeça. O que a polícia não esclarece ainda é se ele também foi vítima de um assalto.

– Não descartamos por completo o latrocínio (roubo com morte), mas nada foi levado do taxista – afirmou o delegado Juliano Ferreira, que deu início às investigações pela Delegacia de Roubos.

No final da tarde de ontem, o caso seria repassado à Delegacia de Homicídios. É que o assassino não levou a carteira, o relógio e o dinheiro nos bolsos da calça, que seria o faturamento do dia. Conforme o proprietário do táxi, Cruz havia trabalhado durante toda a quarta-feira.

E os sinais deixados no veículo mantiveram o mistério. O estepe, o radiocomunicador e o aparelho de GPS foram levados por criminosos, mas a polícia não descarta que as peças tenham sido furtadas depois, por outros bandidos. O carro estaria no Beco Império desde a 1h de ontem.

Crime por ter sido cometido por mais de uma pessoa

Colegas confirmaram à polícia que Cruz havia jantado em uma churrascaria da Avenida João Pessoa e, quando passava da meia-noite, teria embarcado um homem como passageiro.

A suspeita é de que o crime tenha sido cometido por mais de uma pessoa. Cruz teria sido morto e jogado para fora do carro. Os criminosos teriam seguido com o táxi até abandoná-lo em um local pouco movimentado. Havia marcas de sangue na porta do motorista e sinais de um princípio de incêndio com o foco no banco do passageiro. Os peritos acreditam que os bandidos tentaram incendiar o carro, mas não conseguiram.

Nas estatísticas do Sindicato dos Taxistas (Sintaxi), a morte de Cruz pode ser considerada a primeira de um motorista de táxi neste ano. O caso de Pedro dos Santos, morto às 17h de segunda-feira, é contabilizado como uma morte de Alvorada, já que ele era taxista naquele município, embora tenha sido morto na Capital. No ano passado, o Sintaxi registrou três motoristas mortos durante assaltos.

Vítima foi paraquedista do Exército

Julimar Kurtz Cruz era um novato no volante. E a profissão não teria sido exatamente uma escolha, mas uma opção para se livrar das contas atrasadas. Ele trabalhava havia apenas dois meses com o carro de um amigo, proprietário de táxi em Porto Alegre. Na quarta-feira, teria dirigido por 24 horas e deveria ter encerrado seu turno à meia-noite. Exatamente no horário em que foi visto pegando a última corrida.

Pai de um filho de 25 anos e separado, Cruz foi paraquedista do Exército e teria treinamento o em defesa pessoal. Mas esmerava-se em outra profissão. Era técnico em hidrologia (ciência relacionada à água) e, no começo do ano, foi o primeiro lugar em um concurso da Itaipu Binacional. Em abril, foi chamado para os exames e não foi aprovado.

À polícia, o proprietário do táxi teria declarado que Cruz entrou em depressão depois da reprovação. O táxi se tornou a alternativa para ajudar um amigo.

SEQUESTRO: DUAS HORAS DE TENSÃO E ANGÚSTIA

SEQUESTRO EM BARROS CASSAL. Médico vive duas horas de tensão - LUANE MAGALHÃES, ZERO HORA 25/11/2011

Por duas horas, o médico João Alfredo Daviz, 50 anos, ficou sob o poder de um sequestrador na rodovia Soledade-Barros Cassal (RSC-153), no Vale do Rio Pardo. Ele foi abordado no final da manhã de ontem quando saía do trabalho na Unidade de Saúde de Barros Cassal, no centro da cidade.

De acordo com a polícia, Antonio da Silva, 38 anos, estava armado quando abordou o médico e anunciou o sequestro dizendo que queria dinheiro. Com a vítima ao volante, eles seguiram para o município de Soledade, distante 44 quilômetros. No carro, o valor do resgate foi acertado entre os dois (veja detalhes na entrevista ao lado). Daviz, então, ligou para casa e avisou a mulher, que ficou encarregada de levar o dinheiro até a rodovia onde estava com o bandido.

De posse do resgate, o sequestrador decidiu voltar com o médico para Barros Cassal. Informada por um amigo da família da vítima, a Brigada Militar seguiu o carro do médico e prendeu o sequestrador assim que ele saiu do veículo, no centro da cidade. O dinheiro foi recuperado.

Após prestar depoimento, o homem foi encaminhado para o Presídio Estadual de Soledade. Com ele, foi apreendido um revolver calibre 38 e munição.

“Fiquei angustiado, poderia acabar mal”. João Alfredo Daviz, médico sequestrado

Casado, o médico tem consultório em Soledade e também atende, há mais de 10 anos, diariamente, na Unidade de Saúde de Barros Cassal. Leia trechos da entrevista concedida a Zero Hora:

Zero Hora – Como o senhor se sentiu durante o tempo em que ficou com o sequestrador?

João Alfredo Daviz – É uma sensação muito ruim. Mas temos de ter confiança em Deus. Fiquei angustiado porque não sabia como seria o desfecho. Poderia acabar mal.

ZH – Como ocorreu a negociação do resgate?

Daviz – Ele pediu R$ 250 mil, fomos conversando e negociando até que ele aceitou R$ 10 mil. Liguei para minha mulher para que ela arrumasse o dinheiro e combinamos o local de entrega.

ZH – Como foi o pagamento?

Daviz – Ela nos encontrou na estrada a oito quilômetros da entrada de Soledade. O dinheiro foi entregue, mas ele não quis me liberar e pediu que dirigisse de volta até Barros Cassal porque disse que estavam esperando por ele lá. Na volta, quando ele viu o carro da Brigada Militar, ficou nervoso.

