SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

QUADRILHA APLICAVA GOLPE EM SENADORES E DEPUTADOS


ZERO HORA ONLINE 06/02/2013 | 21h07

Estelionato no Congresso

Descoberta quadrilha que aplicava golpe em deputados e senadores

Grupo pedia dinheiro a parlamentares com o argumento de que seriam próximas de outros políticos e estariam em dificuldades

A Polícia do Senado desbaratou uma quadrilha que aplicava golpes em senadores e deputados. Os estelionatários ligavam para os políticos de telefones dos Estados de Alagoas e Sergipe, pedindo dinheiro com o argumento de que estavam em dificuldades e se passando por pessoas próximas de outros parlamentares.

De acordo com o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo de Araújo, cerca de 10 parlamentares, entre deputados e senadores, prestaram queixa sobre o golpe. Ele estima que a quadrilha extorquiu, apenas nos últimos dois meses, cerca de R$ 20 mil.

Segundo ele, quatro jovens foram identificados como autores do golpe e poderão ser indiciados pelos crimes de formação de quadrilha e estelionato. Eles foram ouvidos por agentes da Polícia do Senado que estiveram nos dois estados.

— Vamos encaminhar o inquérito para o Ministério Público que vai decidir se oferece a denúncia. Mas, com as provas que colhemos, estamos certos de que eles serão indiciados — disse Araújo.

O senador Benedito de Lira (PP-AL) disse que os estelionatários usaram o seu nome para aplicar o golpe em senadores. Segundo ele, a senadora Ana Amélia (PP-RS) depositou R$ 1,2 mil para uma pessoas que se passou por amigo dele.

— Ela disse que um cara ligou em meu nome contanto que estava no meio de uma estrada com o carro quebrado e não conseguia falar comigo. Mas nunca autorizei ninguém a pedir nada em meu nome — disse o senador.

O senador alagoano acredita que esse tipo de golpe se tornou comum no país porque, segundo ele, não há a devida punição.

— Eles não diferenciam mais ninguém, quem é político de outros cidadãos. Está virando uma anarquia — disse.

Assessores da senadora Ana Amélia negaram que ela tenha sido vítima da quadrilha. Segundo eles, um funcionário do gabinete atendeu uma ligação dos estelionatários que pediam dinheiro, em nome do senador Benedito de Lira, para concerto de um carro que estava quebrado em uma estrada.


AGÊNCIA BRASIL

Postar um comentário