SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

ROUBO E FURTOS SA


ZERO HORA 10 de abril de 2013 | N° 17398

Região Metropolitana e Litoral concentram ataques

Ação de ladrões de veículos faz com que seguradoras cobrem valor até 50% superior em áreas visadas


LEANDRO STAUDT | RÁDIO GAÚCHA

Entre as 10 cidades com maiores taxas de furto e roubo de veículos no Estado, seis são da Região Metropolitana e quatro do Litoral Norte. O ranking feito pela Rádio Gaúcha considera estatística da Secretaria da Segurança Pública (criminalidade 2012) e do Detran (frota em dezembro de 2012).

Alista é liderada por Balneário Pinhal, seguido de Porto Alegre, Novo Hamburgo, Cidreira, Canoas, Tramandaí, Alvorada, Esteio, Gravataí e Capão da Canoa. No caso das praias, há distorção no índice, já que a frota registrada nos municípios é menor e os roubos e furtos ocorrem principalmente durante o veraneio, quando o número de veículos aumenta.

Em 2012, ladrões levaram 1,29% dos veículos de Porto Alegre, considerando automóveis, motos, caminhões e ônibus. Em 12 meses, foram roubados 6.101 e furtados 3.562 veículos na Capital.

A taxa de veículos na mira dos bandidos na Capital é quase o dobro em relação a Caxias do Sul, segunda maior frota do Estado. Na cidade da Serra, foram roubados ou furtados 1.874 veículos no ano passado, 0,71% do total. Entre as 10 maiores frotas gaúchas, a chance de ter o veículo levado por ladrões é menor no Sul e em Santa Maria. Em Pelotas, a taxa é de 0,35% e em Rio Grande fica em 0,21%. O menor índice é de Santa Maria, com 0,17%.

Motoristas da Região Metropolitana sentem no bolso: eles pagam os maiores valores para segurar o carro.

Seguro varia até 48% na Capital


A reportagem comparou o seguro em 10 municípios com maiores frotas. Como referência, foram escolhidos um Gol 1.0, ano 2011, a seguradora líder de mercado e um motorista com 50 anos, residente no Centro.

Porto Alegre tem o prêmio mais alto: R$ 1.409,86. Em seguida, aparecem Canoas (R$ 1.280,91), São Leopoldo (R$ 1.268,51) e Novo Hamburgo (R$ 1.241,68). O menor valor é em Pelotas – R$ 973,93, 31% mais barato. Na Capital, varia de R$ 1.409,86, no Centro, a R$ 1.365,32, Zona Sul, até R$ 2.015,24 na Zona Norte (+ 48%).

– É mais caro pela proximidade com desmanches e pelo índice de roubos e furtos – explica o presidente do Sindicado das Seguradoras do Estado, Julio Cesar Rosa.

Contraponto - O que diz o delegado Juliano Ferreira, titular da Delegacia de Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos do Deic: Conforme o delegado Juliano Ferreira, a polícia está focada nos 15 municípios mais visados pelos ladrões. Ele diz que assumiu a delegacia com o desafio de reduzir os índices. Em Porto Alegre, os bairros mais atacados são Centro, Petrópolis, Sarandi, Rubem Berta e Vila Ipiranga. A Zona Norte é a área mais perigosa pela proximidade com a Região Metropolitana.

– Eu digo que 100% dos crimes são encomendados, ou desmanche, ou clonagem ou outra quadrilha de roubo de banco – relata Ferreira.

O delegado explica ainda que o desafio é mostrar à Justiça que os envolvidos, ladrões e receptadores, fazem parte de um amplo esquema criminoso.





Postar um comentário