SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 30 de março de 2013

IMPUNIDADE EM SC: ASSALTANTE DO PCC ESTAVA EM LIBERDADE HAVIA 25 DIAS


ZERO HORA, DIÁRIO CATARINENSE ONLINE, 30/03/2013 | 07h01

Líder da quadrilha surpreendida pela Deic em Major Gercino estava em liberdade havia 25 dias. Polícia diz que Jonathan Fischer seria integrante do PCC.

Diogo Vargas



O assaltante Jonathan Rafael Fischer, 29 anos, saiu há 25 dias da cadeia para tombar morto em frente a uma agência bancária.

Assim como ele, outros dois comparsas tiveram o mesmo destino, num confronto com a polícia, na madrugada de sexta-feira, em Major Gercino, no Vale do Rio Tijucas.

Investigado por supostamente ser integrante da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo, Jonathan seria o líder da quadrilha rastreada pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e cujo flagrante culminou com o tiroteio seguido das três mortes, na frente do banco, no Centro.

Dois ladrões conseguiram fugir e são procurados na região. Um deles seria conhecido como Ceará.

Os policiais da Deic, comandados pelo delegado da divisão de combate a furtos e roubos da Deic, Anselmo Cruz, investigavam o bando de Jonathan há 30 dias. Na madrugada de sexta, descobriram que o grupo assaltaria o banco e fizeram o cerco assim que os assaltantes entraram na agência, por volta das 3h.

A quadrilha chegou num Vectra da cor prata com placas de Camboriú. Encapuzados e com luvas, os bandidos portavam pistolas e uma espingarda calibre 12. Eles foram surpreendidos quando colocariam as bananas de dinamite nos caixas eletrônicos.

Os dois fugitivos foram os que ficaram na frente do banco fazendo a segurança. A polícia relatou que houve intensa troca de tiros. Nenhum policial ficou ferido.

Quatro pistolas foram apreendidas. No carro, havia três vidros com miguelitos (pregos para furar pneus) que seriam utilizados na fuga e kits de sobrevivência.

O DC apurou que Jonathan deixou a Penitenciária de São Pedro de Alcântara no dia 4 deste mês beneficiado por alvará de soltura.

A Justiça o libertou para que cumprisse em regime aberto a condenação de três anos por receptação e uso de documento falso.

Jonathan havia sido preso em abril do ano passado pela própria Deic em ofensiva contra quadrilhas que assaltavam caixas eletrônicos pelo Estado.

A suspeita agora é que, com a liberdade, tenha rearticulado novo bando e agido também no dia 19 deste mês, em Luis Alves, no Vale.

A quadrilha levou dinheiro de caixas eletrônicos após explodir caixas eletrônicos do Banco do Brasil. Jonathan é de Campo Bom, interior gaúcho. A quadrilha teria base no litoral Norte, em Itajaí e Navegantes.

Postar um comentário