SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 28 de julho de 2012

ESPORTES E SEGURANÇA PÚBLICA



WANDERLEY SOARES, O SUL. 

Porto Alegre, Sábado, 28 de Julho de 2012.


Nas escolas públicas, os equipamentos para os professores de educação física vão um pouco além de surradas bolas, redes de vôlei carcomidas e quadras polivalentes da pior qualidade.

As políticas de segurança, saúde e de educação compreendem o tripé que poderá conter o avanço da violência e da criminalidade. Na educação está a mais fértil seara para o desenvolvimento de todas as atividades esportivas a partir, até mesmo, das escolas maternais, com ênfase máxima nas universidades, o que está longe de acontecer no Brasil. Acontecimentos como a Olimpíada de Londres, que teve ontem a sua abertura oficial, e a Olimpíada de 2016, que ocorrerá no Brasil, deveriam, independente da euforia inconsequente de viajores deslumbrados, servir de base consciente para eliminar ódios que medram em preconceitos de todos os tipos e também de uma barreira permanente e crescente contra as drogas, lícitas e ilícitas. A participação de nosso País em olimpíadas, considerando nossas dimensões continentais, tem sido, no conjunto, de uma modéstia até mesmo vexaminosa. E, por ora, não poderia ser diferente. Nas escolas públicas os equipamentos para os professores de educação física vão um pouco além de surradas bolas, redes de vôlei carcomidas e quadras polivalentes da pior qualidade. E na mídia, grande parte de coleguinhas ainda não sabe que em Londres está acontecendo "uma olimpíada" e não "as olimpíadas".

Ladrão

Após roubar um carro na Zona Norte da Capital, ontem, um bandido foi perseguido pela Brigada Militar e se refugiou no centro comercial da avenida João Pessoa e fez um segurança de refém. Depois de meia hora, ele se entregou.

Viajante

Um homem foi preso portando quase um quilo de crack na rodovia de Cruz Alta, Noroeste do Estado. Segundo a Polícia Militar, Vilmar dos Santos Okaszeski, 27 anos, havia saído de Santa Maria em um ônibus e desembarcou em Cruz Alta para pegar outro ônibus em direção a Ijuí, quando foi detido.

Chacina

A Polícia Civil identificou suspeitos de terem cometido um triplo homicídio, ocorrido na madrugada de ontem, em São Leopoldo. Pelo menos um homem entrou armado numa residência, no bairro Arroio da Mantega, e disparou vários tiros. Três pessoas morreram e uma resultou ferida. De acordo com o delegado Alencar Carraro, o alvo do matador seria uma ou duas das cinco pessoas que estavam na casa. Angelita dos Santos Gama, de 42 anos, que teve identidade confirmada até o final da tarde de ontem.

Fórum

Diversas armas foram furtadas no Fórum de Bom Jesus, na madrugada desta quinta-feira. Pelo menos sete portas foram arrombadas até o local onde eram guardadas cerca de 400 armas, entre submetralhadoras, fuzis, pistolas e revólveres. A Polícia Civil adiantou que o crime foi praticado por quatro ou cinco homens. Um Fiat Uno cinza foi utilizado na fuga.

Presídio

A Ajuris vai encaminhar à OEA (Organização dos Estados Americanos) denúncia sobre as condições do Presídio Central de Porto Alegre. O documento citará a violação de direitos humanos. Atualmente, 4.389 presos cumprem pena num espaço para dois mil. O presidente em exercício da Ajuris, Eugênio Terra, argumenta que o prazo de 90 dias acertado com a Secretaria Estadual da Segurança está terminando e poucas medidas concretas foram tomadas. O que terá de positivo tal denúncia é alguma coisa impossível de prever.

OPINIÃO: O QUE DEVE SER FEITO PARA REDUZIR HOMICÍDIOS ENTRE JOVENS

ZERO HORA 28 de julho de 2012 | N° 17144

OPINIÃO DO LEITOR

O que deve ser feito para reduzir o crescente número de homicídios entre os jovens no Estado?

Para reduzir o crescente número de homicídios entre os jovens no Estado serão necessário três coisas:1º) Acabar com as drogas que circulam em nosso país; 2º) Acabar com as drogas que circulam em nosso país; 3º) Acabar com as drogas que circulam em nosso país. Tomada essas três providências, os problemas de homicídio entre os jovens estarão resolvidos. Virgílio Melhado Passoni, Aposentado – Jandaia do Sul (PR)

A prisão de traficantes e seus financiadores, os drogados. Estados que têm mais presos têm menos homicídios. Os que têm menos presos têm uma explosão deles. Paulo Bandarra, Médico – Porto Alegre

Alguns pontos que entendo essenciais para a redução de homicídios entre jovens: 1) Educação responsável em casa, iniciada pelos pais, sempre objetivando o respeito à vida e aos direitos de seu semelhante; 2) Diálogo de orientação entre pais e professores, a respeito da vida nas drogas e suas consequências destrutivas; 3) Penalizar o consumo de drogas; 4) Leis firmes para crimes contra a vida e tráfico de drogas, que demonstrem um legislador não alheio ao massacre dos jovens de seu povo. Adair Trindade, Funcionário público – Porto Alegre

Devem existir ações públicas que atendam às famílias com compromisso e seriedade, pois esta instituição, já esquecida pelos governantes, tem que se fortalecer no conhecimento, confiança e nos valores. Eloisa Menezes Pereira, Professora – Porto Alegre

Começando pela responsabilização de seus respectivos progenitores que se isentam do processo educativo. Não colocam limites, onde tudo, tudo mesmo é permitido. E assim vão se criando minimarginais. Nunca escutam um não, nunca se frustram, consideram-se, assim, o centro de tudo. Depois, quando os pais percebem, têm apenas que lamentar sua inépcia. Marilena Turra, Veterinária – Blumenau (SC)

Nada. Só assim eles não crescerão e não vão incomodar quando adultos. Imaginem quanta bronca um sujeito desses vai criar até ficar mais velho se, quando novo, já é um marginal desses? Milton Ubiratan Rodrigues Jardim, Aposentado – Torres

CHACINA DEIXA TRÊS MORTOS E UM FERIDO

ZERO HORA 28 de julho de 2012 | N° 17144

SÃO LEOPOLDO. Chacina deixa três mortos e um ferido. Vítimas estavam em casa, que foi invadida por atirador.

CAROLINA ROCHA 

“Cadê a droga? Cadê a droga?” Os gritos de um homem armado surpreenderam, pela segunda vez na semana, as pessoas que estavam em uma casa da Rua Jacarandá, no Loteamento Tancredo Neves, no bairro Arroio da Manteiga, em São Leopoldo. Repetiu a mesma cena de três dias antes, quando colocou todos que estavam na casa deitados no chão da cozinha.

Mas, dessa vez, o enredo foi muito além do susto: a casa virou palco de uma chacina. Três mortos e uma pessoa gravemente ferida.

Logo depois da meia noite de quinta-feira, o atirador entrou na residência armado com um revólver calibre 38. Num dos cômodos, divididos apenas pelos móveis, estavam Angelita dos Santos Gama, 42 anos, e outros três homens. Os quatro foram obrigados a deitar, depois de os roupeiros já terem sido revirados. Em outro canto da casa, com cerca de 35m², uma testemunha conseguiu escapar.

– Já tínhamos informações de que esse fosse um local de uso e venda de drogas – explicou o titular da Delegacia de Homicídios de São Leopoldo, o delegado Alencar Carraro.

Polícia já tem suspeitas do autor e do mandante do crime

Angelita e seu namorado, identificado pela polícia no dia do crime apenas como Montenegro, morreram na hora. Amigo do casal Renan Gonçalves Brochado, 26 anos, chegou a ser levado ao Hospital Centenário, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 2h. O quarto ferido, um homem de 23 anos, também foi socorrido e estava internado em estado gravíssimo no Hospital Centenário até a noite de ontem.

A testemunha que sobreviveu ao ataque contou aos policiais da Delegacia de Homicídios o que havia ocorrido. Com a ajuda do depoimento dele e de outras pessoas, os policiais já têm suspeitas do autor do crime e do mandante da chacina.

– Tudo indica um acerto de contas – explica o delegado Adriano Nonnenmacher, da 2ª DP de São Leopoldo.

Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso no Vale do Sinos.

– Depois da prisão da última quadrilha, no final do ano passado, não tivemos mais assassinatos. Foi o primeiro caso aqui este ano – explicou o delegado Adriano, responsável pelas ocorrências do Bairro Arroio da Manteiga.

Embora os policiais não confirmem, uma das hipóteses investigadas é que o triplo assassinato esteja relacionado a essa quadrilha. Há 15 dias, parte dos integrantes do bando teria sido solta por ordem judicial. Desde então, moradores do local estariam sendo ameaçados.


PORTO ALEGRE. EXECUÇÃO A TIRO. Duas mortes no Rubem Berta

Em menos de quatro horas, dois homicídios foram registrados no bairro Rubem Berta, na Capital. Por volta das 22h de quinta-feira, na Rua C da Vila Vitória da Conquista, Douglas Felipe Silva Maciel, 17 anos, foi morto com um tiro na cabeça. À 1h30min de ontem, na Nova Vila Dique, Gilberto Cunha Braga, 36 anos, foi encontrado morto a tiros.

CARAZINHO. Preso homem que matou mãe e filha

Foi preso na quinta-feira Alexandre Ohse, 24 anos, que confessou ter matado a facadas a ex-mulher e a mãe dela em Carazinho. Ao ser ouvido, Ohse admitiu ser o autor das duas mortes, mas se negou a contar as circunstâncias e o motivo dos crimes. Na segunda-feira, ele matou a facadas a ex-mulher Flávia Gonçalves Marin, 19 anos, e abandonou o corpo em uma lavoura. Depois, matou a mãe dela, Lúcia Adelaine Feldmann, 48 anos, e incendiou a casa em que ela morava com os filhos e neto.

CIRÍACO. Jogadores são assaltados em jogo de vôlei

A Polícia Civil tenta identificar cinco homens que teriam participado de um assalto na noite de quinta-feira, em Ciríaco. Eles renderam cerca de 15 pessoas que jogavam vôlei no Ginásio de Esportes da comunidade São Paulo, no interior do município. O grupo de amigos jogava na quadra, quando, por volta das 20h, cinco homens invadiram o local. Três dos assaltantes estavam encapuzados e armados com revólveres, pistolas e espingardas. Depois de anunciar o assalto, eles amarraram os homens e trancaram as mulheres no banheiro do ginásio. Ele fugiram do local no Civic de uma das vítimas e levaram mochilas, moletons e celulares. Uma das pessoas presentes conseguiu telefonar para o marido e pediu ajuda. Quando os policiais militares chegaram ao local, a porta do ginásio estava trancada, e as vítimas, apavoradas. Ninguém foi ferido. Ainda não há suspeitos.


ATIVIDADE PROFISSIONAL: SOU ASSALTANTE

ZERO HORA 28 de julho de 2012 | N° 17144

TENSÃO NA CAPITAL PORTO ALEGRE/RS

JOSÉ LUÍS COSTA 
Ladrão de carro em fuga leva pânico a shopping. Após ataque, assaltante troca tiros com a polícia e faz reféns em estabelecimento da João Pessoa

A captura de um ladrão de carro causou tumulto no final da manhã em duas das avenidas mais movimentadas da Capital e deixou em pânico funcionários e clientes do Shopping João Pessoa. Foragido da Justiça, condenado a 50 anos de prisão, Ronaldo Ferreira Alves, 43 anos, fez três pessoas reféns após roubar um carro no bairro Rio Branco, bater em outros dois veículos na Avenida Ipiranga e trocar tiros com PMs do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM).

