SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

MENTOR DO ASSALTO EM COTIPORÃ PRESO COM ARMAS E EQUIPAMENTOS

ZERO HORA ONLINE 30/01/2013 | 11h35

Terror em Cotiporã. Junto com o assaltante, a polícia apreendeu armas, munição e coletes à prova de balas


Foto: Lívia Stumpf / Agencia RBS

Aline Custódio

Policiais do Deic prenderam, na madrugada do domingo passado, o sexto integrante da quadrilha que tentou roubar a fábrica de joias em Cotiporã, em dezembro de 2012. Segundo o titular do Deic, Juliano Ferreira, Carlos da Silva, 35 anos, era um dos mentores do bando.

Ele foi preso num hotel na RS-240, em São Leopoldo. Ao lado da cama de Carlos, havia um fuzil 556, de fabricação chinesa, munição, coleta à prova de balas e miguelitos. Em seguida, os policiais e o preso seguiram para um sítio em Capela de Santana, local usado pela quadrilha como esconderijo nos primeiros dias após a ação frustrada.

— O sítio, que está em nome da mulher de um assaltante de banco que está foragido, era a base do bando. O lugar estava protegido porque tinha bloqueadores de sinal de celulares — revelou o delegado.


No sítio, os policiais encontraram mais um fuzil 762, uma pistola Taurus 9 milímetros, mais de 200 munições, 13 celulares, cinco rádios transmissores e dois capacetes blindados. Os capacetes, acredita Juliano, seriam usados numa próxima investida dos assaltantes ainda foragidos.


Carlos, que é irmão de Paulo César da Silva, morto no dia do assalto, já tinha sido preso por assaltar a mesma fábrica em Cotiporã, em 2009. Ele havia fugido do semiaberto do Instituto Penal de São Leopoldo em 30 de dezembro, data do crime. Continuam sumidos Luciano da Silveira, condenado por roubo de veículos, 34 anos, e Dejair Jorge Santos dos Reis, com antecedentes por assalto, 39 anos.


DIÁRIO GAÚCHO


No sítio, os policiais encontraram mais um fuzil 762, uma pistola Taurus 9 milímetros, mais de 200 munições, 13 celulares, cinco rádios transmissores e dois capacetes blindados:imagem 2
Policiais do DEIC prenderam o sexto integrante da quadrilha que assaltou a fábrica de joias em Cotiporã:imagem 3
Os policiais e o preso seguiram para um sítio em Capela de Santana, local usado pela quadrilha como esconderijo nos primeiros dias após a ação frustrada:imagem 4
Os capacetes seriam usados numa próxima investida dos assaltantes ainda foragidos:imagem 5
Policiais do Deic prenderam, na madrugada do domingo passado, o sexto integrante da quadrilha que tentou roubar a fábrica de joias em Cotiporã, em dezembro de 2012:imagem 9

Postar um comentário