SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

CALMA NA TORRE

O SUL, 17/01/2013

WANDERLEY SOARES

A transversalidade procurar evitar o risco de sofrer crítica

Durante governos anteriores ao atual, que adotou a filosofia da transversalidade, as assessorias de imprensa das áreas da segurança, operadas, em parte, por jornalistas profissionais, davam conta, diariamente, das atividades policiais, mesmo correndo o risco natural de fornecerem pauta que motivassem críticas a atuação do governo, o que, em verdade, é uma forma de colaboração com a administração. Só erra quem arrisca e a segurança é ris-co constante. Tratava-se de uma simples convivência transparente com a mídia. A transversalidade acabou com isso. Evita assumir o risco de ser criticada. As assessorias de comunicação só atuam quando provocadas e, fora disso colocam informações maquiadas nos sites. Neste campo, um dos poucos setores que ainda funciona é o do Denarc. Em minha torre estou calmo. Em breve o Rio Grande todo será território da paz, e, até dezembro próximo, o sistema penitenciário gaúcho será referencial nacional


Cotiporã

Polícia prendeu mais um homem acusado de participar do rumoroso assalto à fábrica de joias em Cotiporã. Carlos José Machado dos Santos, de 41 anos, foi localizado em uma casa em Balneário Pinhal, no Litoral Norte. Neste episódio, três bandidos foram mortos em confronto com a Brigada Militar. O caso Cotiporã, que chegou a motivar um almoço da cúpula do Piratini e da área da segurança pública com vítimas dos bandidos, ainda promete outras comilanças


Arquitetura e vandalismo

Um jovem de 20 anos, conhecido como o Da Lapa, foi detido, durante a madrugada de ontem, pichando o viaduto Otávio Rocha, Centro Histórico de Porto Alegre. Ele foi flagrado pelas câmeras de segurança da prefeitura, e detido por agentes da Guarda Municipal. O moço é gente de fino trato, estudante de arquitetura e estagiário da Secretária Municipal de Obras e Viação, no Núcleo de Apoio Administrativo da Supervisão de Edificações e Controle. O secretário Mauro Zacher determinou a demissão do vândalo, que pretende enriquecer o colégio de arquitetos do Estado


Traficante

Agentes do Denarc, coordenados pelo delegado Thiago Bennemann, prenderam, ontem, um moço de 29 anos. A ação ocorreu na rua Fernando Ferrari, bairro Formosa, em Alvorada. O detido possui antecedentes criminais, por ter praticado um homicídio; em 2010, no município onde mora. Com ele, foram apreendidos um carro Corsa, 45 gramas de cocaína, um revólver Taurus, calibre 38, um radiocomunicador, uma balança, quatro celulares, entre outros objetos de uso comum por traficantes de drogas


Nova empresa

Pouca agente atentou para a criação de uma nova empresa gaúcha através da Lei 1.4197/12 publicada no DOE (Diário Oficial do Estado). Trata-se da Empresa Gaúcha de Rodovias S/A, algo ligado ao encerramento de contratos com as concessionárias dos pedágios. Amigos não podem ser deixados ao relento
Postar um comentário