Oepisódio mobilizou quase 50 policiais e paralisou o trânsito por quase meia hora em dois quarteirões da Avenida João Pessoa, até o ladrão se render. A perseguição teve início quando um taxista viu o ataque do ladrão à vítima e ligou para o 190.

– Mandava ele parar, mas não adiantava. Aí atirei nos pneus. Antes de entrar no shopping, ele disparou contra mim, mas errou. Ainda não tinha passado por uma situação dessas – disse o soldado Luiz Zanini, 27 anos, há três anos na BM.

Encurralado, com um revólver calibre 38 nas mãos, depois do segundo acidente, Alves correu para dentro do shopping. Naquele momento, menos de 10 pessoas estavam no local. Um rapaz é feito refém e levado para dentro das lojas Renner. Uma cliente é obrigada a deitar ao chão. Funcionários correm para se esconder.

– Quando ele mandou eu me abaixar, comecei a orar e desmaiei – contou Quelim Silva Andrade.

Comandante do 9º BPM negociou a rendição

No momento da perseguição a pé, o soldado Juliano Silveira, 38 anos, seguia com uma viatura pela João Pessoa, levando o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Jorge Renato Maia, para o quartel. Os dois pararam no local, e Silveira assumiu as negociações com Alves, fazendo-o se entregar.

– Esse homem entrou aqui com a ideia de se misturar com as pessoas e escapar da polícia. Se ficasse na rua, seria pego. O shopping é um local tranquilo, tem segurança reforçada. Graças a Deus, não teve tiros aqui dentro, ninguém ficou ferido – comentou Marise Ugalde, da administração do shopping.

ENTREVISTA - “Sou assaltante”. Ronaldo Ferreira Alves Preso por roubo de carro

Sentado no saguão da Área Judiciária do Palácio da Polícia Civil à espera de ser autuado em flagrante por roubo de carro, Ronaldo Ferreira Alves, 43 anos, falou com Zero Hora. Condenado até 2.042 por roubo, homicídio, tráfico e receptação, disse que é assaltante profissional, não teme ser preso nem se arrepende do que fez.

Zero Hora – Qual sua atividade profissional?

Ronaldo Ferreira Alves – Sou assaltante.

ZH – Há quanto tempo você pratica assaltos?

Alves – 23 anos.

ZH – O aconteceu que o senhor foi preso?

Alves – Tô só pela fuga.

ZH – Fugiu quando?

Alves – Faz um mês.

ZH – De onde?

Alves – Da CPA (Colônia Penal Agrícola de Charqueadas).

ZH – Qual o seu crime, assalto?

Alves – Só.

ZH – Qual a sua pena?

Alves– Acho que está em 240 anos (na verdade, é 50 anos).

ZH – Não pode...

Alves – Então olha aí na delegacia, se não acredita na minha palavra. Olha o que eu faço. Cada vez que eu saio (da prisão) para a rua e eu causo transtornos para as pessoas.

ZH – O que aconteceu hoje?

Alves – Eu vinha vindo, a polícia me abordou, dei dois tiros neles e entrei para dentro do shopping.

ZH – O senhor pegou um segurança de refém?

Alves – Peguei ele só para me refugiar e me entregar depois. Tava vendo muito polícia na minha volta.

ZH – O senhor roubou o carro à mão armada de uma mulher?

Alves – Era uma senhora com uma criança. Ela pediu para tirar a filha do banco traseiro. Eu falei, pode tirar, senhora. E saíram tudo bem. Não apontei arma.

ZH – O que o senhor falou para ela?

Alves – Disse: Não é nada contra a senhora. Ela dizia para não arrancar (o carro). E eu disse, pode tirar o seu nenê, calmamente, não temos pressa.

ZH – Em que rua foi isso?

Alves – Eu não sei, seu. Tô há 20 anos preso.

ZH – O senhor vai voltar para cadeia...

Alves – Eu sei.

ZH – Está arrependido?

Alves – Eu não. Eu vou sair de lá. Seja o tempo que for, eu saio.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

DOIS HOMICÍDIOS EM MENOS DE 4 HORAS EM PORTO ALEGRE/RS

ZERO HORA ONLINE 27/07/2012 | 04h19

Dois homicídios em menos de quatro horas são registrados na zona norte de Porto Alegre. Ambos assassinatos ocorreram no bairro Rubem Berta


Um jovem foi encontrado morto próximo ao Colégio Estadual Ildo Meneghetti, no Rubem BertaFoto: Bruno Alencastro / Agencia RBS


O bairro Rubem Berta, na zona norte da Capital, registrou dois homicídios em menos de quatro horas. O primeiro aconteceu por volta das 22h na Avenida Plínio Kroeff, na Rua C, próximo ao sambódromo.

Segundo a Brigada Militar, Douglas Felipe Silva Maciel, 20 anos, foi atingido com um tiro na cabeça. Ele não tinha passagens pela polícia.

À 1h30min, um outro assassinato foi registrado no mesmo bairro. Na Avenida Bernardino Silveira Pastoriza, próximo ao Colégio Estadual Ildo Meneghetti, um jovem foi encontrado morto. Gilberto Cunha Braga, 36 anos, tinha diversos disparos de arma espalhados pelo corpo. De acordo com a polícia, ele tinha passagens criminais por homicídio.

FORAGIDO ATACA E FAZ REFÉM

ZERO HORA ONLINE  27/07/2012 | 14h05

BM faz cerco a shopping por 30 minutos em assalto com refém. Após negociação, policiais prenderam suspeito de fugir da colônia penal de Charqueadas

Um homem de 43 anos foragido da Colônia Penal de Charqueadas fez dois reféns na manhã desta sexta-feira no Shopping João Pessoa, na Capital.

O foragido roubou um Chevrolet Agile cinza de uma mulher que estava com uma criança na cadeirinha no banco traseiro. Esperou a vítima descer com a criança e fugiu com o carro. Um taxista viu o que acontecia e notificou a Brigada Militar pelo número 190.

PMs que estavam na região iniciaram perseguição na Avenida Silva Só. Na esquina com a Avenida Ipiranga, o homem bateu em um outro Agile e seguiu em fuga na Avenida Ipiranga em direção ao Centro.

Na esquina com a Rua Delegado Grant, bateu em uma motocicleta, desceu do carro e fugiu a pé em direção ao Shopping João Pessoa. Entrou em uma loja e fazia um homem e uma mulher como reféns quando um vigilante se prontificou a ficar no lugar deles.

Cerca de meia hora depois, o homem se entregou na porta da loja onde estava e foi autuado em flagrante, com um revolver calibre 38.

O cerco

Mobilizando um forte esquema policial, a Brigada Militar cercou o Shopping João Pessoa, na Capital.

Devido à ocorrência, o estacionamento do shopping ficou fechado. Depois de o trânsito ter sido interrompido no sentido bairro-Centro, o fluxo começou a ser liberado por volta das 12h10min.

BANDIDOS INVADEM GINÁSIO E ASSALTAM GRUPO DE AMIGOS

ZERO HORA ONLINE 27/07/2012 | 11h56

Assaltantes invadem ginásio e fazem grupo de amigos refém durante jogo de vôlei em Ciríaco, no norte do Estado. Polícia Civil tenta identificar os bandidos que fugiram levando um Honda Civic

Marielise Ferreira

A Polícia Civil tenta identificar cinco homens que teriam participado de um assalto na noite de quinta-feira, em Ciríaco. Eles renderam cerca de 15 pessoas que jogavam voleibol no Ginásio de Esportes da comunidade São Paulo, no interior do município.

O grupo de amigos jogava na quadra, quando por volta das 20h, cinco homens invadiram o local. Três dos assaltantes estavam encapuzados e armados com revólveres, pistolas e espingardas.

Depois de anunciar o assalto, eles amarraram os homens e trancaram as mulheres no banheiro do ginásio. Ele fugiram do local no Honda Civic de uma das vítimas, e levaram mochilas, moletons e celulares. Uma das pessoas presentes conseguiu telefonar para o marido e pediu ajuda.

Quando os policiais militares chegaram ao local, a porta do ginásio estava trancada e as vítimas apavoradas. Ninguém foi ferido.

A ocorrência foi atendida pela equipe volante da Delegacia de Pronto Atendimento de Passo Fundo e a Polícia Civil da cidade deve investigar o fato. Ainda não há suspeitos.

DEVAGAR

ZERO HORA 27/07/2012

PÁGINA 10 | LETÍCIA DUARTE (Interina)

Projetada para ser uma vitrine de seu governo, a área da segurança ainda não deslanchou como o governador Tarso Genro gostaria.

Integrantes da cúpula do governo relatam que Tarso, que foi ministro da Justiça, tem se envolvido pessoalmente na gestão da pasta para tentar acelerar os projetos na área.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Enquanto vigorar a visão micro (míope) dos políticos e magistrados que governam o Brasil, a segurança pública não vai deslanchar, seja quais forem os governos, ideologias, promessas, estratégias e outras políticas demagógicas. Esta visão míope só consegue enxergar as soluções nas forças policiais e prisionais, esquecendo a importância do envolvimento, comprometimento e responsabilidades do judiciário, do ministério público, da defensoria, da saúde e da educação. A solução passa necessariamente por uma nova e macro visão de segurança pública onde se passa a vislumbrar os poderes, as instituições e os vários processos que são essenciais na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. 

CHACINA EM SÃO PAULO

27 de julho de 2012 | 3h 03

7 são mortos no Jaçanã; um dia antes, Rota mandou população ficar em casa 

BRUNO PAES MANSO, RICARDO VALOTA - O Estado de S.Paulo

Em apenas quatro horas, das 21h30 de quarta-feira à 1h30 de ontem, sete pessoas foram assassinadas em três locais da zona norte, em um raio de 1,5 km, na região do Jaçanã. O primeiro caso foi uma chacina com quatro mortos. O local do crime, a Rua do Morro do Livramento, na Vila Nova Galvão, fica a menos de 200 metros do lugar onde um soldado das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) foi baleado com três tiros de fuzil dois dias antes.

A chacina aconteceu depois que quatro homens encapuzados entraram atirando no Lava-Rápido do Césinha, no momento em que um grupo jogava baralho. O local, que funciona há pelo menos sete anos, é usado como estacionamento para funcionários do posto de saúde vizinho. O dono do estabelecimento, César Conceição Lopes, de 44 anos, seu funcionário Isaque Pereira Lima, de 20, e Leonardo Pereira Oliveira, de 17, que morava perto do local do crime, morreram na hora. O comerciante Dercy Guilhermino Marques, que vendia batatas fritas nas ruas do bairro, morreu ontem. Carros da PM socorreram Isaque e Leonardo. Os demais foram levados pelos vizinhos para hospitais. Nenhum dos quatro tinha antecedentes criminais.

Na terça e na quarta-feira, segundo moradores, pelo menos seis viaturas da Rota circularam pela área pedindo informações sobre o atentado ao soldado Anderson Andrade de Sales na segunda-feira. O policial sobreviveu.

Moradora há 50 anos da Vila Nova Galvão, uma senhora, que pediu para não ser identificada, contou que até mulheres foram abordadas para passar informações a respeito dos autores do atentado. Nas abordagens, segundo um jovem revistado pelos policiais, moradores eram informados de que não deveriam ficar na rua depois das 20 horas.

Vizinhos do estacionamento disseram que viaturas da Rota estiveram duas vezes no local antes da chacina. "Os tiros foram durante a novela (das 21h). Tivemos de pular no chão para não ser atingidos dentro de casa. Há anos não ouvíamos notícia de violência no bairro", disse uma vizinha.

'Biqueira'. No segundo caso, por volta da 1 hora, Daniel Silva de Melo, de 21 anos, morreu em uma viela com dois tiros. Ele estava na Rua Águas de Chapecó e tinha antecedente criminal por tráfico. Segundo o PM que depôs na delegacia, o lugar era uma "biqueira" que vendia drogas.