ZH – O que aconteceu?

Daviz – Chegamos à cidade, e ele pediu que eu o deixasse no Centro. Quando ele saiu do carro, a polícia que já tinha sido avisada e estava nos seguindo prendeu ele.

UM DELITO DE ROTINA

WANDERLEY SOARES, O SUL
Porto Alegre, Sexta-feira, 25 de Novembro de 2011.


Um computador, nada mais que isso, foi furtado da Câmara Municipal da Capital por um visitante da casa.

Um computador foi furtado de dentro da Câmara Municipal de Porto Alegre. No início da noite de quarta-feira um homem, que ali estava como simples visitante, arrombou a sala de reuniões da Comissão de Educação. As imagens de câmeras internas flagraram o ladrão. A polícia tenta fazer a identificação. Em verdade, essas câmeras, com raras exceções, tem servido mais para enfeitar shows de palhaçadas noticiosas na TV. As primeiras investigações indicam que não há nenhum complô contra o colégio de edis da capital gaúcha. O furto do computador deverá entrar na estatística da criminalidade como alguma coisa da rotina da cidade, como um assalto à residência, um arrastão num restaurante, um ataque contra um motorista de táxi, enfim, coisas sem conotações políticas. Aliás, o poder público municipal está colaborando para eliminar a ação de assaltantes na Cidade Baixa. Exatamente a meia-noite todos os bares são obrigados a fechar as portas. Sem bares abertos, não há assaltos a bares.

Desembargador

Ontem, diante de membros do Conselho Deliberativo da ARI (Associação Riograndense de Imprensa) o desembargador Cláudio Baldino Maciel abordou com habilidade cirúrgica a polêmica criação do Conselho Estadual de Comunicação. Irrepreensível a palestra na qual também deu a sua visão sobre o Conselho Nacional da Magistratura, órgão que não é perfeito, mas que também está longe de ser um fantasma.

Taxistas

O taxista identificado como Julimar Cruz, 54 anos, foi encontrado morto com um tiro na cabeça em um beco da Estrada Afonso Lourenço Mariante, bairro Belém Velho, na zona Sul da Capital. Ele ingressara na profissão havia apenas dois meses. O táxi foi localizado, com marcas de sangue, na Estrada Cristiano Kraemer. Outro taxista, Pedro dos Santos, 78 anos, que trabalhava em Alvorada, foi encontrado morto no início da semana na Zona Norte de Porto Alegre.

Tráfico (1)

O CPM (Comando de Policiamento Metropolitano) e o BOE (Batalhão de Operações Especiais) da Brigada Militar prenderam dez pessoas - cinco homens e cinco mulheres - na manhã de ontem, em uma operação de combate ao tráfico de drogas em Cachoeirinha, na Região Metropolitana. Foram apreendidas 135 pedras de crack, notas falsas de R$ 50, arma com numeração raspada, câmera de vigilância e radiocomunicadores. Mais de 160 policiais participaram da operação.

Tráfico (2)

Agentes do Denarc realizaram durante a quarta-feira e o início da manhã de ontem uma operação na Zona Sul da Capital em que foram presos quatro homens e uma mulher. Foram apreendidas 100 pedras de crack e diversos tijolinhos de maconha, além de um binóculo, um revólver calibre 32 e uma carabina Puma.

Resgate

Um adolescente da Fase foi resgatado por comparsas armados quando era conduzido para uma audiência no Judiciário. Foi o segundo caso registrado neste ano. Mauricio Gaiar Lopes, de 19 anos, cumpria medidas sócioeducativa pelos crimes de tráfico e homicídio.

Garotinho

Um menino de 13 anos de idade anos foi flagrado com um revólver calibre 38 dentro da sala de aula da Escola Municipal Leocádia Felizardo Prestes localizada na Cohab Cavalhada. O garotinho disse que guardava a arma para um amigo.

Rir e chorar

O soldo de R$ 519,00 com que a política salarial do Piratini contempla o CVMI (Corpo Voluntários de Militares Inativos) da Brigada Militar é considerado como mais uma piada tragicômica da escorregadia política da transversalidade: faz rir e faz chorar.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

PORTO ALEGRE - FALTA SEGURANÇA NO MOINHOS DE VENTO

ARTIGO DO LEITOR. RENATA FREITAS, Moradora do Moinhos de Vento - ZERO HORA 24/11/2011

Falta de segurança no Moinhos de Vento

Sou moradora do bairro Moinhos de Vento há 12 anos e nunca presenciei tamanha falta de segurança como agora. Os bandidos não têm mais hora nem lugar para praticar furtos, assaltos, sequestros-relâmpago e intimidar os moradores com a sua presença.

O poder aquisitivo das pessoas que trabalham e residem no bairro parece ter atraído de vez a atenção dos meliantes. Somos prisioneiros dentro de nossas próprias casas e já não temos mais segurança nem para ir ao trabalho ou para frequentar as praças e cafés do bairro.

Em 9 de novembro, dois bandidos em uma moto assaltaram um pedestre na Rua Félix da Cunha e, em seguida, tentaram roubar o carro de um senhor que estacionava. Armados, eles atiraram contra o carro e, por sorte, a bala não atingiu o motorista, que ficou ferido com os estilhaços do vidro. Amparado por comerciantes e moradores da região, a vítima teve de esperar um bom tempo pelo socorro e pela Brigada Militar. Tudo isso às 15h. A pergunta que fazemos é: como os moradores de um bairro que tem um dos IPTUs mais elevados da cidade podem não ter o mínimo de segurança?

