SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

TENSÃO EM SC

ZERO HORA 02 de fevereiro de 2013 | N° 17331

Transferência de detento pode estar ligada a ataques

Governo admite relação entre atentados desta semana e os ocorridos em novembro do ano passado



Em nova série de ataques ao transporte coletivo e a prédios da segurança pública, a Polícia Militar (PM) registrou pelo menos 15 atentados em seis cidades de Santa Catarina desde as 22h de quarta-feira. As ocorrências foram registradas em Florianópolis, Palhoça, Itajaí, Balneário Camboriú, Camboriú e Gaspar.

De a cordo com a PM, uma delegacia de Camboriú (79 km de Florianópolis) foi atacada com uma granada, e uma base da PM em Canasvieiras foi incendiada.

O secretário de Segurança Pública de Santa Catarina, César Grubba, admitiu ontem em entrevista coletiva a relação entre os ataques desta semana e os atentados de novembro passado. Grubba atribuiu os crimes às facções criminosas do Estado, entre elas o Primeiro Grupo Catarinense (PGC).

Conforme o secretário, uma das hipóteses é que o motivo da violência seja a transferência de Rodrigo de Oliveira, preso por tráfico de drogas na penitenciária de São Pedro de Alcântara (30 km de Florianópolis), para uma unidade do sul do Estado. Foi da penitenciária de São Pedro que, em novembro de 2012, presos organizaram três dias de ataques. Foram 67 registros em 17 cidades. Na época, 70 pessoas foram presas por suspeita de participação nos episódios.

Órgãos de segurança pública passaram a sexta-feira em reuniões para tentar controlar a nova onda de atentados. As empresas de ônibus reduziram algumas linhas.

Até ontem, o auxiliar de cozinha Eron de Melo, 19 anos, ferido nos ataques, permanecia internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Hospital Celso Ramos, no centro de Florianópolis. Ele sofreu queimaduras no rosto e em partes do corpo, por volta das 23h40min de quinta-feira, quando dois homens interceptaram o ônibus em que estava, no bairro Ingleses, para queimar o veículo.

Segundo a Polícia Militar, Eron, cuja família é de Bagé, era o único passageiro na hora do ataque. Havia pego o último ônibus e, quando faltavam duas paradas antes de casa, viu o incêndio começando.

O jovem foi atendido em um posto de saúde da região, mas precisou ser transferido ao hospital. Deve ficar internado em Florianópolis até a próxima semana, mas depois deve ser levado para o Hospital Santa Tereza, em Lages, onde estão abertas duas vagas em UTI. O hospital é referência para o tratamento de queimados. O quadro de saúde do jovem é estável.

FLORIANÓPOLIS

Cronologia dos atentados

- Os ataques recomeçaram na quarta-feira, em Balneário Camboriú, com um ônibus como alvo. Uma hora depois, um veículo da empresa Rodovel foi incendiado em Gaspar. Vinte minutos depois, outro ônibus foi atacado na mesma cidade.

- Quase no mesmo horário, em Itajaí, um bar e mercearia pode ter sido alvo.

- Na quinta, uma viatura da Coordenadoria de Trânsito da prefeitura de Itajaí foi incendiada por volta de 1h30min.

- Em Camboriú, houve o incêndio de um ônibus, às 22h30min. A delegacia foi atacada por volta das 23h30min.

- Após as 23h30min, dois ônibus foram atacados em Palhoça.

- No Norte da Ilha, dois ônibus da empresa Canasvieiras foram incendiados por volta de 23h40min. Um atentado aconteceu na estrada Dário Manoel Cardoso, na Praia dos Ingleses, e outro, na Rodovia João Gualberto Soares, na localidade do Canto do Lamim.

- Por volta das 5h de ontem, uma base da Polícia Militar em Canasvieiras foi incendiada.

- Outros dois ataques aconteceram na Praia Brava.
Postar um comentário