No terceiro caso, 30 minutos depois, novamente duas motos com dois homens mascarados atingiram mais dois jovens: Igor Góes, que era órfão e havia se mudado para o bairro para morar com os avós, e Lucas, que não teve o sobrenome revelado e no bairro era conhecido como Aliado. Eles não tinham passagem pela polícia e morreram na hora.

OUTRAS EXECUÇÕES NO RS

ZERO HORA 27 de julho de 2012

PORTO ALEGRE - Execução na rua

A Delegacia de Homicídios trabalha na identificação de um homem morto a tiros por volta da 1h30min de ontem, na Rua Voluntários da Pátria, bairro Floresta, na Capital. Ele estava parado na calçada quando foi atingido. Os atiradores teriam passado por ele em um carro e fugido.

ESTEIO - Sob viaduto

O corpo de um homem foi encontrado com pelo menos um tiro na cabeça por volta da 1h40min de ontem debaixo do viaduto da BR-116, em Esteio. Identificado como João Henrique dos Santos Seixas, 48 anos, ele seria morador de rua e costumava dormir naquele local.

PORTO ALEGRE - Homem morre em briga na Osvaldo Aranha

Uma briga, supostamente entre dois moradores de rua, resultou na morte a facadas de Wando Esequiel Lenhart, 27 anos, na madrugada de ontem na Avenida Osvaldo Aranha, próximo ao HPS, na Capital. De acordo com a Brigada Militar, há suspeita de que ele estava sob efeito de droga. Conforme testemunhas, no final da noite Lenhart havia dado entrada no HPS com um ferimento na testa. Mesmo medicado, ele teria reclamado e causou tumulto dentro do hospital. Pouco tempo depois, por volta da 1h, foi novamente visto nas proximidades do hospital. Dessa vez, ele brigava com um suposto morador de rua. Os dois estariam armados com facas. Wando Esequiel morreu no local e o seu agressor, de 53 anos, com um ferimento em uma das pernas, foi encaminhado à Área Judiciária.

NOVO HAMBURGO - Morre outra vítima de adolescente

Morreu na noite de quarta-feira mais uma vítima de um adolescente, assassino confesso, aprendido pela Polícia Civil de Novo Hamburgo. No dia 20, o garoto de 14 anos teria atirado contra Marco Antônio Bica da silva, 21 anos, e Lucas Andrei da Silva Godoy, 18 anos. Marco morreu na hora. Lucas foi socorrido e levado ao Hospital Municipal de Novo Hamburgo. Na quarta-feira, por volta da 22h, ele morreu. Com a morte, sobe para quatro o número de pessoas assassinadas pelo adolescente.


quinta-feira, 26 de julho de 2012

EXECUTADOS TAXISTA E JOVEM

ZERO HORA 26 de julho de 2012 | N° 17142

PORTO ALEGRE. Taxista é morto a tiros após corrrida na Zona Sul

EDUARDO TORRES 

Nos próximos dias, a polícia tentaria, pela quarta vez no ano, a prisão do principal suspeito de mandar matar Priscila Dornelles, 23 anos, em janeiro. Mas dessa vez a 1ª DP de Canoas nem terá como receber uma resposta do Judiciário. André Luís Martins Figueiredo, 31 anos, foi executado com pelo menos cinco tiros. O crime ocorreu na madrugada de ontem, enquanto a vítima trabalhava como taxista no bairro Ipanema, zona sul da Capital.

De acordo com a polícia, a hipótese de latrocínio (roubo com morte) é descartada. Foi uma execução, segundo a polícia. Qualquer relação com o crime que ainda amedrontava a família da jovem, ex-namorada de Figueiredo, é evitada pelos investigadores.

– A relação é prematura. Ainda estamos no começo da investigação – disse a delegada Adriana Múncio Gomes.

Por volta das 3h50min, Figueiredo encerrava, na Rua Pirajá, uma corrida iniciada na Avenida Independência. Dois jovens teriam embarcado no táxi e um já havia desembarcado. Quando o segundo chegava ao seu endereço e se preparava para descer do veículo, ouviu os tiros e se abaixou. Um carro escuro teria parado ao lado do táxi e um homem desceu atirando diretamente contra Figueiredo. O matador não usou disfarce para encobrir o rosto. Ainda assim, não foi identificado pela polícia até ontem. De acordo com a delegada Adriana, câmeras de monitoramento próximas podem ser requisitadas pela investigação.

ZERO HORA ONLINE

PORTO ALEGRE - Jovem é executado no Bairro Bom Jesus. Filipe Maciel Barcelos tinha 20 anos e antecedentes por tráfico

Letícia Barbieri

Um jovem foi executado no começo da noite desta quinta-feira, no Bairro Bom Jesus, na Capital. O corpo de Filipe Maciel Barcelos, 20 anos, foi encontrado pela Brigada Militar em um dos becos da vila Mato Sampaio.  De acordo com a BM, ele tinha antecedentes por tráfico e foi executado com um tiro na cabeça.




GAROTO DE 14 ANOS TERIA MATADO TRÊS

ZERO HORA 26 de julho de 2012 | N° 17142

REVELAÇÃO SURPREENDENTE

CAROLINA ROCHA 
– Vou me entregar, mas preciso matar dois antes. Essa frase, dita por um adolescente de 14 anos, surpreendeu na tarde de terça-feira os policiais da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo.

Apontado como autor de três assassinatos e de outras três tentativas, o garoto ligou para avisar que sabia que policiais estavam à procura dele.

Na manhã de ontem, antes que pudesse fazer duas novas vítimas, o adolescente foi detido. Com internação já decretada pela Justiça, o garoto foi encontrado pela equipe do delegado Enizaldo Plentz na casa de um comparsa, na Rua 32 da Vila Brás, em São Leopoldo. Com ele, os policiais encontraram ainda um revólver calibre 38, municiado.

As investigações da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo identificaram o adolescente como autor ou participante em três assassinatos. O último, ocorrido na sexta-feira passada, no bairro Santo Afonso. Todos os crimes foram praticados no bairro.

– Ainda não sabemos a motivação dele. Pode ter sido por desacerto ou desavença. Mas não há histórico de tráfico na ficha dele – revela Plentz.

No ano passado, o garoto já havia sido apreendido por receptação e porte ilegal de arma. No final da manhã de ontem, após confessar participação nos crimes, foi levado ao Centro de Atendimento Socioeeducativo (Case) de Novo Hamburgo.

GOVERNO CEGO

ZERO HORA 26 de julho de 2012 | N° 17142. ARTIGOS

Nicole Pozza*


O episódio do assassinato de Tommaso Lotto, um italiano que chegou ao Brasil na última sexta-feira para viver no país, é lamentável. A falta de segurança nas cidades, principalmente nas grandes capitais, faz da realidade brasileira algo que deve ser profundamente reavaliado pelo governo, ainda mais com a Copa do Mundo e a Olimpíada que se aproximam e o interesse dos turistas em visitar, se divertir e assistir aos jogos em 2014 e 2016.

É um perigo que se alastra por toda parte, mas os estrangeiros são os mais indefesos, sabendo menos ainda como reagir a assaltos em um país completamente imaturo e diferente dos mais desenvolvidos. Acompanhado de um amigo espanhol que morava em São Paulo, Tommaso simplesmente abriu a porta quando foi pego de surpresa por dois assaltantes que portavam armas de fogo. Foi um choque: o italiano talvez pensou que essa fosse a melhor saída – sair do veículo e mostrar que estava desarmado. O espanhol, também não sabendo como agir, fugiu rapidamente do carro e se escondeu atrás de uma banca de jornais, tremendo.

Gosto de ser brasileira, mas tem vezes que dá vergonha. Tive uma experiência de um ano em Milão, na Itália. Cursei pós-graduação e conheci novas pessoas e cultura. Era estranho e, ao mesmo tempo, saudável para mim mesma como ser humano: cheguei a frequentar as ruas e um rico transporte público durante noites e madrugadas e nada acontecia. Não sei se gostei mais da história e arquitetura europeia ou da segurança que lá existia. Posso dizer com todas as letras que dá muita saudade.

Gostaria de poder fazer festa e conversar sobre um Brasil decente com amigos estrangeiros, pedindo para que venham me visitar e assistir aos jogos durante a Copa do Mundo. Mas prefiro que fiquem onde estão. Se o governo pensa que temos uma estrutura mínima para encarar esse grande evento, está muito enganado. Após esse episódio que envolveu Tommaso e seu amigo, ficará para sempre a tristeza em uma família que acreditou que poderia dar certo. E o que mais ficará? A ideia de que o Brasil é sinônimo de nação precária, com marginais, e não um local belo para ser atração turística.

Cabe ao nosso governo agir e com urgência. A pena para esse tipo de crime deveria ser maior. Deveria existir pena perpétua para aqueles que matam dessa maneira. Se nada for feito nos próximos anos, nosso país estará acabando com a sua imagem no Exterior. A de um Brasil decepcionante, um governo absolutamente cego.

*PUBLICITÁRIA

terça-feira, 24 de julho de 2012

UM MORRE EM EMBOSCADA, OUTRO É EXECUTADO COM 15 TIROS

ZERO HORA 23/07/2012

ERECHIM - Homem é morto em emboscada

O carro em que estavam cinco amigos que passariam a madrugada de ontem em um baile em Erechim foi alvejado quando o grupo chegava ao estacionamento do clube. Anderson Castelli, 29 anos, foi morto com tiros e duas mulheres ficaram feridas – uma delas foi internado em estado grave. Os amigos são de Sertão, município distante 40 quilômetros de Erechim. De acordo com a Polícia Civil, os tiros teriam sido disparados por uma pessoa que já aguardava os amigos no estacionamento do clube onde o baile seria realizado. A polícia já identificou um suspeito do crime.

ALVORADA - Jovem é executado dentro de pizzaria

Ainda havia clientes na pizzaria da Rua 24 de Outubro, no bairro Jardim Algarve, em Alvorada, por volta das 23h de sábado, quando uma dupla entrou armada no local. Enquanto os clientes fugiam assustados, Dionir Corrêa Bitencourte, 23 anos, foi impedido pelos matadores, que o atingiram com pelo menos 15 disparos de pistola calibre .380. Os criminosos, dois homens negros, teriam fugido em um Vectra. O caso será apurado pela 1ª DP, que já trabalha com a hipótese de uma execução por possível acerto de contas. Na última quarta-feira, amparada por um hábeas, a vítima havia saído do Presídio Central, onde estava presa em flagrante por furto desde junho.

CAXIAS DO SUL - Preso suspeito de triplo homicídio

O jovem apontado pela Polícia Civil como o autor de um triplo homicídio em Caxias do Sul foi preso por PMs no começo da madrugada de sábado. Maicon Dagoberto das Neves, 25 anos, driblava cercos policiais havia quase dois meses, mas foi detido em uma casa de alto padrão em um loteamento. A residência é da namorada do rapaz. Maicon havia sido apontado por testemunhas como o autor do assassinato, em maio, dos gêmeos Cássio e Cassiano da Fonseca Pontes, 17 anos, e do irmão deles Iago da Fonseca Pontes, 13 anos.

ESTÂNCIA VELHA - Alucinógenos são apreendidos em rave

Depois de dois meses monitorando festas rave, agentes do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) localizaram na manhã de ontem uma droga sintética que estaria ganhando espaço entre os jovens. A polícia gaúcha afirma ter apreendido comprimidos da ketamina, conhecida na Europa como “k”. Por volta das 11h, dois homens, de 33 e 31 anos, foram presos em uma festa em Estância Velha, com 79 comprimidos de ecstasy e mais de 20 comprimidos da nova droga. Um deles tentou subornar os policiais e acabou autuado também por corrupção. Originalmente um analgésico para cavalos, a ketamina tem efeitos eufóricos e alucinógenos.

