SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

PROMESSAS NATALINAS

ZERO HORA Porto Alegre, Quinta-feira, 25 de Abril de 2013



WANDERLEY SOARES


Segurança Pública não é regalo a ser esperado em tempos de Papai Noel

O chamado "policiamento comunitário" será instalado no final do ano nos chamados "Territórios da paz", em Porto Alegre. A proposta da política transversal da segurança pública gaúcha é a criação de 40 núcleos na cidade. De minha torre, sempre como um humilde marquês, aponto que o policiamento deve se intitular policiamento, seja em Porto Alegre, seja no interior do Estado. Mas, admitindo a ideia do tal "policiamento comunitário", pelo tempo em que a transversalidade está no Piratini, ele deveria começar hoje e não no midiático período natalino. Sigam-me


Bento

A Secretaria da Segurança Pública instalou terça-feira, dia 23, o Policiamento Comunitário em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. O projeto atenderá a 15 bairros do município que formarão seis núcleos, com total de 18 policiais militares. Esta é a informação oficial: um total de 18 PMs para 15 bairros


Reforço

Dois supermercados e uma lanchonete foram assaltados na noite de terça-feira em Porto Alegre num intervalo de menos de meia hora, na mesma região da cidade. O primeiro caso ocorreu na avenida Jerônimo de Ornelas, bairro Santana, contra a lancheria Planetário. Vinte minutos depois, foi assaltado o supermercado Zaffari, na rua Fernandes Vieira, bairro Bom Fim. Pouco depois, ocorreu ataque ao supermercado Nacional, simplesmente em frente ao HPS, pertinho da 10 DP e de um posto da Brigada. Ontem, no meio da tarde, no bairro Menino Deus, um assalto deixou pelo menos dois feridos. Tudo isso, nas primeiras horas da instalação do reforço do policiamento preventivo-ostensivo em Porto Alegre e no Estado.


Simpatia

Estão previstas para breve algumas mudanças nas cúpulas das organizações policiais do RS o que, como sempre, provocará um efeito cascata que atingirá até mesmo a atividade do guarda da principal avenida da Bossoroca. Para a sociedade, nada terá consequência positiva enquanto a política da segurança estiver embolada com a montagem de núcleos caçadores de votos para os campeões de simpatia dos chamados "Territórios da paz"


Bancos

Ataques contra bancos no País subiram quase 57% em 2012. Neste item, a maior parte da responsabilidade é dos banqueiros que mantém um sistema de segurança de mentirinha. O Poder Público é encarregado de conter os assaltantes, e o contribuinte paga tudo


Execução (1)

Um jovem de 18 anos foi morto, ontem, na rua Victor Issler, bairro Espírito Santo, Zona Sul da Capital. O guri foi atingido por seis tiros


Execução (2)

Um agricultor foi morto dentro de sua casa no interior de Tuparendi, no Noroeste do Estado. José Miguel Hemsing, 55 anos, abriu a janela para verificar um barulho e foi baleado duas vezes no rosto. A mulher dele também foi atingida por tiros e está hospitalizada. O atirador fugiu sem ser identificado.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - É muito boa esta ideia da expansão do policiamento comunitário que nada mais é do que o resgate das estratégias antigas de policiamento de posto, de módulo, de pontos bases, só que mais aproximadas dos bairros e com maior contato com as comunidades e com o cidadão morador ou comerciante. Porém, o que se vê em desenvolvimento é uma estratégia política de policiamento ostensivo, comandada e idealizada na Secretaria de Segurança Pública com aceno de verbas extras para o policiais voluntários. Apesar do Comando Geral tê-la definida como uma filosofia institucional da Brigada Militar, na realidade real não é. É só passar pelos antigos módulos da BM e verão a maioria fechados. Também não se vê na capital, postos de policiamento com guarnições definidas e comandos conhecidos distribuído pelos bairros. 


Postar um comentário