SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

SANTA CATARINA SOB ATAQUES NOVAMENTE

ZERO HORA, DIÁRIO CATARINENSE
01 de fevereiro de 2013 | N° 17330


CENÁRIO PREOCUPANTE


O barulho dos vidros quebrando, a vizinha gritando e o calor do fogo acordaram Janete Lima, 35 anos, ontem de madrugada. Eram 2h quando ela saiu para ver o que ocorria em frente à casa em que mora, na Rua João Schmidt, em Gaspar (SC). Do outro lado da rua, um ônibus em chamas a assustou.

– Não vi quem foi e como aconteceu. Só acordei quando estava tudo queimando – relatou.

Janete presenciou um dos seis atentados ocorridos em Santa Catarina entre as noites de quarta-feira e ontem. Por volta das 22h30min, ocorreu na capital, Florianópolis. Um ônibus da empresa Transol foi incendiado. Conforme informações apuradas pela polícia até as 23h30min de ontem, não houve vítimas. Além dos ataques em Florianópolis e Gaspar, foram registrados casos em Balneário Camboriú e em Itajaí, onde uma viatura da Coordenadoria de Trânsito e um estabelecimento comercial foram incendiados. Ninguém foi preso.

Incendiada por volta de 1h30min de ontem, a viatura estava no pátio da Secretaria de Segurança, quando alguém passou de carro e jogou um coquetel molotov. A nova onda de atentados, como a que foi registrada entre 12 e 18 de novembro do ano passado, fez com que as autoridades policiais entrassem em alerta. Para as polícias, ainda não há clara definição dos motivos que levaram as cidades do Vale a serem alvo dos criminosos. As autoridades também afirmaram que é impossível dizer no momento se os ataques têm ligação com os fatos ocorridos em 2012.

O comandante-geral da Polícia Militar em Santa Catarina, coronel Nazareno Marcineiro, afirmou que os atentados não são motivo para pânico. Segundo ele, já há suspeitas sobre a autoria do incêndio em três ônibus. O comandante não revelou detalhes.

Em novembro passado, pelo menos 15 municípios de Santa Catarina tiveram ataques a ônibus, viaturas, carros particulares e prédios. Foram registradas prisões e mortes de suspeitos.


Nem mesmo delegacia escapa dos bandidos

ÁLISSON COELHO

A audácia dos bandidos parece não ter limites. Em São Francisco de Paula, a Delegacia da Polícia Civil foi arrombada.

Ocrime aconteceu na madrugada de segunda-feira, e armas foram levadas. Uma pistola calibre .380, que pertencia a um dos servidores da delegacia, uma carabina puma calibre .38 e uma espingarda calibre .12, que eram da Polícia Civil, agora estão nas mãos de bandidos.

Conforme a delegada regional, Elisângela Melo Regelin, já há suspeitos.

– Não estamos divulgando nomes para não atrapalhar as investigações. Pretendemos concluir o inquérito apreendendo as armas – afirma ela.

Os ladrões entraram no prédio por uma basculante da garagem. Depois de recolherem as armas, estragaram todos os computadores e impressoras da delegacia, deixando os agentes sem meios de trabalhar. Na quarta-feira, os equipamentos foram encaminhados para conserto em Porto Alegre.

Os criminosos ainda fugiram em um carro da Polícia Civil, um Fiesta adesivado. O veículo foi encontrado na manhã de segunda-feira em Santo Antônio da Patrulha.

A delegacia não tem plantão à noite e aos finais de semana, em razão da pouca demanda e do número reduzido de servidores. Atualmente, o delegado de Canela, Daniel Reschke, responde pela DP. São três agentes trabalhando diariamente no município de 20 mil habitantes, para atender uma área de mais de 3,2 mil quilômetros.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - ALERTA: Senhora Presidente, senhores Congressistas e senhores Ministros da Justiça. Está na hora dos três Poderes mais o MP se reunirem para encontrar soluções nas questões de justiça criminal e ordem pública, sob pena de serem coniventes com esta guerra que está se arrastando pelas unidades federativas e entregar o Brasil à bandidagem.
Postar um comentário