NOVA PÁDUA - Estourada fábrica que falsificava moedas

Uma fábrica de falsificação de dinheiro foi descoberta pela Brigada Militar na tarde de sábado em Nova Pádua, na Serra. No pavilhão, foram encontradas máquinas e matéria-prima para confeccionar moedas de R$ 1. Quatro pessoas foram presas.Foram apreendidas 20 bobinas de alumínio e aço, uma máquina de corte e uma prensa com matrizes das duas faces da moeda de R$ 1, além de 22 moedas prontas, 378 argolas douradas e 722 miolos prateados.


domingo, 22 de julho de 2012

OS PODERES DO CRIME

CORREIO DO POVO, 22/07/2012

Oscar Bessi Filho

O alerta do promotor de Justiça Flávio Okamoto, noticiado no Correio do Povo da última quinta, não surpreende. Por quê? O cenário é propício. As brechas estão escancaradas, receptivas, frágeis, pedindo que se infiltrem e se desenvolvam os piores vírus, até condenar todo o sistema social. O Primeiro Comando da Capital (PCC) quer federalizar e monopolizar o crime? Talvez consiga. Já estão organizados, espalhados, com estruturas e hierarquias definidas e objetivos bem claros. São ágeis e práticos. Já pensou? Que aula de gestão pública estes bandidos darão? Daqui a pouco, o poder que realmente mandará nas nossas vidas não será mais o Executivo, nem o Judiciário, muito menos o Legislativo. Tampouco a imprensa. Será o crime. Uau!

Como o poder público pode nos defender? Chamando o Batman? Talvez um bom começo fosse mudar a hierarquia de valores para esses investimentos que saem, sempre, do nosso bolso. Enquanto alguns assessores de deputado ganham fortunas para não fazer nada, e as verbas parlamentares - depois dos próprios salários dos parlamentares - recebem reajustes astronômicos e generosos, policiais lutam contra realidades indignas. Quer combater o crime organizado? Organize a Polícia. Proteja o cidadão. Lei forte, Polícia forte. E Polícia forte não quer dizer prepotente. Ela precisa, isto sim, ser muito do bem preparada, amparada em suas ações, bem remunerada, não pode pechinchar favorzinho privado para manter uma delegacia ou quartel funcionando, não pode ter carro de passeio comprado em licitação, não pode ter armamento menos potente que as quadrilhas. Tem que ter efetivo suficiente para ter tantos policiais nas ruas quanto seja necessário para proteger de verdade e, ao mesmo tempo, tantos treinando para que qualquer erro seja ao máximo evitado. E que esses, que estejam treinando, não façam falta nas ruas por simples carência de efetivo. Polícia forte precisa, ainda, de Corregedoria implacável contra qualquer suspeita de envolvimento com o crime - e nisso o RS é exemplo. Precisa se desburocratizar, evoluir, fazer valer a tecnologia e priorizar suas atividades lá, na rua, com o cidadão e contra o crime. Com inteligência. Só não precisa, mesmo, é de politicagem nos seus bastidores.

É. Ou se investe em segurança de verdade, e segurança pública, ou se entrega o país à federação do PCC. Aí a vida vai ficar mais complicada. Só num ponto discordo do promotor Okamoto: eles não precisam tentar eleger e infiltrar parlamentares deles na assembleia paulista, de outro estado ou, até mesmo, no Congresso. Não. Perda de tempo. Eles já têm aliados suficientes nesses lugares.

ONDA DE ATAQUES ASSUSTA O COMÉRCIO DA SERRA GAÚCHA

ZERO HORA 21 de julho de 2012 | N° 17137

ASSALTOS NA SERRA. Onda de ataques assusta o comércio

RÓGER RUFFATO | SÃO FRANCISCO DE PAULA 

Uma quadrilha é investigada pela Polícia Civil por uma série de assaltos em São Francisco de Paula, nos Campos de Cima da Serra. O grupo teria começado a agir em maio. Desde então, a polícia registrou a média de uma ocorrência por semana.

Pelo menos cinco homens são alvo das investigações. Entre os suspeitos há moradores do município. Assustados com as ações, comerciantes buscam proteção contra o que chamam de “rodízio de assaltos” e reivindicam mais segurança para a cidade com pouco mais de 21 mil habitantes.

O último assalto aconteceu no sábado passado. Por volta das 19h30min, quatro encapuzados armados invadiram o Mercado França, no bairro Rincão, a poucas quadras do Centro. A ação durou um minuto e meio. Funcionários e clientes foram obrigados a deitar no chão enquanto a quadrilha roubava dinheiro dos caixas. Os criminosos fugiram sem ferir ninguém. O prejuízo não chegou a ser contabilizado.

Conforme o delegado Daniel Reschke, serão necessários mais 30 dias para concluir as investigações:

– Apesar das semelhanças na forma de agir, a quadrilha tomou o cuidado em não utilizar o mesmo armamento ou veículos. O uso de toucas ninja também dificulta a identificação. Mas já temos alguns suspeitos.

BENTO GONÇALVES - Bando explode caixa eletrônico em posto

Bandidos armados explodiram um caixa eletrônico na madrugada de ontem em Bento Gonçalves. A ação aconteceu em um posto de combustíveis localizado na Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, no bairro Fenavinho.

Os criminososos chegaram em dois carros. Enquanto alguns bandidos instalavam explosivos no caixa, outros atiraram contra câmeras de vigilância. PMs que estavam nas proximidades ouviram os disparos e, logo depois, o estrondo da explosão. Os ladrões recolhiam o dinheiro quando a Brigada Militar chegou. Houve troca de tiros, e os criminosos fugiram com uma quantia de dinheiro não informada.

PORTO ALEGRE - Tentativa de roubo acaba em morte

Uma tentativa de assalto terminou com um suspeito morto, na tarde de ontem, em Porto Alegre. Testemunhas relataram à Brigada Militar que três homens atacaram um minimercado no Morro Santana, mas o dono reagiu a tiros, e os bandidos fugiram.

O Fox preto em que eles estavam foi localizado pouco depois na Vila das Laranjeiras. A lataria foi atingida por pelo menos 12 disparos. Maurício Martins de Alencastro, 25 anos, foi encontrado morto com um tiro na cabeça. Ele era apenado do regime semiaberto.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

UMA GUERRA BRASILEIRA

 
20 de julho de 2012 | 3h 09

OPINIÃO O Estado de S.Paulo

O índice de mortes por homicídios na população do País entre 0 e 19 anos, que era de 3,1 por 100 mil em 1980, saltou para 13,8 por 100 mil em 2010, um crescimento de 346,4%. É o que mostra o Mapa da Violência 2012 - Crianças e Adolescentes do Brasil. Coordenado pelo pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz, o trabalho define a epidemia de violência contra os jovens brasileiros: em 1980, os mortos por homicídio nessa faixa etária representavam 11% do total de casos de assassinato; 30 anos depois, esse porcentual subiu para 43%. Além disso, 11,5% das mortes de jovens em 2010 foram resultado de homicídio; em 1980, o índice era de apenas 0,7%. Para Waiselfisz, esse aumento impressionante mostra que a segurança de crianças e adolescentes não é prioridade das administrações públicas.

A pesquisa situa no tráfico de drogas o universo no qual a violência contra os jovens se manifesta de modo mais agudo. O caso da Bahia é exemplar: o envolvimento de adolescentes com o narcotráfico é visto como o principal responsável pelo fato de, das 13 cidades do País com os maiores índices de crianças e adolescentes assassinados, 8 serem baianas. A cidade que lidera a lista é Simões Filho, com uma taxa de 134,4 mortos por homicídio por 100 mil crianças e adolescentes.

Uma das explicações é que há, desde os anos 80, crescente participação de adolescentes no crime - fenômeno que se justifica, entre outras razões, pela inimputabilidade dos menores de 18 anos. No entanto, ainda que se considere esse contexto social na ponderação estatística do índice, o fato é que o Brasil é um dos campeões de violência contra seus jovens: o índice de 13 homicídios para cada 100 mil crianças e adolescentes é o quarto maior entre 92 países analisados pela Organização Mundial da Saúde, um número até 150 vezes superior ao de países como Inglaterra, Portugal, Itália.

Mesmo o Iraque, que vive uma sangrenta conflagração interna, registra 5,6 mortos por homicídio por 100 mil crianças e adolescentes. Somente na faixa dos 18 anos de idade, de cada 100 mil jovens brasileiros, 58,2 morrem assassinados.

Os pesquisadores que produziram o Mapa da Violência avaliam que boa parte do problema esteja na "naturalização" da violência contra os adolescentes, como se ela fosse algo próprio do mundo dos jovens envolvidos com o crime ou vítimas dele. Na visão desses especialistas, a sociedade não apenas tolera a violência, como uma parte dela a considera necessária para "punir" jovens criminosos.

A conclusão mais importante, porém, talvez seja a de que o poder público não sabe como lidar com a violência crescente. Em 2000, por exemplo, o Plano Nacional de Segurança Pública procurou conciliar a repressão ao crime com ações sociais, mas, como se concentrou nas grandes cidades, surgiram novos polos de criminalidade no interior do País, onde as instituições são menos aparelhadas para combatê-la.

O Estado que teve o maior índice de homicídios de jovens em 2010 foi Alagoas, com 34,8 por 100 mil habitantes; em 2000, porém, ele era o décimo da lista, com um índice de 10,1 por 100 mil. Essa evolução talvez seja um dos sinais mais impactantes da migração da violência verificada pelo estudo.

Mesmo nos grandes centros, porém, a eventual queda dos índices de criminalidade não pode ser atribuída exclusivamente ao reforço policial ou a ações integradas de segurança pública e ação social. No caso da cidade de São Paulo, por exemplo, houve redução de 85,2% no total de homicídios de crianças e adolescentes entre 2000 e 2010, mas analistas ouvidos pelo jornal O Globo consideram que uma parte desse número é resultado da "pax mafiosa" - isto é, da hegemonia de um determinado grupo criminoso, como o PCC. "Essa organização não tem seu poder ameaçado por outras organizações. Não há disputa por território", explicou Pedro Abramovay, ex-secretário nacional de Justiça. Assim, o recrudescimento ou o refluxo da violência que atinge os jovens parece não depender só da ação do Estado, mas também dos humores dos chefões do crime organizado.

PEDREIRO EXECUTADO EM LAN HOUSE

CORREIO DO POVO 20/07/2012

Pedreiro executado em lan house

O pedreiro Rodrigo Assonalio, 27 anos, foi executado a tiros, no início da noite de ontem, em Passo Fundo. O crime ocorreu dentro de uma lan house, na vila Victor Issler, quando um homem invadiu o local e disparou contra a vítima. Assonalio foi atingido com dois tiros na cabeça e outro na mão. Segundo testemunhas, o atirador, que não foi identificado, pegou carona em uma moto.

Ação da Polícia desmonta quadrilha


Operação Forte Apache já prendeu 11 suspeitos
Crédito: pc / divulgação / cp

Após cinco meses de investigações, agentes da 1 DP de Cachoeira do Sul deflagraram ontem a Operação Forte Apache, que já resultou em 11 suspeitos presos. Eles seriam integrantes de uma organização ligada ao tráfico de drogas, homicídios e roubos no município. Na manhã de ontem, cinco homens e uma mulher foram capturados. Outros cinco acusados haviam sido presos entre junho e o início deste mês. Todos foram conduzidos ao sistema prisional. De acordo com o coordenador da ação, delegado Celso Tavares, ontem foram cumpridos nove mandados de prisão e 15 de busca e apreensão, em Cachoeira do Sul. Um advogado, tido pela Polícia como chefe da quadrilha, está com prisão preventiva decretada. Ele segue foragido. As investigações se iniciaram em fevereiro, quando supostos integrantes da quadrilha foram presos em diversos pontos do RS. Três foram capturados em 24 de junho, no pedágio de Pantano Grande, com crack e cocaína. Outros dois foram presos no dia 13, com pedras de crack.

