SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 13 de março de 2012

ESCÁRNIO A CÉU ABERTO


SUA SEGURANÇA | Humberto Trezzi, ZERO HORA 13/03/2012

Poucas visões são tão humilhantes como a do seu próprio carro com os dois eixos no chão, com ares de sucata. Os ladrões que levaram as quatro rodas do C3 no bairro Menino Deus parecem debochar da polícia. O inconsciente coletivo até já se acostumou com o roubo e o furto de veículos, feitos às escuras, longe da visão dos donos e dos policiais. Muito diferente é desmanchar um automóvel à luz do dia.

É um escárnio, e a sociedade aguarda uma resposta. Faltam PMs naquela região, uma das áreas mais movimentadas da Capital? Pois ladrões não faltam. Entrevistei uma vez um ladrão de carros que age no Menino Deus. Era um profissional. Na maioria das vezes, levava o carro no furto, sem que o dono percebesse. Em raras ocasiões, apelava para o assalto. Esse criminoso levava o carro inteiro, para ter o chassis remarcado. Não era viciado em drogas.

Furtos em veículo (quando apenas uma parte do automóvel é levada) costumam ser obra de dependentes de droga. O objeto furtado é trocado por crack ou cocaína. Um pouco mais difícil é esconder quatro rodas. Parece coisa de profissional. Só que um profissional debochado.

Um comentário:

Coronel Vanin disse...

Acho que não há nenhum deboche a policia, mas sim a própria sociedade, se e somente se esses meliantes tivessem sido presos em flagrante, quanto tempo eles ficariam presos até o próximo evento criminoso, e se não tivessem sido presos em flagrantes, mas sim o receptador (que sabem que está comprado objeto, oriundo de furto) nem sequer chegaria perto do presidio, é assim a lei, por tanto deboche mesmo são estas leis que nós temos, é este sistema que está posto, será que este repórter ainda não percebeu que a questão é muito mais profunda e envolve questões do legislativo e do sistema judiciário.