Outro dia, um minimercado na esquina da Ramiro Barcelos com a 24 de Outubro foi alvo da ação dos bandidos e um funcionário acabou baleado. E são inúmeros os relatos de amigos e conhecidos que escutam tiroteios e presenciam crimes na Praça Maurício Cardoso. Há algumas semanas, vi cartazes e adesivos espalhados pelo bairro que diziam: ‘você vai levar um tiro hoje neste bairro’, ‘seu carro será roubado neste bairro’. Custei a acreditar que a situação estivesse tão crítica. Mas, ao deparar com o perigo de ser atingida por uma bala perdida às 15h, creio que, infelizmente, estamos sendo alertados sobre um perigo real.

Não me sinto mais à vontade para caminhar pelas ruas do Moinhos de Vento e tenho certeza de que muitos moradores, trabalhadores e admiradores do bairro, têm a mesma sensação. Lembro que, até dois ou três anos, havia sempre um policial em um observatório na Praça Julio de Castilhos (próximo à Ramiro Barcelos, uma das principais rotas de fuga dos assaltantes). Hoje, os marginais estão à espreita na praça e nas imediações (que também pertencem ao Moinhos de Vento), já que a polícia raramente aparece.

É com muita tristeza que presenciamos tudo isso. Um bairro tranquilo, arborizado e tão querido dos porto-alegrenses praticamente entregue aos marginais. É assim que a cidade pretende receber a Copa do Mundo? O poder público precisa se dar conta de que o Moinhos é um dos bairros que tem a maior infraestrutura para receber os turistas. É aqui que estão dois grandes hotéis, bares, restaurantes, cafés, empresas e lojas. Vamos deixar a insegurança tomar conta do bairro e fechar as portas dos estabelecimentos por falta de uma ação efetiva da polícia e do governo? Enfim, esse foi apenas o desabafo de uma, entre muitas pessoas, que estão perdendo o bairro onde moram ou trabalham para delinquentes capazes de tirar vidas por um carro ou por um telefone celular. Será que vamos ter de esperar alguém ser morto para receber algum retorno das autoridades?”

PORTO ALEGRE - TAXISTA É ENCONTRADO MORTO COM TIRO NA CABEÇA



Taxista é encontrado morto na Capital. Corpo do motorista Julimar Kurtz Cruz, de 54 anos, foi localizado no Bairro Lomba do Pinheiro - EDUARDO TORRES, DIÁRIO GAÚCHO, ZERO HORA ONLINE, 24/11/2011 | 10h47


O corpo do taxista Julimar Kurtz Cruz, de 54 anos, foi encontrado na manhã desta quinta-feira, por volta das 9h, no Beco Boqueirão, no Bairro Belém Velho. Ele foi atingido por um tiro na cabeça.

– Os bandidos levaram, pelo menos, o estepe e o rádio comunicador do carro. O latrocínio é uma das possibilidades que estamos investigando – afirma o delegado Juliano Ferreira, da Delegacia de Roubos do Deic.

O táxi de modelo Siena, prefixo 1887, foi localizado no Beco do Império, na Vila Nova, com marcas de sangue na porta do motorista e sinais de fogo no banco do passageiro. O local foi isolado pelo 1º BPM.

BANDO ARMADO INTERCEPTA CUSTÓDIA E RESGATA INTERNO DA FASE APÓS A AUDIÊNCIA JUDICIAL

Homens armados interceptam veículo e levam interno da Fase na zona sul da Capital. Após audiência, dois carros fecharam a Kombi que transportava o jovem de volta à unidade da fundação - zero hora online, 24/11/2011 | 14h29

Um interno da Comunidade Socioeducativa (CSE), unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase), foi resgatado por homens armados no início da tarde desta quinta-feira na zona sul de Porto Alegre. Segundo a Brigada Militar (BM), o jovem havia deixado a fundação para uma audiência no Fórum Central.

Por volta do meio-dia, a Kombi que levava o interno de volta à unidade, na Vila Cruzeiro, foi interceptada na Avenida Taquari. Testemunhas relataram à BM que dois veículos Sandero participaram da ação. Enquando um deles chegou por trás, o outro ingressou na contramão da via.

Depois de colidir contra a Kombi, três homens portando pistolas 9mm desceram para resgatar o jovem. A polícia acredita que eles fugiram em direção ao bairro Lomba do Pinheiro.

A suspeita é de que a família dele more na Vila Quinta do Pontal, que é dominada pela quadrilha "Bala na Cara". O jovem resgatado seria integrante desse grupo.

Informações passadas à BM indicam que a mãe do jovem estaria do lado de fora do Fórum quando ele deixou a audiência. Ela teria feito contato por celular para avisar os comparsas.

Esse interno da Fase teria 19 anos. Ele ingressou na fundação em 2006 por tráfico e homicídio. Em março deste ano ele já havia fugido da unidade, mas acabou recapturado em setembro. A audiência que ele participou nesta manhã foi após essa fuga.

No momento em que ele foi resgatado, outro adolescente da Fase também estava sendo transportado. Na Kombi também estavam o motorista e quatro monitores, que não foram feridos.

ROBO DE VEÍCULOS - RS FICA EMJ QUINTO NO RANKING

RANKING DA SEGURANÇA. Estado fica em quinto em roubo de veículos. ZERO HORA 24/11/2011

O Rio Grande do Sul é o quinto colocado no ranking do roubo de veículos no país.

O dado está na 5ª Edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgada ontem em Brasília. Foram 98,7 ocorrências desse tipo a cada 100 mil habitantes no Estado no ano passado.