Apreendidos 55 quilos de maconha


Suspeitos seriam responsáveis pela distribuição do entorpecente
Crédito: pedro revillion

Seis suspeitos de tráfico foram presos com 55 quilos de maconha, na madrugada de ontem, durante operação do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) em Portão e Campo Bom, no Vale do Sinos. A droga está avaliada em torno de R$ 27,5 mil.  Segundo o delegado Marcus Viafore, da 3 DP do Denarc, a quadrilha seria responsável por comercializar a droga para os donos de bocas de fumo do Vale do Sinos e da região Metropolitana. Viafore disse que o líder do grupo cumpre pena na Penitenciária Modulada de Montenegro, de onde enviava ordens. A ex-companheira dele está entre os presos na ação, que mobilizou dez agentes em quatro viaturas.Além da maconha, os policiais apreenderam balança de precisão, seis celulares, um caderno de anotações e uma receita, com nomes de produtos químicos para a fabricação de crack. Foram recolhidos ainda quatro veículos - um Kadett, um Corsa, uma Santana Quantum e uma moto Honda. Viafore disse que as investigações, iniciadas há dois meses, exigiram um trabalho de monitoramento e campana junto a uma casa no bairro Vila Rica, em Portão, onde ficaria o depósito da droga. "Aguardamos o momento certo em que a droga seria retirada da casa para ser levada a outro local", contou. "Eles queriam se desfazer e vender a droga o mais rápido possível", avaliou Viafore.

Quatro presos na Capital 

A Operação Asa Branca, deflagrada ontem de manhã pela 2 Delegacia de Homicídios, do Deic, resultou em quatro prisões no bairro Sarandi, em Porto Alegre. Na ação, comandada pelos delegados Arthur Raldi e Luciano Peringer, foram apreendidos um revólver calibre 38, um colete balístico, 40 gramas de cocaína, balança de precisão e R$ 190,00. Segundo Raldi, as investigações começaram com o homicídio de um jovem, 21, no dia 19 de março, na rua Abaeté, no bairro Sarandi. O delegado disse que o crime ocorreu devido à disputa entre dois grupos rivais pelo ponto de tráfico.

Investigado furto de carro 

A Polícia investiga o furto de carros zero, durante o dia, em concessionárias de Carazinho. Em menos de uma semana, criminosos levaram dois veículos. Casos semelhantes foram registrados em Passo Fundo, Erechim, Santa Maria e em três municípios catarinenses. Segundo o delegado Danilo Dal Zot Flores, a análise das imagens das câmeras indicam que o crime pode ter sido cometido pela mesma pessoa. "O homem chegava de forma discreta, escolhia um carro e disfarçava ao falar ao celular. No momento em que os funcionários estavam distraídos, entrava no carro e saía dirigindo", contou.

CRIME ORGANIZADO PROJETA EXPANSÃO

 
CORREIO DO POVO, 20/07/2012

EDITORIAL

A ofensiva da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) para fundar uma federação do crime em todo o país deve receber a devida atenção das autoridades da área da segurança pública para derrotar esse intento, que se constitui numa ameaça sem precedentes para toda a sociedade. Essa proposta repulsiva foi revelada pelo promotor de Justiça Flávio Okamoto, do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo, durante conferência no 6 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, realizado em Porto Alegre.

De acordo com a denúncia do representante do Ministério Público paulista, o PCC tem como meta "pacificar" áreas conflagradas entre traficantes para, dessa forma, poder realizar seu comércio de drogas. Para isso, estabelece uma rígida hierarquia interna, com um código de conduta para os delinquentes, sejam associados ou não. O grupo já está presente em 22 estados da federação, inclusive no Rio Grande do Sul, e inclui detentos, egressos do sistema penitenciário que estejam nas ruas e outras pessoas recrutadas para participar das atividades criminosas.

Diante dessa investida, resta aos governantes e às forças policiais encontrarem as estratégias adequadas para combater os planos nefastos de bandidos perigosos. O crime organizado, como o próprio nome diz, funciona de forma interativa e integrada. É essa integração efetiva que deve ser buscada no contraponto. Não dá mais para enfrentar complexos delitivos que atuam em níveis nacional e internacional com polícias que têm atuação restrita a circunscrições estaduais. O exemplo da Força Nacional de Segurança é ilustrativo de como deve ser pensado um novo modelo de repressão, com parâmetros investigativos a serem desenvolvidos. A Polícia Federal também deve ser fortalecida. O crime não conhece fronteiras e o combate a ele deve ser implacável em qualquer lugar onde se manifeste.

CRIMINALIDADE E CORRUPÇÃO, ATÉ QUANDO?

ZERO HORA 20 de julho de 2012 | N° 17136 ARTIGOS

ARLETE GUDOLLE LOPES, professora




A criminalidade e a corrupção são assuntos que devem ser abordados com frequência para que maior número de pessoas se engaje em campanhas de mobilização e haja mais cobrança junto a autoridades competentes a fim de combater esses males. Nessa luta, devem se incorporar cidadãos que exerçam lideranças junto às comunidades e aqueles que desejam ver a paz vicejando nos lugares em que foi maculada. Através de campanhas voltadas para a sensibilização de jovens sobre riscos e consequências de gravidez não planejada na adolescência e para a conscientização da necessidade imperiosa do controle da natalidade entre miseráveis e drogados, poder-se-á, dentre outras atitudes concretas, antever saídas para eliminar as barbáries que aterrorizam os lares brasileiros.

Mantido sob controle o crescimento populacional, tornar-se-á plausível priorizar políticas públicas voltadas para a colocação de pessoas aptas a empregos, oferecer-lhes educação de qualidade, gerando meios para, com ênfase no crescimento individual, ascenderem às comodidades geradas pelo progresso coletivo. Por ato tão importante, adesões devem acontecer sincronicamente entre os Estados para que frutifiquem movimentos direcionados ao controle consciente de todos os envolvidos nessa cruzada tão significativa para a restauração da paz nacional. Sonho não muito distante, caso se efetivasse a união dos chefes do poder Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e representantes das igrejas cristãs, visando à promoção do planejamento familiar e à criação de leis mais rigorosas.

Para que essas atitudes não se restrinjam a intenções, é necessário que os programas governamentais, tidos como formas de ajuda à população mais pobre, revistam-se de mais seriedade e sejam fiscalizados com rigor para que possam atingir os objetivos para os quais foram criados. Além disso, devem-se banir as práticas nocivas que se valem da ignorância e da miserabilidade do povo através da compra de votos e que se ancoram no nascimento de maior número de brasileiros para os políticos se elegerem com facilidade. Junto a estes, deve-se agir com eficiência no combate à criminalidade e à corrupção através de legislação eficaz, investigação acurada e abrangente, transparência nas ações de políticas públicas, liberdade de informação, fiscalização e cobrança de eleitores, reformas no Código Penal, criando leis mais rígidas e eficazes para que o sonho de um país melhor se torne realidade.

Ao se intensificar campanhas de conscientização sobre o controle da natalidade entre desvalidos, combater-se a corrupção e a criminalidade, novos lumes brilharão no lindo e desestruturado palco que é o Brasil. É urgente criar bases para se sonhar com mudanças, uma vez que, quando não se tem chão, não se dá asas aos sonhos, pois eles não têm onde pousar.*Professora

CARROS SÃO FURTADOS DE DENTRO DAS REVENDAS

ZERO HORA 20 de julho de 2012 | N° 17136

À LUZ DO DIA. Veículos são furtados de revendas. Ao se passar por clientes, ladrões aproveitam distração para sair da loja dirigindo os carros

MARIELISE FERREIRA

A ação surpreendente de ladrões que levam carros zero-quilômetro de concessionárias em plena luz do dia é alvo de investigação da Polícia Civil de Carazinho, no norte gaúcho. Em menos de uma semana, dois veículos foram furtados do pátio de duas revendas no município, causando um prejuízo de cerca de R$ 200 mil.

Casos semelhantes também foram registrados em Passo Fundo e em pelo menos três cidades de Santa Catarina. Segundo o delegado Danilo Dal Zot Flores, os criminosos se passam por clientes e chegam às lojas falando ao celular, a fim de evitar a aproximação dos vendedores.

Eles escolhem um veículo e ficam por perto até perceber que ninguém está prestando atenção. Então, entram no carro e saem da concessionária dirigindo. Em Carazinho, foram furtados uma caminhonete e um Bravo, nos dias 6 e 12 de julho. A ação foi registrada por câmeras de segurança.

Flores investiga as hipóteses de que os veículos recebam placas clonadas e sejam colocados a circular em outros Estados. Ele também trabalha na possibilidade de que os veículos acabem no Paraguai, onde seriam legalizados e vendidos posteriormente. Carros com placas paraguaias foram vistos rodando em Carazinho e em Erechim, onde uma caminhonete roubada em Santa Catarina foi apreendida.

As imagens das câmeras de segurança estão sendo usadas para tentar identificar os bandidos.

 
Outros casos
- Passo Fundo – Em abril, uma caminhonete Edge foi furtada do pátio de uma concessionária, e os ladrões seguiram em direção a Carazinho. Na mesma noite, um carro do mesmo modelo teve as placas furtadas.
- Santa Maria – Uma caminhonete foi levada quando era descarregada de um caminhão-cegonha.
- Concórdia (SC) – No começo de julho, uma caminhonete S10 foi furtada de uma revenda e levada para Erechim por um homem com sotaque castelhano. O carro foi recuperado em um estacionamento.
- Criciúma (SC) – Em maio, um homem pediu para fazer um test- drive com um Vectra e tentou levar o carro. O veículo em que estava, um Gol, tinha sido furtado.
- Joinville (SC) – Um carro foi furtado de revenda há dois meses.

AO REAGIR, IDOSO É BALEADO EM ROUBO DE CARRO

ZERO HORA 20 de julho de 2012 | N° 17136

ROUBO DE CARRO


Idoso é baleado em frente a parque


Um homem de 72 anos foi baleado em frente ao Parque Germânia, na zona norte de Porto Alegre, por volta das 15h de ontem. Ele teria reagido a um assalto e acabou ferido nas costas e em uma das pernas. O carro da vítima, um Corsa ano 2000, foi levado pelos criminosos. Conforme o soldado Cléber Mateus da Silva Braga, Otoniel Vargas Mendonça estava fora do veículo quando foi abordado por um homem a pé.

– Fomos chamados e prestamos socorro a ele. Dentro da viatura, pouco conversamos. Não deu para saber se ele estava chegando ou saindo do parque. Comentou apenas que o sujeito apontou a arma e ele tentou agarrá-la. O bandido atirou – contou o soldado.

O idoso foi levado ao Hospital Cristo Redentor. Na noite de ontem, ele não corria risco de vida.

ATAQUES A POSTOS CRESCEM 76,3% NO RS



ZERO HORA 20 de julho de 2012 | N° 17136

CRIME EM ALTA. Em meio à onda de assaltos em 2012 no Estado, BM e sindicato do comércio de combustíveis montam plano de combate

CARLOS WAGNER

Os postos de combustíveis gaúchos estão sob ataque. Nos primeiros cinco meses do ano, houve um aumento de 76,3% no número de roubos aos estabelecimentos, em relação ao mesmo período de 2011. Para combater a onda de assaltos, um plano está sendo traçado pelo comando da Brigada Militar (BM) e pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado (Sulpetro).

