SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

domingo, 20 de janeiro de 2013

FORNECEDOR DO CRIME

ZERO HORA 20/01/2013 | 21h14

Traficante de armas preso em Cristal é suspeito de vender fuzis para grandes assaltos no Estado. Indiciado por tráfico internacional, ele trazia o equipamento em constantes viagens ao Uruguai


Nilton José Cassol, de 54 anos, foi preso na cidade de CristalFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

Bruno Felin
Um homem suspeito de ser um dos principais traficantes de armas do Rio Grande do Sul foi preso na noite do último sábado em Cristal, no sul do Estado. Nilton José Cassol, de 54 anos, trazia armas sob encomenda do Uruguai e é suspeito de ter fornecido os fuzis utilizados por Elisandro Falcão no assalto à fábrica de joias em Cotiporã e por outras quadrilhas de assalto a banco.

O suspeito foi preso enquanto almoçava com uma mulher às margens da BR-116. No fundo falso do porta-malas do Versa que dirigia, estavam um fuzil — versão chinesa para o AK-47 — e dois carregadores. Mais tarde, na casa do criminoso em Pelotas, foram apreendidas três pistolas, duas armas de pressão e munição: 150 unidades de .556, 50 de .765, 52 de 9 milímetros e 63 de 0.30, além de R$ 6,9 mil em dinheiro.

O Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), responsável pela captura, perseguia os passos de Cassol há alguns meses. Na última semana de campana ininterrupta, ele viajou três vezes ao Uruguai via Jaguarão. Na última delas, os agentes fizeram a abordagem. Segundo o delegado Juliano Ferreira, do Deic, o traficante vendia cada fuzil por aproximadamente R$ 30 mil.

— Podemos dizer que nos últimos 30 dias ele não negociou menos do que 30 armas semelhantes a essa somente na Região Metropolitana — explicou Ferreira.

Nilton José Cassol será indiciado por tráfico internacional de armas e foi encaminhado ao Presídio Central. Ainda de acordo com o delegado, é possível dizer que Cassol fornecia armas para grandes bandidos do Estado.

— Tanto o assaltante Falcão, que participou da ação em Cotiporã, quanto o Fábio Rode, assaltante de bancos, tinham armas semelhantes à apreendida ontem e, inclusive, eles se referiram informalmente que foi ele quem forneceu — completou Ferreira.




Postar um comentário