O levantamento também aponta que o Brasil aumentou os gastos com segurança pública, totalizando R$ 47,5 bilhões de investimento em 2010, um crescimento de 4,4% em relação a 2009. Mesmo com a alta incidência de roubo de veículos, o número diminuiu em relação a 2009 no Estado, quando o índice registrado foi de 116,9 ocorrências a cada 100 mil habitantes. O anuário é produzido pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com o Ministério da Justiça. A pesquisa aponta que o Estado é o campeão nacional no registro de lesões corporais dolosas – quando há intenção de ferir –, com 720,4 registros a cada 100 mil habitantes.

Ainda segundo o levantamento, o percentual de investimento em segurança pública aplicado pelo Estado diminuiu no ano passado em relação a 2009. Em 2010, o índice representou 7,5% do total de despesas realizadas, contra 7,7% em 2009.

SUSPEITO DE MATAR TAXISTA É EXECUTADO

MORTE DE TAXISTA. Suspeito é encontrado morto. Jovem foi reconhecido como um dos passageiros que entraram no carro de motorista atacado a facadas em Porto Alegre - EDUARDO TORRES

Um jovem de 20 anos encontrado morto em Alvorada foi reconhecido como um dos passageiros que entraram no carro do taxista Pedro dos Santos, 78 anos, atacado a facadas na Capital na segunda-feira. A suspeita é de que Rithieli Bittencourt de Abreu tenha sido morto por traficantes da região, num possível julgamento do tribunal do tráfico.

Por foto, uma testemunha reconheceu Rithieli como o passageiro que embarcou no táxi de Santos no final da tarde de segunda-feira. Minutos depois, o taxista foi executado a facadas no pescoço no bairro Rubem Berta, na Capital. O plano do jovem, possivelmente com um comparsa, teria sido assaltar o taxista usando uma faca de cozinha roubada da casa de uma irmã para consumir mais crack.

Os assaltantes levaram o dinheiro e o celular da vítima e conseguiram mais drogas. Horas depois, Rithieli acabou sendo executado com pelo menos quatro tiros. Havia ainda uma marca no pescoço – provavelmente a facada – e de pancadas na cabeça. O corpo foi encontrado na manhã de terça-feira, abandonado em um saco plástico preto, próximo à casa de uma irmã, na Avenida Beira-Rio, Vila Americana, em Alvorada.

Tribunal do tráfico pode ter agido

Uma das suspeitas consideradas pelos investigadores da 3ª DP de Alvorada é de que traficantes da região, insatisfeitos com a atenção que o assassinato do taxista despertaria, teriam ordenado a morte de Rithieli Bittencourt de Abreu.

– Ainda não é uma investigação concluída, temos também outras linhas de investigação, mas este é um indício forte – aponta a delegada Graciela Foresti.

Os investigadores da Delegacia de Roubos, que apuram o latrocínio (roubo com morte) cometido contra o taxista Pedro dos Santos, agora trabalham na identificação do comparsa de Rithieli.

Ontem, para protestar, depois de circular por quase toda a Avenida Getúlio Vargas, os cerca de 50 taxistas de Alvorada pararam diante da prefeitura no final da manhã e reivindicaram mais segurança. De acordo com o representante da categoria na cidade, Adair Pedro Machado da Silva, eles pedem a instalação das câmeras de videomonitoramento bancadas pelo município nos locais onde há pontos de táxi.

A intenção deles também é marcar uma reunião com o comando da Brigada Militar da cidade.

– Queremos mais barreiras, mas não para fiscalizar só o motorista, como acontece na maior parte das vezes. Tem que identificar o passageiro do táxi também – disse.

Segundo ele, não há números oficiais computados pelos taxistas sobre assaltos. A maioria dos casos nem chega a ser registrada. Só neste mês, eles estimam que cinco taxistas da Parada 43, onde Pedro dos Santos era o mais antigo, já tenham sido roubados.

A cronologia

SEGUNDA-FEIRA, INÍCIO DA TARDE - Rithieli teria sido visto na casa de uma irmã, na Vila Americana, afiando uma faca de cozinha.

SEGUNDA, 17H - Segundo uma testemunha, ele foi reconhecido como o homem que pediu uma corrida ao taxista Pedro dos Santos no ponto de táxi da Parada 43. Menos de uma quadra depois, teriam parado em uma lancheria e apanhado outro homem.

SEGUNDA 17H20MIN - Moradores da Rua Marupá, no bairro Rubem Berta, foram alertados pelos gritos de socorro do taxista. Dois homens teriam saído correndo do táxi, enquanto Santos agonizava ferido a facadas no pescoço.

COMEÇO DA NOITE - Rithieli teria sido visto com um homem e uma mulher em um “fumódromo” da Vila Americana. Teria chegado à vila contando a notícia de que tinha matado o taxista. Testemunhas o teriam visto ali até o final da noite.

TERÇA-FEIRA, 9H - Um morador da Avenida Beira-Rio foi surpreendido por um corpo abandonado diante do seu portão, dentro de um saco plástico preto. Era Rithieli, com marcas de tiros, facada e, pelo menos, uma paulada na cabeça.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O FRACASSO DAS INSTITUIÇÕES


EDITORIAL ZERO HORA 23/11/2011

A polícia não é a única instituição constrangida pelo arquivamento do inquérito do assassinato do menino Francisco Daniel Talasca Ferreira, de três anos, em janeiro de 2006, no litoral gaúcho. Ao determinar que o caso está encerrado por falta de provas, a Justiça também falha e, ao mesmo tempo, compartilha o fracasso das investigações com o Ministério Público. Francisco foi morto durante uma operação policial, e a suspeita de que o disparo teria partido da arma de um dos agentes, em meio a um tiroteio, nunca foi confirmada. Quem então matou o menino? É comprometedor para todos os envolvidos no caso a conclusão de que a perícia não conseguiu identificar a arma que teria disparado uma munição de 9 milímetros que matou a criança.