O perfil do criminoso preocupa as autoridades: são jovens armados, drogados e nervosos, dispostos a roubar pequenas somas de dinheiro e mercadorias de lojas de conveniência.

Essa modalidade de crime estava em baixa – em 2011, foi registrada uma queda de 25,7% em relação a 2010. No Rio Grande do Sul, há 2,8 mil postos de combustíveis, dos quais 570 na Região Metropolitana.

A reação das autoridades começou na semana passada. A reunião entre a BM e o Sulpetro, que costumava ser trimestral, passará a ser realizada mensalmente

– Sou do tempo que bandido tinha medo da polícia. Hoje, eles perderam o medo e recebem os brigadianos à bala. Creio que seja esta uma das razões de tantos assaltos – afirma o presidente do sindicato, Adão Oliveira, 73 anos.

Posto foi assaltado quatro vezes no mês passado

O dirigente diz que, até pouco tempo atrás, os assaltos a postos se concentravam nos bairros de Porto Alegre. Hoje, diz Oliveira, espalharam-se por cidades da Região Metropolitana, principalmente ao longo de rodovias.

Com a condição de que seu nome não fosse divulgado, um dono de posto concordou em conversar com Zero Hora. Ele disse que por quatro anos não havia sido assaltado. No mês passado, afirma, os criminosos atacaram nos dias 4, 11, 17 e 21. No total, os ladrões roubaram R$ 3 mil, em mercadorias da loja de conveniência e da caixa registradora. No último ataque, eles deram socos e chutes em um dos frentistas.

As informações das vítimas estão formando um banco de dados na BM, que será usado para orientar a ação do policiamento ostensivo, informa o subcomandante-geral da corporação, coronel Altair de Freitas Cunha. O coronel afirma que já está sendo colocado em prática um modelo de policiamento diferenciado para combater os assaltantes de postos.

– Estamos na fase de ajustes no nosso patrulhamento diferenciado. Por exemplo, estamos fazendo uma linha direta entre os frentistas e as nossas patrulhas, o que resultará em maior rapidez no atendimento da ocorrência – diz ele.

O coronel prevê que, até o final do mês, deverá ser acionado o plano de repressão a assaltos a postos de combustíveis. Altair evita revelar detalhes da estratégia, para surpreender os assaltantes. Mas acrescenta que é fundamental os bandidos saberem que o crime será reprimido.


Bandos violentos são formados ao acaso

Bandos de jovens drogados, armados e violentos que são formados ao acaso. Em linhas gerais, são as características dos assaltantes que atacam postos de combustíveis no Estado.

– É um perfil perigoso – resume o coronel Altair de Freitas Cunha, subcomandante geral da Brigada Militar.

O oficial afirma que, geralmente, esse tipo de ladrão costuma reagir a tiros a qualquer atitude que julgue ser uma ameaça. O gesto brusco de uma pessoa, por exemplo, pode ser interpretado pelo criminoso como uma reação armada. Dessa forma, transforma roubo em latrocínio, com a morte da vítima. Outra possibilidade é tomar reféns ao avistar uma viatura policial nas imediações.

Informações colhidas pela polícia indicam que a formação dos bandos ocorre por acaso. Segundo o delegado Juliano Ferreira, titular da Delegacia de Roubos e Extorsões, os assaltos a postos de combustíveis geralmente resultam em pequeno lucro ao bandido. O que significa que não atrai a atenção de quadrilhas especializadas.

– Temos como rotina de trabalho o exame das ocorrências com crimes em ascensão, para sabermos se temos uma quadrilha nova atuando na área. No caso dos postos, não existe quadrilha, mas bandos formados ao acaso que cometem o crime devido à facilidade de acesso às vítimas – comentou o delegado.

Um levantamento nas ocorrências policiais revelou que o horário preferido dos assaltantes é entre 18h e 6h, sendo que a maioria dos crimes acontece durante a madrugada.





quinta-feira, 19 de julho de 2012

PCC ORDENOU O MUNDO DO CRIME

CORREIO DO POVO

ANO 117 Nº 293 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 19 DE JULHO DE 2012

Facção tem suas regras de conduta


Especialistas debatem avanço e estrutura de organização criminosa
Crédito: pedro revillion


Pesquisas acadêmicas foram mostradas durante a conferência sobre o PCC no 6 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. A professora Camila Dias, da Universidade Federal do ABC, em São Paulo, destacou que a facção trouxe "um ordenamento social dentro do mundo do crime", com o estabelecimento de condutas, valores e disciplinas de seus membros. Segundo ela, a pacificação promovida pela organização resultou até na queda do número de homicídios em SP. A mediação dos conflitos em suas áreas, no entanto, evitando disputas e assassinatos, tem como objetivo afastar a presença policial nos seus territórios. Até brigas de vizinhos são resolvidas por meio da facção.

O pesquisador canadense Graham Denyer ressaltou que as ações nas comunidades trouxeram uma espécie de segurança a seus filiados, dentro e fora dos presídios, bem como a quem mora em suas áreas de domínio.

Para o antropólogo Adalton Marques, da Universidade Federal de São Carlos, após o surgimento do PCC, as guerras entre grupos criminosos em SP ficou no passado. Os reflexos são percebidos até nas festas frequentadas por jovens, que antigamente valorizavam as brigas entre si e agora adotam outro discurso. Esses absorveram o vocabulário da facção, substituindo palavrões e ofensas banais por um novo jargão do crime. "Agora é outro ritmo, dizem eles", assinalou.


PCC quer monopólio do crime

Em seus planos de expansão pelo país, a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) planeja no futuro a criação de uma "Federação do Crime". A revelação é do promotor de Justiça Flávio Okamoto, do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo, em conferência no 6 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, encerrado ontem na Ufrgs, em Porto Alegre.

O avanço da facção, considerada hegemônica, começa no interior dos presídios, sendo seladas parcerias com grupos criminosos locais. A organização conta com uma estrutura hierarquizada, como se fossem departamentos, denominados Sintonias, que tratam desde finanças até o controle da venda de drogas, principal fonte de recursos, além da assistência e proteção aos filiados.

O PCC, acrescentou Okamoto, está presente em 22 estados, incluindo o Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal, sendo a Sintonia Estado responsável pela coordenação. Atualmente, Minas Gerais registra um forte avanço da facção. "Recentemente foi criada uma Sintonia do RS", alertou Okamoto, oriunda da Sintonia do Paraná. "Entre janeiro e setembro de 2011, por exemplo, ocorreram seis batismos no RS", afirmou. O promotor esclareceu que o batismo é o ingresso de membros efetivos, que pagam mensalidade de R$ 600,00 e são chamados de irmãos. No mesmo período, em todo o país, foram 431 batismos.

A ramificação da organização criminosa se estenderia até o Paraguai e a Bolívia. O promotor suspeita que o objetivo do PCC é formar um cartel do narcotráfico na região da Fronteira, assumindo o controle da produção de drogas, tornando o combate contra a facção mais difícil.

Flávio Okamoto explicou que a criação de uma "Federação do Crime" requer o fim dos conflitos entre grupos criminosos de cada estado, sobretudo ligados ao tráfico. Neste sentido, o PCC adota uma política de pacificação dentro do mundo do crime, visando ao fim das disputas internas.

O promotor estima que a facção atua em 90% do sistema carcerário paulista, que tem 151 casas prisionais. Ele calculou a existência de 6 mil irmãos nos presídios e 2 mil nas ruas em SP. Nos outros estados seriam 5 mil irmãos. Os números, porém, não contabilizam os companheiros, que atuam junto à facção.

Para Okamoto, o combate ao PCC passa por efetiva integração das forças de segurança em nível nacional, maior investimento de pessoal e equipamentos, troca informações e inteligência nas investigações. Outro ponto é separar os membros da facção de outros presos. Observou ainda as tentativas da facção de se infiltrar até no Legislativo paulista.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Enquanto o crime se organiza, o sistema de justiça criminal continua desorganizado, fracionado, corporativo, burocrata, moroso, inoperante e enfraquecido por leis contraditórias e penas brandas.

JOVEM EMBRIAGADO MATA PAI EM FESTA

ZERO HORA 19 de julho de 2012 | N° 17135

ANIVERSÁRIO TRÁGICO

MARIELISE FERREIRA 

Uma tragédia provocada pelo álcool devastou uma família em Coxilha, no norte do Estado. Embriagado, um jovem matou o pai durante a festa de aniversário da vítima.

Ohomicídio aconteceu às 17h de terça-feira, quando a família comemorava com um churrasco o aniversário de 56 anos do agricultor Argeu Bueno Cardoso, completados na véspera. Wagner Cardoso, 25 anos, filhou de Argeu, teria começado a beber por volta das 11h e não parou mais.

Familiares contaram à Polícia Civil que Wagner brincava com uma faca usada no churrasco, dando golpes no ar. Preocupada, a mãe pediu ao marido que tirasse a faca do filho para que ele não se ferisse.

– Ao tentar tirar a faca, a vítima acabou sendo atingida pelo próprio filho – conta a delegada Daniela Minetto.

Apavorado com o ferimento, Wagner se abraçou ao pai e não queria deixar que o levassem. Cardoso foi socorrido pelos familiares, mas não resistiu ao ferimento no peito e morreu. Quando os policiais militares chegaram, Wagner foi encontrado caído no chão, em auto grau de embriaguez.

Ele foi autuado em flagrante por homicídio doloso (quando alguém assume o risco de matar) e levado ao Presídio Regional de Passo Fundo. Em depoimento à delegada, Wagner contou que não teve intenção de matar o pai e que estava tão embriagado que não lembrava de tê-lo esfaqueado.

Chocados, os familiares afirmaram que Cardoso e o filho sempre tiveram boa convivência e atribuem a tragédia ao consumo desmedido de álcool.

– Não tem como se conformar, são duas perdas para nós – disse Marluci Marques, 24 anos, sobrinha da vítima.

CASAL DE AGRICULTORES É EXECUTADO NO RS

ZERO HORA 19 de julho de 2012 | N° 17135

TAQUARA: Casal de agricultores é morto

ÁLISSON COELHO E LEANDRO BECKER

Motivo do crime seria suposta disputa familiar por posse de propriedade. O suposto desentendimento pela posse de uma pequena propriedade rural resultou na morte de um casal de agricultores em Taquara. O crime aconteceu por volta das 12h30min de ontem no interior do Vale do Paranhana.

Olinda Naira da Silva Martins, 51 anos, e o companheiro dela, Paulo Ávila da Silva, 55 anos, foram mortos a tiros. O assassino fugiu. Segundo a polícia, o motivo seria a disputa por uma herança.

Até o início da noite de ontem, a investigação ainda não sabia se houve um desentendimento ou se o autor teria ido ao local decidido a matar as vítimas. Baleado, o casal morreu no local. Segundo a polícia, o filho de Olinda, um adolescente de 16 anos, foi atingido por um disparo no braço, mas sobreviveu e deve ser uma das principais testemunhas do caso.

O chefe de investigação da Polícia Civil em Taquara, Jorge Belmonte Júnior, disse que o desacerto teria começado há aproximadamente quatro meses e estaria relacionado a cerca de 3,5 hectares de terra que pertenceriam à mãe de Olinda. No local, a filha teria construído uma casa. Contrário à obra, o suspeito, um familiar da vítima cujo nome não foi divulgado pela polícia, teria interesse em comprar o terreno.

Vítima registrou ocorrência por ameaça contra suspeito

Conforme a investigação, Paulo Ávila da Silva registrou em maio uma ocorrência policial alegando ter sido ameaçado de morte pelo suspeito. A polícia também apurou que, no momento do crime, mais duas pessoas estariam na casa: a mãe de Olinda e a mulher do suposto assassino. Elas teriam deixado o local em um Palio dirigido pelo suposto atirador.

