SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

LADRÕES EXIGEM RESGATE PARA DEVOLVER VEÍCULOS


ZERO HORA 18 de abril de 2013 | N° 17406

SEQUESTRO DE MOTOS. Além de furtar ou roubar oito motocicletas por dia, em média, criminosos cobram para devolvê-las

RENATO GAVA

Criminosos especializados em roubar e furtar motocicletas estão procurando os proprietários, após assaltá-los, com o objetivo de negociar a devolução dos veículos. Para isso, os assaltantes exigem dinheiro, uma espécie de resgate pago pela vítima. A cada dia, pelo menos oito motos são levadas em Porto Alegre – a média de uma a cada três horas.

Ao chegar ao endereço da entrega de um pedido na Lomba do Pinheiro, um motoboy de 29 anos, que trabalha na zona leste da Capital, percebeu se tratar de uma armadilha. Cercado por dois homens armados, ele perdeu o veículo, os documentos, a pizza e até as botas que usava.

– Pelo baú, viram onde eu trabalhava e ligaram para a empresa. Negociamos por alguns minutos e fiquei de dar R$ 500 pela moto, mas fiz questão que me entregassem também as botas – descreveu.

De acordo com o moqueiro, no dia seguinte, a pedido dos criminosos, deixou o dinheiro em um beco bem perto da pizzaria:

– Eu nem tinha saído de lá quando um cara pegou o envelope com o dinheiro e deixou um bilhete dizendo que a moto estaria atrás do Cemitério Jardim da Paz. Fui lá e a encontrei. As botas estavam do lado – relatou o motoboy.

Ele pediu para não ser identificado porque seus documentos ficaram com os criminosos.

Titular da Delegacia de Roubos de Veículos, o delegado Juliano Ferreira condena a prática:

– O certo é comunicar à polícia. Na maioria das vezes, a pessoa se torna vítima duas vezes, pois o criminoso não devolve a moto. É a polícia que deve tentar correr atrás do bem para localizá-lo.

Estado registra em torno de 16 casos a cada dia

Em todo o Rio Grande do Sul, a média diária é de 16 casos – 12 deles nas 10 principais cidades da Região Metropolitana. A Honda CG, líder de produção e venda entre todos os veículos fabricados no país, também encabeça o ranking das motos mais procuradas por bandidos.

– O destino é basicamente para desmanche, para abastecer o comércio de peças – aponta o delegado.


Instrumento usado em assaltos

Antes de a moto parar na mão de desmanches ilegais, porém, ela costuma ser utilizada em outros crimes. Parte dos roubos a estabelecimentos comerciais é feita por homens em motocicletas roubadas.

– Temos uma série de operações, barreiras no trânsito, com as quais inibimos o roubo de todos os veículos. Mas não é só isso – diz o comandante de Policiamento da Capital (CPC), coronel João Diniz Godoi.

Segundo o oficial, o serviço de inteligência do CPC detectou alguns grupos que agem na Capital. Entre eles, um casal que, de ônibus, vai ao Centro carregando capacetes para roubar uma moto e fugir com ela. PMs à paisana tentam localizar a dupla.



Cuidados que reduzem riscos

- Jamais pare a motocicleta em locais escuros. E evite ao máximo estacionar nas ruas.

- Mesmo que o veículo fique em garagem com portão, coloque trava própria e alarme. Portas são fáceis de arrombar, e motos podem ser levadas numa caminhonete.

- Se tiver de estacionar, faça em locais movimentados e privados, como postos. Parar na via para atender telefone pode atrair ladrões.

- Invista em alarme corta-corrente e em rastreadores. Apesar de não serem baratos, costumam fazer com que o bem seja recuperado.
Postar um comentário