O episódio seria lamentável em quaisquer circunstâncias, por denunciar a imprudência e a imperícia da Polícia Civil quando da abordagem de suspeitos, num camping de Terra de Areia. A tragédia na praia foi amplificada por ter como vítima uma criança. Casos como esse, em que inocentes são mortos em confrontos de policiais com delinquentes, repetem-se todos os anos. Lamentavelmente, também não são incomuns os inquéritos que acabam engavetados pela incapacidade da investigação de chegar aos autores de delitos leves ou de crimes graves. O que choca, no arquivamento do processo, é que desta vez a impunidade protege o responsável pela morte de um menino de três anos.

A sequência de erros, desde a operação desastrada, reúne exemplos de tudo o que não pode ocorrer para que se esclareça um caso com tal gravidade. Como o crime ocorreu durante uma ação policial, à luz do dia, é compreensível que a população se interrogue sobre a efetividade das investigações. O próprio Ministério Público deve procurar, a partir do que aconteceu, tirar lições do arquivamento. O caso somente será prescrito, sem possibilidade de punição, em 2026, e por isso pode ser reaberto. Até lá, a polícia, o MP e a Justiça estarão permanentemente desafiados a oferecer uma resposta à família de Francisco e à sociedade, ou a morte da criança ficará para sempre como uma mácula da inépcia das instituições no Estado.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - A polícia é uma peça importante, mas muito pequena na complexa tarefa de preservar a ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio. Se as outras instituições não funcionarem, a polícia ficará apenas no pincel e sem escada para combater o crime, e famílias ficarão lamentando as vítimas e a impunidade, sem acreditar nas leis, na justiça ou no Estado.

Sugiro ao leitor dar uma olhada e analisada no conceito de SEGURANÇA PÚBLICA abaixo do título deste blog. O Brasil precisa dar um basta na desarmonia e inoperância do sistema.

Enquanto estverem em vigo com seus efeitos nocivos a desarmonia entre os Poderes; as ligações burocráticas; as mazelas do judiciário (http://mazelasdojudiciario.blogspot.com); a morosidade e distanciamento da justiça, o formalismo do inquérito policial, a separação do ciclo policial nos corpos policiais, o sucateamento das polícias estaduais, a desvalorização dos agentes policiais; a ausência de defensores; a omissão dos congressistas; a leniência dos magistrados; a tolerância do povo brasileiro; e a falta de um sistema que possa envolver ações e processos administrativos (Executivo), jurídicos (Legislativo) e judiciais (Judiciário) na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio; o Brasil não terá paz social.

EFEITO DA LEI DA IMPUNIDADE - INVASÃO EM SÉRIE DE APARTAMENTOS

SÉRIE DE CRIMES. Apartamentos são alvo de criminosos - PEDRO MOREIRA, ZERO HORA 23/11/2011

Uma sequência de assaltos a apartamentos foi registrada na capital gaúcha ontem. Pelo menos três ataques a prédios em bairros de classe média ocorreram desde o início da madrugada até o final da tarde. No primeiro caso registrado, o jogador do time júnior do Grêmio Wésley Pacheco Gomes, 21 anos, teria reagido ao ataque de um homem que invadiu seu apartamento no Menino Deus e foi esfaqueado. À tarde, dois ataques ocorreram, um no Bom Fim e outro no Mont’Serrat.

Conforme o titular da Delegacia de Polícia Regional de Porto Alegre, Cleber Ferreira, a repetição de ocorrências semelhantes em um mesmo dia foi uma exceção em 2011.

– No ano passado ocorreram vários ataques. Descobriu-se a autoria e os autores foram presos.Com a aproximação de datas festivas, a tendência é recrudescer a ocorrência desse tipo de delito – avalia Ferreira.

O delegado, que não descarta que os criminosos possam fazer parte de uma mesma quadrilha, reconhece que as ações trazem intranquilidade, mas sustenta que a polícia está atenta.

No menino deus - Jogador é esfaqueado

O atacante do time júnior do Grêmio Wésley Pacheco Gomes, 21 anos, foi esfaqueado na madrugada de ontem quando o seu apartamento, no bairro Menino Deus, foi assaltado. Com ferimentos de pelo menos oito golpes de faca, ele foi atendido e liberado do Hospital de Pronto Socorro (HPS) por volta do meio-dia. No começo da tarde, Wésley prestou depoimento na 2ª Delegacia da Polícia Civil de Porto Alegre na tentativa de identificar o autor do crime.

De acordo com a delegada Adriana Regina da Costa, por volta das 2h, um homem armado com uma faca teria invadido pela janela o apartamento, no segundo andar de um edifício da Rua Uruguaiana, e foi surpreendido pelo jogador ainda acordado. Houve luta corporal entre os dois, e o bandido teria fugido levando um notebook e um celular.

– É possível que o criminoso planejasse um furto e não esperava que a vítima estivesse acordada. Esse tipo de crime tem acontecido no bairro Menino Deus. Roubos, onde há violência contra a vítima, não são comuns – aponta a delegada.

Wésley é natural de Sertãozinho, no interior de São Paulo, e está no Grêmio há três anos.