Segundo Belmonte, o veículo foi abordado em Gravataí, mas o condutor era o filho do suspeito, acompanhado da mulher do suposto autor do crime e da mãe de Olinda. Os três foram encaminhados à delegacia, onde foram interrogados e, depois, liberados. O carro foi apreendido, assim como uma moto encontrada na casa do suspeito durante ação da Brigada Militar.

O autor do crime não havia sido localizado até a noite de ontem. Previstos para hoje, os depoimentos de familiares, segundo a investigação, serão fundamentais para desvendar as circunstâncias das mortes. A suspeita é de que o assassino tenha usado um revólver 38 para matar o casal, pois tem uma arma desse calibre registrada em seu nome.


JOVENS: CRIME EM ALTA


ZERO HORA 19 de julho de 2012 | N° 17135

Taxa de homicídios cresce 33% entre jovens. Mapa da Violência 2012 revela aumento de vítimas de zero a 19 anos, no Estado, na década

LETÍCIA COSTA 

Na última década, o Rio Grande do Sul teve um aumento significativo na taxa de homicídios, de pessoas de zero a 19 anos. Enquanto o crescimento entre os anos 2000 e 2010 ficou no patamar de 15,8% no país, o Estado registrou mais que o dobro (33%), com uma média de 9,5 mortes para cada 100 mil crianças, adolescentes e jovens no ano passado.

Éconsenso entre quem convive diariamente com o tema violência que o aumento de assassinatos nessa faixa etária está diretamente ligado ao poder destruidor das drogas. Tanto para o secretário Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos (SJDH), Fabiano Pereira, quanto para o delegado Andrei Vivan, do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca), este crescimento explanado no “Mapa da Violência 2012 - Crianças e Adolescentes do Brasil”, divulgado ontem, só poderá ser freado com um investimento preventivo, antes mesmo da adolescência.

Coordenado pelo pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz, o estudo aponta que, em 2010, 24 pessoas desta faixa etária foram assassinadas por dia no país.

– Esses números têm uma relação direta com brigas de gangues, disputa de território, dívidas com relação às drogas. Acho que o grande esforço que nós temos de fazer é no trabalho de prevenção. Atualmente, nos lugares de maior índice de violência no público jovem do Rio Grande do Sul, estamos fazendo um projeto de centros de juventude que é um espaço para incentivar eles a irem por outro caminho – afirma o secretário Fabiano Pereira.

Mortes pela criminalidade superaram casos de trânsito

Se comparado a outros Estados, o Rio Grande do Sul não está na pior posição. Pelo contrário, ocupa o sétimo lugar com menos homicídios de jovens no ano passado. O dado de 9,5 mortes para cada 100 mil crianças e adolescentes também é menor que a média nacional de 13,8.

– Não posso comemorar que temos menos homicídios do que outros Estados, é preciso reduzir este aumento – reforça o secretário Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos (SJDH).

Em termos gerais, uma das principais mudanças apontadas no estudo é a de que até 1997, quando foi instituido o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a maior causa da mortalidade de crianças e jovens era os acidentes de trânsito. Desde então, os homicídios tomaram a frente dos tristes números e lideram nos óbitos por causas não naturais.

Violência sexual e física também foram estudadas

A partir dos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde, o estudo também analisou os números de atendimentos por violência no Sistema Único de Saúde (SUS) no ano passado. A agressão física foi a mais registrada, com 40,5% do total de atendimentos de crianças e adolescentes, principalmente na faixa de 15 a 19 anos.

Em segundo lugar, está a violência sexual, notificada em 20% dos atendimentos, com maior incidência entre os cinco e os 14 anos.

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões do Ministério Público do RS, Maria Regina Fay de Azambuja, destaca na pesquisa o local em que ocorrem a maior parte das ocorrências: a própria residência da criança e do adolescente.

– O maior problema é com a violência intrafamiliar, tanto física quanto sexual. O lugar mais vulnerável da criança é, em disparado, na família – alerta.


ENTREVISTA- “O maior problema é o envolvimento com as drogas”

Andrei Vivan - Delegado supervisor da Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca)

Em entrevista a ZH, o delegado Andrei Vivan, que desde 2005 convive com a realidade de crianças e adolescentes vítimas e infratoras da Capital – onde em 2010 houve uma taxa de 26,9 homicídios para cada 100 mil jovens –, comenta a importância do ambiente familiar e a influência das drogas para o crescimento apontado no estudo. Confira alguns trechos:

Zero Hora – Nos casos de homicídios de vítimas até 19 anos, conforme descrito no Mapa da Violência, quais são os fatores que impulsionaram o crescimento na última década?

Andrei Vivan – Nos casos que chegam ao nosso conhecimento e pelas nossas apurações, o maior problema é o envolvimento dos jovens com as drogas. Fatores como um ambiente social desfavorável, um ambiente familiar desagregado, o baixo incentivo a permanecer na escola e uma facilidade de acesso a uma vida criminosa, ao álcool e às drogas, têm como resultado o envolvimento de adolescentes em casos que acabam culminando em homicídios. Também existe a questão de que, nas últimas décadas, o adolescente tem tido mais presença na vida social, está mais exposto às situações de risco. Tanto a família quanto a legislação eram mais rígidas antigamente, o que proibia a presença dos jovens em espaços vulneráveis.

ZH – Normalmente o autor do homicídio também está nesta faixa etária?

Vivan – O grupo mais numeroso de envolvidos como autores e vítimas é até os 25 anos de idade. Pelo que nós presenciamos em fatos específicos, o adolescente começa a entrar para o crime por volta dos 14 anos, que é quando ele começa a ter uma vida social, a se distanciar um pouco da família, a procurar amizades fora. Até esta idade, o encaminhamento que a família deu é o que vai definir a vida dele. Se está no meio escolar, tem suas atividades e boas companhias, com certeza seguirá outro caminho.

ZH – De que forma pode-se reduzir o número de homicídios entre jovens no Estado?

Vivan – Em primeiro lugar, é preciso uma forte atuação na área preventiva, onde o Estado atue com a família. É preciso criar um ambiente saudável para o desenvolvimento da criança, com assistência social, na saúde e até mesmo criação de creches para as mães poderem trabalhar, melhorando a situação econômica da família. A polícia tem um papel final neste processo, ela entra apenas na parte da repressão, de mostrar que o fato será punido.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

CRESCE TAXA DE ASSASSINATOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO BRASIL

Cresce taxa de assassinatos de crianças e adolescentes no Brasil . Aumento foi de 346,4% em 30 anos, contrastando com mortes por problemas de saúde


André de Souza  - O GLOBO 18/07/12 - 10h40






. Editoria de Arte


BRASÍLIA - As chances de uma criança ou adolescente brasileiro morrer assassinado são maiores hoje do que eram há 30 anos, colocando o país na quarta pior colocação numa comparação com outros 91 países. Em 1980, a taxa de homicídios na população entre zero e 19 anos era de 3,1 para cada 100 mil pessoas. Pulou para 7,7 em 1990, chegou a 11,9 em 2000 e alcançou 13,8 em 2010. Um crescimento de 346,4% em três décadas, em contraste com a mortalidade provocada por problemas de saúde, que teve queda acentuada. Quando considerada toda a população, a taxa de homicídios em 2010 foi de 27 por 100 mil habitantes. Considera-se que há uma epidemia de homicídios quando a taxa fica acima de 10 por 100 mil.

No Brasil, em 2010, 8.686 crianças e adolescentes foram vítimas de homicídio. De 1981 a 2010, o país perdeu 176.044 pessoas com 19 anos ou menos dessa forma. Meninos representam em torno de 90% do total.

Os números são do estudo “Mapa da Violência 2012 — Crianças e Adolescentes do Brasil”, do pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador de Estudos sobre a Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) no Brasil. Além dos assassinatos, o estudo analisou as mortes violentas causadas por fatores externos, dividindo-as em cinco grupos: homicídios, acidentes de transporte, outros acidentes, suicídios e outras violências. Em 2010, de todas as mortes violentas de crianças e adolescentes, 43,3% foram homicídios; 27,2% acidentes de transporte; 19,7% outros acidentes.

Alagoas: estado com mais homicídios

Em 1980, 16.457 crianças e adolescentes morreram de uma dessas cinco causas, de um total de 244.942 óbitos verificados na faixa etária do zero aos 19 anos. Desde então, mesmo quando o número absoluto de mortes violentas diminuiu, seu peso no total de óbitos só aumentou. Em 1980, eram 6,71% de todas as mortes. Vinte anos depois, em 2010, o índice alcançou 26,48% (20.048 de 75.708). Se desconsiderados os bebês com menos de um ano de idade, as mortes violentas foram responsáveis por mais da metade dos óbitos — 53,2% — em 2010.

O aumento mais acentuado — tanto na taxa de todas as causas externas quanto na de homicídios — ocorreu na década de 1980. Nos anos 90, houve desaceleração, mas ainda assim cresceu. Entre 2000 e 2010, a taxa de causas externas diminuiu, atingindo seu menor índice em 2006, mas desde então voltou a crescer. Os homicídios caíram no começo da última década, mas voltaram a aumentar, superando em 2010 a taxa observada dez anos antes. Em 1980, representavam 0,7% de todas as mortes de crianças e adolescentes. Em 2010, foram responsáveis por 11,5%.

Entre os estados, o que proporcionalmente mais teve crianças e adolescentes assassinados em 2010 foi Alagoas, com uma taxa de 34,8 por 100 mil. O estado era o décimo em 2000, quando a taxa era de 10,1 por 100 mil. Enquanto Alagoas passou da décima para a primeira posição, o Rio fez o caminho inverso. O estado tinha a pior taxa em 2000 — 25,9 por 100 mil — e em 2010 era o décimo pior, tendo caído 33,3%, para 17,2 assassinados a cada 100 mil.

A maior queda na taxa de homicídios foi em São Paulo: 76,1% entre 2000 e 2010. Além de Rio e SP, Pernambuco, Distrito Federal, Roraima e Mato Grosso do Sul caíram. O estudo levou em conta 523 municípios que, segundo o Censo 2010, têm população com mais de 20 mil pessoas de zero aos 19 anos.

Para Julio Jacobo há uma interligação de fatores que ajuda a explicar o aumento. Ele lembra que em 2000 foi implantado o Plano Nacional de Segurança Pública, que concentrou seus investimentos nos maiores polos de violência. Mas novos polos surgiram:

— Surgiram polos no interior e em outros estados sem recursos financeiros e sem tradição das polícias para o enfrentamento da criminalidade.

 

ESTUDO MAPEIA MORTES DE JOVENS NO BRASIL

FOLHA.COM. 18/07/2012 - 06h00


AFONSO BENITES
DE SÃO PAULO


Era 26 de março de 2010 quando o jovem Rafael Souza de Abreu, 16, virou mais um número para pesquisadores de segurança pública.

Nessa data, ele foi morto com oito tiros perto da casa de um amigo em Santos (SP).

Segundo seu pai, o operador portuário José de Abreu, e a Promotoria, o rapaz foi confundido com um ladrão de uma loja de roupas e foi morto em represália a um furto que não praticou.

Assim, ele passou a ser um dos 8.686 adolescentes e crianças assassinados naquele ano e engrossou a lista que, desde 1980, aumentou 376%. No mesmo período, entre 1980 e 2010, os homicídios como um todo cresceram 259%.

Os dados são do "Mapa da Violência 2012 - Crianças e Adolescentes do Brasil", pesquisa que será lançada hoje.

O levantamento analisa as informações do Ministério da Saúde sobre as causas das mortes de pessoas entre zero e 19 anos de idade.

