SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 5 de março de 2013

SEGURANÇA LENTA

ZERO HORA 05 de março de 2013 | N° 17362

TRAPALHADA NA CAPITAL. Furto flagrado, mas polícia chega tarde

Homem aciona BM, que chega mas vai embora sem perceber arrombamento



A manhã de ontem foi de decepção para uma comerciante de 53 anos do bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Ao chegar a sua loja, a Ótica Milano, descobriu que um ladrão abrira um buraco na parede dos fundos e levara parte do estoque. Mas o pior ela estava por saber.

Na tarde de domingo, um vizinho flagrou o criminoso em ação. Além de fotografá-lo, chamou a Brigada, que demorou demais a chegar.

O ladrão levou armações de vários modelos e um notebook – tudo avaliado em cerca de R$ 20 mil. Então, o alarme disparou.

– Por isso, fugiu e deixou coisas para trás – disse a mulher, que não quis ser identificada e cuja loja já foi atacada três vezes em um ano.

Ela critica a empresa de segurança particular:

– Disseram que foi um evento. Acharam que tinha sido queda de luz.

Funcionário da Embeck Segurança, João Marques explica:

– O alarme tocou às 17h58min31s. E parou às 17h58min50s. Fui ao local, pela frente, porque não tenho acesso ao prédio. Como foi por pouco tempo, poderia ser um roedor ou um disparo acidental, e a gente não chama o cliente, até para não assustar. A gente não conseguiu ver o buraco nos fundos.

Conforme os registros da Brigada Militar, o chamado ao 190 foi feito às 17h40min. Às 17h43min, o 1º BPM, responsável pela área, foi acionado. Só às 18h3min, 23 minutos depois do aviso, uma viatura foi ao local. Os PMs ficaram pouco tempo e saíram.

– Efetuadas as averiguações, não foi constatada ocorrência, tampouco achado o reclamante. Foi tentado contato telefônico com o solicitante, que não foi encontrado. Não se pode ficar muito tempo nas ocorrências, há muitas – informa o chefe do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública, major Gilberto Viegas.

Segundo o major, o 190 recebe em média cerca de 4,1 mil chamadas por dia, das quais 20% são trotes.
Postar um comentário