No Mont’Serrat - Rendida no hall

Ao ver a mãe entrando em casa rendida por um assaltante na tarde de ontem, um jovem de 24 anos partiu para cima do invasor e acabou ferido com um corte na cabeça durante a briga. Mas evitou o assalto. A ação do criminoso ocorreu por volta das 16h30min.

Ao cruzar a porta do hall de entrada do prédio em que mora com a família na Rua Tito Lívio Zambecari, no bairro Mont’Serrat, a mulher de 60 anos, que pediu para não ser identificada, deparou com um homem bem vestido sentado em um sofá. A moradora foi dominada pelo assaltante e levada até seu apartamento no quarto andar, onde estavam o filho e o marido. Quando chegaram à residência, o jovem e o ladrão começaram a brigar. Durante o confronto, o jovem caiu e cortou a cabeça. O criminoso fugiu, deixando para trás uma pasta com pertences, uma boina e um molho de chaves. O rapaz foi encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), mas passa bem.

– Se o meu filho não chegasse, acho que ele tinha me matado, ele quis me esgoelar. Agora quando eu chegar e tiver alguém sentado no sofá do hall, eu vou chamar a Brigada – disse, aliviada, a vítima.

O caso será investigado pela 8ª Delegacia da Polícia Civil, que não tinha suspeitos do crime até o início da noite de ontem.

No bom fim - Médico é atacado

Dois assaltantes armados invadiram o apartamento de um médico na esquina das ruas Irmão José Otão e Santo Antônio, no bairro Bom Fim, por volta das 17h de ontem.

O morador foi rendido na entrada do prédio pelos homens, que fugiram levando notebook, câmera fotográfica, dinheiro, chaves da casa e de um carro, que não foi levado. Conforme informações do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), a vítima informou à polícia que os assaltantes estavam encapuzados.

O Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate) da Brigada Militar chegou a ser acionado por causa de uma informação de que o médico estava sendo mantido refém, o que não foi confirmado. A Brigada Militar fez buscas na região para tentar capturar os assaltantes. Mas ninguém foi preso na ação.


Tome cuidado. Com a proximidade das festas de final de ano, cresce o número de ataques como os registrados na Capital ontem. Confira algumas dicas de como prevenir a ação de assaltantes.Fonte: delegado Cleber Ferreira

- Em prédios que não têm porteiros 24 horas por dia, é preciso ter o cuidado de não permitir que pessoas que não sejam moradores entrem no edifício.

- Atenção redobrada a falsos representantes de empresas prestadoras de serviço.

- Ao chegar em casa de carro, é preciso conferir se há alguém em atitude suspeita próximo à porta da garagem. Se perceber algo, a orientação é não parar e ligar imediatamente para o 190.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

JÚNIOR DO GRÊMIO SOFRE 8 FACADAS EM ASSALTO


Atacante dos juniores do Grêmio repete à Polícia ter sido vítima de assalto. Wesley Pacheco depôs, na tarde desta terça-feira, depois de receber alta do HPS, onde ficou dez horas internado - Samuel Vettori / Rádio Guaíba, 22/11/2011 18:11

Ferido com cerca de oito facadas superficiais, nessa madrugada, em Porto Alegre, o atacante do time de juniores do Grêmio Wesley Pacheco, de 21 anos, reafirmou ter sido vítima de um assalto. Ele prestou depoimento na tarde desta terça-feira, na 2ª Delegacia de Polícia Civil (PC) da Capital, que assumiu o caso. A mesma versão já havia sido passada à Brigada Militar, que atendeu a ocorrência.

De acordo com a delegada Adriana Regina da Costa, o jogador não identificou o agressor em fotos de suspeitos apresentadas pelos investigadores. Para a policial, é possível que o criminoso tenha entrado no imóvel sem saber que ele pertencia a um atleta tricolor.

Wesley recebeu alta, no início da tarde, do Hospital de Pronto Socorro (HPS), após ficar quase 10 horas internado. Ele entrou pouco antes das 2h30min com ferimentos de faca no rosto e nas mãos, e foi liberado por volta das 12h15min.

O apartamento do jogador, no terceiro andar de um prédio na rua Uruguaiana, no bairro Menino Deus, foi invadido por um homem ainda não identificado. O criminoso, conforme a polícia, entrou pela janela. Ainda de acordo com a versão passada aos investigadores, o atacante percebeu a chegada do estranho e reagiu. O assaltante fugiu levando um notebook e um celular.

CASO SECO - MORTE DE MENINO VAI FICAR IMPUNE

CRIME ARQUIVADO. Garoto foi morto em camping em Terra de Areia em operação policial - JOSÉ LUÍS COSTA | TERRA DE AREIA, ZERO HORA, 22/11/2011

A desastrada operação policial para caçar o foragido nº 1 do Estado, em 14 de janeiro de 2006, que resultou na morte de uma criança de três anos, chegou à fase judicial com um saldo deprimente. Provas periciais tornaram impossível responsabilizar o autor do disparo que tirou a vida de Francisco Daniel Talasca Ferreira, e o inquérito foi arquivado.

O menino foi atingido no rosto em meio a uma troca de tiros em um camping, em Terra de Areia, no Litoral Norte, onde agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) pretendiam capturar José Carlos dos Santos, o Seco, que planejava o maior assalto no Estado. Chiquinho, como o garoto era chamado, foi baleado quando saía de um banheiro coletivo e ficou na linha de tiro de policiais que perseguiam suspeitos de fazer parte do bando de Seco – Juarez dos Santos Diolinda e Deivit Luiz Pedroso, à época, foragidos, que acabaram presos. Pedroso era namorado da madrinha de Chiquinho, que o tinha levado para conhecer a praia. Exame em dois projetis, um extraído do corpo do menino e outro de uma parede, apontou que a munição pertencia a uma arma calibre nove milímetros.