O ritmo de crescimento da morte entre jovens é constante. Em 30 anos, só teve queda quatro vezes. Nos demais aumentou entre 0,7% e 30%.

Editoria de Arte/Folhapress




Um dado que chamou a atenção do sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da pesquisa, foi quanto os homicídios de jovens representava no total de mortes. Em 1980, eles eram pouco mais de 11% dos casos de assassinato. Já em 2010, 43%.

"Os homicídios de jovens continuam sendo o calcanhar de aquiles do governo. Esse aumento mostra que criança e adolescente não são prioridade dos governos", disse.

Entre os Estados em que houve maior aumento dos assassinatos de jovens estão Alagoas, com uma taxa de 34,8 homicídios por 100 mil habitantes, Espírito Santo (33,8) e Bahia (23,8).

Segundo Waiselfisz, vários fatores influenciam o aumento em determinadas regiões. Um deles é a interiorização dos homicídios.

"Antes, a maior parte dos crimes acontecia nos grandes centros. Agora, com a melhor distribuição de renda, houve uma migração da população e os governos não conseguiram implantar políticas públicas para acompanhar essa mudança", disse.

Os Estados que apresentaram as menores taxas foram Santa Catarina, (6,4), São Paulo (5,4) e Piauí (3,6).

Para Alba Zaluar, antropóloga da Universidade Estadual do Rio, os dados devem ser analisados com "cuidado", já que entre 2002 e 2010 houve uma melhora na qualificação das estatísticas sobre mortes. Ou seja, casos que antes constavam como "outras violências" nos dados oficiais passaram a ser homicídios.

"É muito complicado falar do aumento de mortes por agressão no Brasil como um todo", afirmou Zaluar.

Waiselfisz diz que a pesquisa aponta que os problemas existem e serve de alerta para governos tentarem reduzir o índice, que já incluiu o assassinato do jovem Rafael.

Em tempo: quatro pessoas, sendo três policiais, foram acusadas pela morte do adolescente. Mas o julgamento ainda não aconteceu.

SINESP VAI MAPEAR A CRIMINALIDADE NO BRASIL

CORREIO DO POVO, 18/07/2012

Sinesp vai mapear a criminalidade no país. Ferramenta vai unificar estatísticas de segurança e da área prisional


Autoridades participam do Fórum Brasileiro da Segurança Pública
Crédito: PEDRO REVLLION


A secretária nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, Regina Miki, considerou um grande avanço a implantação do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp), instituído pela lei federal 12.681. Regina Miki esteve presente ontem no 6 Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que ocorre até hoje, nos prédios das faculdades de Direito e Economia da Ufrgs, em Porto Alegre. Ela participou da conferência "Novas perspectivas para a cooperação federativa em Segurança Pública: o novo Sinesp e o reforço da informação na melhoria da gestão e da prestação de contas".

De acordo com Regina Miki, o Sinesp vai permitir que se tenha "uma fotografia real do crime no país". Atualmente cada estado tem uma metodologia diferente de registro das ocorrências, causando discrepâncias de dados. Um dos exemplos citados por ela é em relação aos homicídios. Em alguns estados, os casos são registrados como resistência com morte ou lesão com morte, deixando de figurar na estatística de homicídio. O Sinesp, destacou, irá padronizar os dados do setor de todo o país, sendo reunidos em uma plataforma única.

Conforme o chefe de Gabinete da Senasp, Marcello Barros Oliveira, a previsão é de que o sistema esteja em pleno funcionamento em 2013. Ele entende que o Sinesp vai possibilitar melhor planejamento e gestão das políticas de segurança pública. Pela lei 12.681, os estados que deixarem de fornecer ou atualizar seus dados e informações não receberão recursos nem poderão celebrar parcerias com a União para financiamento de programas, projetos ou ações de segurança pública e do sistema prisional.

Já o secretário-executivo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, fez um alerta aos estados ao recordar que a produção apenas de dados não é suficiente. "Esses dados têm de ser transparentes e transformados em informações, senão serão inúteis", disse.

No Sinesp vão constar ocorrências criminais registradas e respectivas comunicações legais; registro de armas de fogo; entrada e saída de estrangeiros; pessoas desaparecidas; execução penal e sistema prisional; recursos humanos e materiais dos órgãos e entidades de segurança; condenações, penas, mandados de prisão; e repressão a produção, fabricação e tráfico de crack e outras drogas ilícitas e a crimes conexos, bem como apreensão de drogas ilícitas. Na divulgação dos dados deverá ser preservada a identificação dos envolvidos.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Este mapeamento será completo se relacionar as causas e efeitos, e não ficar somente no levantamento de dados quantitativos focando apenas  "ocorrências criminais registradas e respectivas comunicações legais", deixando de verificar os resultados e a continuidade dos esforços contra a criminalidade. Diagnósticos produzidos apenas com dados do Executivo são insuficientes para mostrar a realidade da segurança pública, pois este está ligada a um sistema de justiça criminal que envolve ações e processos pertinentes a órgãos do Executivo e do Judiciário, e deve estar amparado por leis elaboradas no Congresso Nacional. 

ASSALTANTES SE DISFARÇAVAM DE POLICIAIS

ZERO HORA 18 de julho de 2012 | N° 17134


FALSAS BLITZE


A Polícia Federal e a Brigada Militar prenderam ontem dois integrantes de uma quadrilha que se disfarçava de policiais para agir na Região Metropolitana. Chamada de Operação Ilusionistas, a ação identificou o bando, que atacava motoristas na zona norte de Porto Alegre, montando falsas barreiras.

Além de bonés e sinalizadores luminosos, eles usavam emblemas da PF e da BM para forjar as blitze.

Conforme o delegado Rafael França, da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio da PF, em Viamão, o bando realizou um roubo a residência de um casal também se apresentando como policiais que cumpriam um mandado de busca e apreensão. Depois de permitir a entrada dos falsos policiais federais, o casal foi agredido e assaltado.

Os roubos, segundo França, aconteceram em maio. A Justiça concedeu a prisão preventiva de quatro suspeitos, e a temporária de mais um envolvido. Além disso, oito mandados de busca e apreensão foram expedidos para serem cumpridos em Cachoeirinha e Gravataí.

Ontem, duas pessoas foram presas preventivamente. O líder do bando já havia sido detido numa abordagem da BM, em Porto Alegre, por estar foragido. Dois veículos usados pela quadrilha foram apreendidos.

De acordo com o delegado da PF, o grupo ainda é suspeito de assaltar o hipermercado Big, em São Leopoldo, em maio deste ano.

ONDA DE VIOLÊNCIA NO RS

ZERO HORA 18 de julho de 2012 | N° 17134

ALVORADA - Investigadas mortes em série

O assassinato de um adolescente com 15 tiros na noite de segunda-feira, em Alvorada, pode ter sido a quarta execução em sequência, desde sábado, na cidade. Por volta das 22h, Maicon de Menezes Machado, 16 anos foi perseguido pela Avenida Olegário José Guimarães, no bairro Piratini. Três homens que estavam em um Uno o cercaram e o mataram. A polícia investiga se o crime tem ligação com a execução do proprietário de um bar, também na segunda, e com um duplo homicídio na noite de sábado.

PORTO ALEGRE - Garoto é assassinado na Zona Sul

Depois de 52 horas de angústia, terminou da pior maneira possível a busca dos pais por Marcos Pereira Moreira, 15 anos, desaparecido desde domingo. Às 17h, o garoto foi encontrado morto com um tiro na cabeça a poucas quadras de casa, na zona sul da Capital. O corpo estava jogado em um córrego que passa por um matagal na Avenida Professor Oscar Pereira, no bairro Cascata. Um único tiro acertou o estudante na cabeça. O pai não sabia explicar o desaparecimento.

– Eles (familiares) relataram que não havia nada no comportamento dele que chamasse atenção, mas que, eventualmente, consumia maconha – disse o delegado Francisco Antoniuk.

NOVA PETRÓPOLIS - Jovem é encontrada morta em pousada

A polícia investiga a morte de uma jovem de 21 anos encontrada dentro de uma banheira em uma pousada de Nova Petrópolis, na Serra, na madrugada de ontem. A polícia foi acionada por volta da 1h pelo homem que a acompanhava no local. Reconhecida por familiares que foram ao Departamento Médico Legal, a jovem foi identificada como Luana Samanta Izaguires de Azevedo. Conforme o depoimento do homem à polícia, ela estava passando mal e foi ao banheiro. Ele teria dormido e, quando acordou, encontrou-a afogada. Conforme o delegado Camilo Cardoso, não havia sinais de violência no corpo da jovem nem no quarto. A causa da morte foi divulgada ontem.

PORTO ALEGRE - Homens armados colidem contra viatura policial

Um Ka roubado no final de semana em Porto Alegre foi recuperado de maneira inusitada no final da noite de segunda. Três homens armados acabaram colidindo em uma viatura da Brigada Militar. Ninguém ficou ferido, e o trio foi preso por receptação e porte ilegal de arma.

TAQUARA - Casal é morto a tiros

Um casal foi morto a tiros no início da tarde desta quarta-feira em Taquara, no Vale do Paranhana. Olinda Naira da Silva Martins, 51 anos, e o companheiro dela, Paulo Ávila da Silva, 55 anos, foram assassinados na propriedade do casal na localidade de Linha São João. O filho do casal, Igor Gabriel da Silva, 16 anos, foi baleado no braço, e passa bem. De acordo com a Polícia Civil lá existe um suspeito de ter cometido o crime. As duas mortes seriam consequência de uma disputa por terras. Após efetuar os disparos, o homem, que não teve o nome divulgado, fugiu em um carro branco. A polícia realiza buscas na cidade.



















BRASIL É O MAIS VIOLENTO DO MUNDO PARA CRIANÇAS E JOVENS

ZERO HORA 18 de julho de 2012 | N° 17134

RANKING PREOCUPANTE. Brasil está mais violento para crianças e jovens


O Brasil ficou mais violento para crianças, adolescentes e jovens nos últimos 30 anos. Entre 1980 e 2010, o total de mortes de pessoas entre zero e 19 anos por homicídios, suicídios e acidentes de trânsito cresceu 14,3%. As vítimas desses tipos de violência (chamados de causas externas), que somavam 27,9 casos por 100 mil habitantes em 1980, alcançaram 31,9 casos por 100 mil em 2010.

Em 30 anos, 55 crianças e adolescentes morreram diariamente por homicídios, suicídios e acidentes, total suficiente para colocar o Brasil nos primeiros lugares no ranking de países mais violentos para crianças e jovens no mundo. É o quarto em homicídios e o 12° em mortes em acidentes de trânsito.

A piora no quadro de mortes por causas externas foi puxada pelos homicídios, que cresceram 346,4% em 30 anos. Em 1980, morreram assassinadas 3,1 crianças e adolescentes em cada 100 mil, total que alcançou 13,8 casos por 100 mil em 2010. Também aumentou o total de suicídios (38%) e de acidentes de trânsito (7%).

Os dados são do Mapa da Violência 2012 – Crianças e Adolescentes do Brasil, estudo feito pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-americanos e pela Flacso Brasil.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Precisamos reagir. Hoje é comum ler, ouvir e ver nos veículos de comunicação notícias sobre mortes de crianças e jovens especialmente pelas mãos do crime. O Brasil precisa de uma profunda reforma constitucional e na legislação penal tornando a justiça mais rápida e menos burocrata, as penas temidas, e a execução penal sob controle total, transformando em crime hediondo o assassinato de crianças, jovens e idosos. Por outro lado, é necessário o acesso fácil a vários centros públicos de assistência psicológica e tratamento das dependências e desvios mentais para impedir o aliciamento pelo crime e os suicídios.