SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 29 de março de 2013

CRIME SEM FREIO

ZERO HORA 29 de março de 2013 | N° 17386

Cinco roubos em postos da Capital em cinco horas. Apesar de ações da Brigada, ataques seguem em alta e alarmam frentistas


Se o medo da violência já acompanha as noites de trabalho de frentistas de Porto Alegre, bandidos deram uma forte demonstração de que os postos de combustíveis tornaram-se um dos principais alvos do crime. No intervalo de apenas cinco horas, cinco estabelecimentos foram assaltados em quatro diferentes bairros.

Asituação assusta proprietários, funcionários e clientes de postos. Desde o começo do ano, a Brigada Militar incrementou ações de fiscalização, mas os números do Sindicato dos Postos de Combustíveis (Sulpetro) indicam a mesma média de um roubo por dia registrada pelo menos desde meados do ano passado. Foram 92 ataques em 2013 na Capital.

Um dos alvos foi o posto na esquina entre as avenidas Getúlio Vargas e José de Alencar, no bairro Menino Deus (veja quadro ao lado). Foi o segundo assalto em 24 horas, totalizando R$ 850 de prejuízo. O presidente do Sulpetro, Adão Oliveira, está cada vez mais alarmado com a situação:

– As forças de segurança já estão agindo, nós vemos. Mas não está adiantando e não é suficiente, a gente sabe que a nossa legislação, muitas vezes, também favorece o marginal, porque eles são presos em um dia e no outro estão na rua de novo. Está cada vez mais difícil manter o negócio, mas temos de confiar na Brigada Militar.

A indignação do dirigente se justifica não apenas pelo prejuízo – em média, de R$ 200 por assalto –, mas pela inviabilidade do negócio. Muitos proprietários desistiram de trabalhar durante a madrugada pela dificuldade de encontrar funcionários dispostos a encarar o trabalho sob risco.

Em um posto da Avenida Farrapos, por exemplo, o único frentista que trabalhava no horário em que acontece a maioria dos roubos teve levados R$ 365 por dois adolescentes, na terça-feira. A orientação é para os funcionários não acumularem grandes valores, mas o suficiente para “não irritar o bandido”, como confessa um frentista.

Serviço de inteligência da BM faz mapeamentos dos casos

Em reunião recente, os proprietários de postos ouviram do secretário da Segurança Pública, Airton Michels, a promessa de uma solução mais eficaz para a onda de assaltos. Ele prometeu que será feita uma análise desse tipo de crime. Em 15 dias, o trabalho, que consistirá em levantamento de dados e mapeamento dos assaltos pelo serviço de inteligência da Brigada Militar, deve ser apresentado.

De acordo com Michels, PMs recém-formados que entrarão em atividade no final de abril devem ampliar o policiamento ostensivo próximo aos postos. O Comando de Policiamento da Capital promete manter operações específicas. Mais de 50 pessoas já foram detidas. São barreiras relâmpago em praticamente todos os cantos da cidade e próximo aos postos de combustíveis, para surpreender os criminosos.

EDUARDO TORRES

A série de assaltos

QUARTA-FEIRA
- 22h30min – Um homem armado roubou R$ 200 de posto na Rua Vicente da Fontoura, bairro Santana.
- 23h45min – Uma dupla armada roubou quantia não divulgada do frentista em posto na Avenida Bento Gonçalves, no bairro Partenon.

ONTEM
- 1h15min – Três homens armados roubaram R$ 450 do frentista em posto na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Menino Deus.
- 1h30min – Trio armado levou dinheiro do caixa da loja de conveniências em posto na Avenida Ipiranga, bairro Jardim do Salso.
- 3h30min – Dupla armada roubou quantia não revelada em posto na Avenida Cristiano Fischer, bairro Jardim do Salso.
Postar um comentário