SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

domingo, 21 de abril de 2013

PROTESTO POR MAIS POLICIAMENTO

CORREIO DO POVO,  21/04/2013 17:41

Moradores do bairro Ipanema protestam por mais policiamento. Manifestantes se queixam de som alto e sujeira na zona Sul da Capital




Manifestantes se queixam de som alto e sujeira na zona Sul da Capital
Crédito: André Ávila


Moradores do bairro Ipanema, na zona Sul de Porto Alegre, organizaram uma manifestação neste domingo para cobrar das autoridades mais policiamento na região. De acordo com eles, a insegurança e a perturbação do sossego são crescentes na região, principalmente durante os finais de semana. Entre as principais reclamações estão o som alto dos automóveis, arrombamentos e a sujeira provocada por pessoas que frequentam o local durante as madrugadas.

“De sexta para sábado, não tem como dormir. O barulho vai até as 5h da manhã”, reclama o professor Alexandre Vitorino, 50 anos, que vive há sete anos em Ipanema. Ele e outros moradores levaram cartazes e distribuíram panfletos aos frequentadores da orla, próximo ao ponto em que consideram o mais inseguro – na avenida Guaíba, entre a rua das Laranjeiras e a rua Pirajá.

Os moradores alegam que já solicitaram providências às autoridades, mas não foram atendidos. “A Brigada Militar diz que não tem efetivo. E a Balada segura, aqui, não existe”, acrescenta Vitorino. Por isso, segundo ele, a mobilização deverá ter continuidade. “Vamos fazer todos os finais de semana até que venha alguém para dar uma solução”, afirmou.

Enquanto isso não ocorre, os organizadores da manifestação alegam que a insegurança está causando a desvalorização de patrimônios na região, e que muita gente já pensa em se mudar. “Queremos que as pessoas frequentem a orla, o que não queremos é a marginalidade”, completa Vitorino.

No fim da tarde deste domingo, a Brigada Militar começou uma operação no local.


Fonte: Danton Júnior / Correio do Povo
Postar um comentário