SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 28 de março de 2013

CNN: MACEIÓ É A SEXTA CIDADE MAIS VIOLENTA DO MUNDO

GAZETA WEB - 28.03.2013 - 13h51

Violência em Maceió é destaque na imprensa internacional

Reportagem da CNN México coloca a capital alagoana como a sexta cidade mais violenta do mundo

» Gazetaweb



A violência que atinge a população alagoana foi destaque na imprensa internacional, nessa quarta-feira (27), quando Maceió apareceu em uma reportagem veiculada pela sucursal mexicana da rede de televisão CNN como a sexta cidade mais violenta do mundo.

Segundo a pesquisa divulgada por um instituto de pesquisas mexicano, Maceió tem uma taxa de 85,88 homicídios por cada 100 mil habitantes. A outra cidade brasileira que também aparece na lista é João Pessoa, com 71,59 assassinatos pela mesma quantidade de habitantes.

A matéria chama atenção para o fato de que quase todas as cidades listadas estão localizadas no continente latino americano. O estudo só levou em consideração as cidades com mais de 300 mil habitantes.

Maceió já havia sido destaque na imprensa nacional no último domingo, quando o jornal Folha de São Paulo veiculou uma reportagem falando sobre as “áreas proibidas” da capital alagoana, locais dominados pela criminalidade.
Postar um comentário