SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 13 de março de 2013

VIOLÊNCIA NA CAPITAL GAÚCHA

ZERO HORA 13 de março de 2013 | N° 17370

Arma é pista na morte de universitária em assalto
Ladrões de carro teriam jogado pistola em pátio de casa depois do ataque a casal de namorados


A morte de uma estudante de 22 anos abalou uma comunidade universitária e tornou-se o mais recente episódio de uma triste rotina de violência em Porto Alegre. Na noite de segunda-feira, Lauane Custódio Lucas, aluna do nono semestre de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foi assassinada a tiro por ladrões de carros na Rua São Luiz, no bairro Partenon.

O latrocínio (roubo com morte) aconteceu por volta das 21h quando a vítima chegava, com o namorado, Bruno Crixel Zimpel, 27 anos, ao edifício onde morava com a família. Pelo menos três homens armados abordaram o casal no portão do prédio. Os bandidos queriam o Mégane de Zimpel, que recém havia sido estacionado em frente ao edifício. Mesmo com a entrega da chave do veículo, os bandidos dispararam um tiro.

A bala atravessou o ombro de Zimpel e atingiu o pescoço de Laune. Socorrido, o namorado foi levado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), de onde recebeu alta às 5h de ontem. A jovem foi atendida pelo Samu, mas morreu no local. Os criminosos fugiram sem levar o carro.

Em depoimento à polícia, o namorado de Lauane afirmou que não reagiu ao assalto e teria entregue os objetos que tinha em mãos. Confuso, ele não soube precisar se era a chave do carro ou outro material. Sem levar o veículo, que ficou intacto, dois dos três bandidos teriam andando uma quadra até a Rua Luiz de Camões, onde embarcaram em um táxi. No caminho, a suposta arma usada para atirar no casal – uma pistola .40 – foi jogada no pátio de uma casa na Rua Marques de Abrantes, no mesmo bairro. A Brigada Militar (BM) recolheu a arma, que foi enviada para a perícia.

– Ouvimos a dona da casa onde a pistola foi largada. Ela nos disse ter visto uma pessoa descer de um táxi e deixar um objeto no pátio, voltando ao veículo logo depois. Vamos tentar ver as digitais para identificar quem atirou. Se conseguirmos, é a prova mais real possível – explica o delegado Omar Sena Abud, da 11ª Delegacia da Polícia Civil.

Polícia refez o trajeto de bandidos em táxi

Ontem, o taxista prestou depoimento e refez o trajeto da corrida com os policiais. Ele teria deixado a dupla na esquina das ruas Caldre Fião e Paulino Azurenha, onde os bandidos pagaram a corrida. A parada em uma casa no trajeto, para deixar a arma, não foi esclarecida pelo motorista.

Para o delegado Abud, o endereço final é um ponto de referência, mas não significa que sejam moradores da região, pois a dupla pode ter entrado em outro carro após o desembarque.

HOMERO PIVOTTO JR. | ESPECIAL


Uma jovem apaixonada pela futura profissão

No cemitério João XXIII, onde o corpo da universitária Lauane Custódio Lucas foi velado e sepultado, o clima entre amigos e familiares era de consternação e inconformidade. Às 11h42min, o silêncio que dominava o ambiente foi rompido pelo choro. Nesse momento, o carro funerário que trazia o caixão com o corpo da vítima chegou ao local.

– Era um amor de pessoa, feliz e sorridente. Porém, sempre discreta. Ouvi um barulho e fui espiar na janela. Vi o rapaz (namorado da vítima) gritando por socorro e urrando de dor. Não há mais lugar seguro em Porto Alegre – desabafou uma moradora do prédio onde Lauane vivia desde criança.

Um grupo de colegas de faculdade descreveu Laune como uma pessoa estudiosa, extrovertida, brincalhona, espontânea e habilidosa nas lides da futura profissão. A vaidade da estudante e o uso frequente de salto alto também foram recordados pelos amigos da turma 1.302 de Odontologia.

Outra colega lembrou que a amiga havia voltado de recente viagem de cruzeiro com o namorado.

– Ela nem teve tempo de contar pra gente como foi as férias – lamentou a colega Eliane Schoenknecht, 23 anos.

Apesar de não ter sido professor da jovem, o diretor da faculdade de Odontologia, Pantelis Varvaki Rados, já tinha ouvido relatos sobre a paixão de Lauane pela Odontologia:

– A informação que a gente tem é de que ela era extremamente dedicada e cuidadosa com pacientes que atendia durante a parte prática do curso, além de ser envolvida com pesquisas na faculdade.

Na sexta-feira, professores e alunos da UFRGS devem organizar uma manifestação contra a violência, a ser realizada no prédio da Odontologia da universidade, na Rua Ramiro Barcelos.



PORTO ALEGRE - Rotina: posto é alvo de assalto

Mais um posto de combustíveis foi assaltado em Porto Alegre. Dois criminosos atacaram por volta das 21h de segunda-feira o Posto Via Porto, na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia, bairro Rubem Berta, na Zona Norte. Armados, eles levaram R$ 150 do caixa do estabelecimento e roubaram uma Captiva azul de um cliente. Em 2013, 69 postos já foram atacados por ladrões em Porto Alegre


PORTO ALEGRE - Presa dupla suspeita de roubos a pedestres

Dois homens suspeitos de uma série de assaltos na zona sul da Capital foram presos em uma ação do Brigada Militar, na madrugada de ontem, no cruzamento entre as avenidas Juca Batista e Eduardo Prado, logo após atacarem um casal. Com eles foi recuperado o celular de uma das vítimas. Os jovens, de 19 e 22 anos, são investigados por diversos roubos a pedestres.

– Pela descrição das vítimas e o modo de agir, acreditamos que, só este ano, foram responsáveis por pelo menos 10 assaltos nos bairros Guarujá e Ipanema – disse o capitão da BM Fabio Kuhn.






Postar um comentário