Agente negou ter atirado na criança

Pedroso não estaria armado, e Diolinda teria um revólver calibre 38. Armamento dos 11 agentes participantes da operação foi recolhido, e, oficialmente, só um portava uma submetralhadora calibre nove milímetros – a provável arma que acertou Chiquinho.

Para tentar esclarecer o caso, a Corregedoria-geral da Polícia Civil (Cogepol) não poupou esforços. Interrogou os envolvidos e testemunhas, solicitou perícias e planejou a reconstituição do caso– que não se realizou. Motivos: risco de resgate de Diolinda, e a negativa da família de permitir a participação de um adolescente, que estava no banheiro com Chiquinho no momento do tiroteio.

A Cogepol obteve, também, autorização judicial para interceptar telefones dos policiais do Deic, incluindo até o então diretor, Ranolfo Vieira Junior – atual chefe de Polícia – que na data do fato estava em férias e não participou da operação. A medida visava a evitar uma suposta manobra entre os policiais para embaralhar o caso, o que acabou não se comprovando.

O agente Mohamad Jehad Ali Tayeh, da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos do Deic, apresentou-se à Cogepol como sendo a pessoa que portava a submetralhadora, admitiu ter disparado cerca de 10 vezes na direção de Diolinda, mas negou ter atirado em Chiquinho. Ele foi o primeiro a ver o menino ferido e providenciou socorro.

Perícia não ajudou

O exame de balística realizado pelo Instituto-geral de Perícias (IGP) não conseguiu definir de qual arma partiu o tiro que matou Chiquinho. Testes com três submetralhadoras apresentadas pelo Deic não produziram ranhuras em munições iguais às encontradas no projetil que matou o menino. Mesmo assim, o agente Mohamad Jehad Ali Tayeh foi indiciado por homicídio, e o inquérito, remetido para a Justiça de Terra de Areia.

O Ministério Público (MP) solicitou uma segunda perícia ao Instituto Nacional de Criminalista, da Polícia Federal, em Brasília, considerado o melhor do país. O laudo confirmou a impossibilidade de apontar a arma que matou Chiquinho.

À pedido do MP, a Justiça arquivou o inquérito em agosto de 2009. Um mês antes, Mohamad, inspetor em estágio probatório, foi exonerado da Polícia Civil. Em abril de 2005, em São Leopoldo, ele tinha participado de uma abordagem policial a tiros com um colega que deixou um homem de 26 anos paraplégico. O caso tramita na Justiça. Mohamad requereu revisão da decisão administrativa da exoneração.


Contraponto - O que diz o advogado Marcelo Marcante Flores, defensor de Mohamad Jehad Ali Tayeh:

“O MP agiu corretamente ao requerer o arquivamento do inquérito tendo em vista que a prova pericial foi inconclusiva, não podendo apurar qual arma atingiu a criança. O Mohamad afirma que não atirou no menino e foi quem socorreu a criança. Em relação ao caso de São Leopoldo, os fatos estão sendo apurados, o processo está em tramitação, e no decorrer dele será comprovada a sua inocência.”

O desabafo de um pai

“Isso é uma vergonha. A única vítima de tudo isso foi meu filho. Dói demais. Minha mulher tinha dificuldade de engravidar, e aconteceu isso. Nossa vida acabou. Era meu único filho.Agora, ganhamos um tratamento com inseminação artificial, vamos ter outro filho em março. O Chiquinho foi com a madrinha dele e o namorado dela (Deivit Luiz Pedroso) para a praia. Era a primeira e única vez que o guri foi a praia. Não imaginava que o rapaz tinha envolvimento com crime. Fui vinculado à quadrilha do Seco. Fiquei dois anos com o nome bloqueado sem poder transportar cargas. Foram muitas dificuldades, até fome passei. O Estado não me ajudou em nada. Vou entrar com uma ação judicial.” Relato do caminhoneiro Daniel Bernardino Machado Ferreira, 34 anos, pai de Chiquinho.

Entenda o caso

O QUE ACONTECEU - O menino Francisco Daniel Talasca Ferreira foi morto em 14 de janeiro de 2006 em uma operação policial para prender o assaltante José Carlos dos Santos, o Seco, que planejava o maior assalto no Estado. O menino foi atingido no rosto em meio a um troca de tiros em um camping, em Terra de Areia, no Litoral Norte.

COMO FICOU - Dois exames de balística, realizados pelo Instituto-geral de Perícias, em Porto Alegre, e pelo Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília, não conseguiram apontar de qual arma saiu o tiro que matou o menino Francisco Daniel Talasca Ferreira. Diante do laudo pericial, o Ministério Publico solicitou, e a Justiça acolheu, o pedido de arquivamento do inquérito policial que apontava o ex-inspetor Mohamad Jehad Ali Tayeh como autor do tiro. A decisão foi em agosto de 2009. O caso pode ser reaberto caso apareça nova prova antes da prescrição, em 2026.

- Juarez dos Santos Diolinda, 39 anos, responde a processo por duas tentativas de homicídio contra policiais do Deic e lavagem de dinheiro (comprar carros e bens com produto de roubos). A companheira de Diolinda, Elisangela da Silva Claro, também responde a processo por lavagem de dinheiro. Condenado a 22 anos de prisão em processo de 2004, Diolinda cumpre pena em regime semiaberto em São Leopoldo;

- Deivit Luiz Pedroso, 29 anos, foi acusado de receptação de carro roubado, clonagem e lavagem de dinheiro. Condenado a 18 anos em um processo por roubo, está foragido desde outubro do semiaberto do Instituto Penal de Mariante.

ÁUREA - Libertados acusados de tentar matar PM

Após cerca de 50 dias presos, os acusados de tentativa de homicídio contra um policial militar, roubo e dano ao patrimônio em Áurea, no norte do Estado, vão responder ao processo em liberdade. A decisão foi tomada ontem à tarde pela Justiça após audiência que durou mais de quatro horas.

Como os réus estão soltos, não há prazo para sentença. O caso gerou polêmica após um abaixo-assinado reunir cerca de mil assinaturas pedindo a liberação de um dos presos em outubro, o empresário Ricardo Mostifaga, 27 anos. Apesar da mobilização, a Justiça negou o pedido de liberdade feito com o abaixo-assinado.

CRUELDADE - TAXISTA DE 78 ANOS É ASSASSINADO EM PORTO ALEGRE

CORRIDA FATAL. Motorista, que atuava em Alvorada, foi atacado a faca por dois jovens no bairro Rubem Berta, na zona norte de Porto Alegre - LETÍCIA BARBIERI, ZERO HORA 22/11/2011

O relógio batia perto das 17h, e o taxista Pedro dos Santos, 78 anos, já tinha se despedido dos colegas de ponto, na Parada 43, em Alvorada, quando dois jovens apareceram. Ele decidiu fazer uma última corrida do dia. Percorreu três quilômetros até o destino apontado pela dupla: Rua Marupá, via sem saída, do bairro Rubem Berta, já na Capital. Rendido com uma faca de cozinha pelas costas, perdeu a carteira, o celular e a vida com dois golpes no pescoço.

Ferido, o homem conhecido como Amigo ainda conseguiu sair do carro e pedir socorro. A dona de casa Lucia Laureano, 53 anos, foi quem ouviu primeiro. Gritou rápido para a vizinha Miriam Silva, 61 anos, ajudar a acudir. Com uma toalha em mãos, as duas estancaram o ferimento e pediam para ele aguentar mais um pouco – sentindo-se fraco, foi colocado de volta no carro. Nessa hora, o padeiro Jairo Alves, 39 anos, correu até o posto de saúde e voltou com as enfermeiras, mas já era tarde. Após 44 anos de profissão, Santos morreu no local.

O Gol prata ficou parado junto ao meio-fio. A faca foi encontrada no banco traseiro. Moradores testemunharam os criminosos correndo um para cada lado. O preço da corrida ficou marcado no taxímetro: R$ 14,45.

– Não foi encontrada a pochete dele com o dinheiro, nem o celular. Só o sumiço do telefone já caracteriza o latrocínio (roubo seguido de morte). Será investigado pela Delegacia de Roubos, que é especializada em casos assim. Já temos as características dos suspeitos e vamos juntá-las aos dados da perícia – informou o delegado Cristiano de Castro Reschke, da equipe volante da Polícia Civil.

A presença dos assassino intimidou os moradores da Rua Marupá, que revelaram os momentos de tensão quando ouviram os gritos do taxista.

– Ele abriu a porta do carro e saiu com a mão no pescoço. Dizia “socorro, me ajuda”. Eu saí no portão, mas, quando vi o assaltante, voltei. Não ouvi tiro, mas não sabia se ele estava armado. Quando ele dobrou a esquina, corri para acudir – contou a dona de casa Lucia Laureano.

Com uma toalha em mãos, Miriam Silva segurou firme o ferimento. Ele mesmo tirou os óculos e queria falar, mas não podia.

– A gente fez o que pode. Tentamos de tudo, mas não deu – lamentou Miriam.


CORRIDA FATAL. Vítima trabalhava como motorista há 44 anos

Olhares perplexos miravam o carro prata, a paixão do patriarca da família. Filha do taxista Pedro dos Santos, Rejane dos Santos, 58 anos, contou que o primeiro compromisso do dia do pai ontem foi uma consulta médica para conferir exames de rotina. A saúde de ferro de Santos permitia que ele trabalhasse desde o amanhecer até o final da tarde.

– Por que fizeram isso com o meu pai? Por R$ 15? Ele não reagiria a um assalto, não foi o primeiro – lamentou Rejane.

Santos foi um dos fundadores do ponto da Parada 43, em Alvorada, e destacado pelos colegas como o mais antigo taxista em atividade em Alvorada.

– Por segurança, ele tinha o cuidado de só pegar clientes no ponto, nunca na rua. Eles foram no ponto. Hoje (ontem), não consigo mais trabalhar – observou o taxista Anderson Colares, 33 anos.

TAQUARA - Morto a tiros

O corpo de um homem foi encontrado com marcas de pelo menos três tiros na manhã de ontem em Taquara, no Vale do Paranhana. Luciano Correia Francisco, 22 anos, estava caído na Estrada do Matadouro na localidade de Santa Cruz da Concórdia, quando foi localizado, por volta das 9h. De acordo com a Polícia Civil, não há testemunhas do crime.

VIAMÃO - Homem assassinado

A polícia não descarta que Marco Landio Silva dos Reis, 38 anos, tenha tido uma moto roubada antes de ser morto a tiros, no começo da manhã de ontem, em um matagal à beira da Estrada do Cocão, em Viamão. Junto ao corpo, foi encontrado um capacete preto. Ainda não há suspeitos do crime.