SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

A CABALA NA CRIMINALIDADE


O SUL Porto Alegre, Sexta-feira, 10 de Maio de 2013.



Na política da segurança pública, os mistérios dos números são habilmente conduzidos por especialistas


Os iniciados em escolas místicas, inclusive as cristãs, segundo a área em que realizam seus experimentos, apontam diferentes números como tendo conteúdo ou poderes cabalísticos. Tenho para mim que todos os números, isoladamente ou em grupos, envolvem poderes que nem mesmo matemáticos conseguem deles, os números, uma exegese plena, sem arestas discutíveis. Nesse campo, as escolas políticas operam assessoradas por técnicos de grande habilidade. A partir da ideia de que "os números não mentem", o que é uma falácia, estatísticas são lançadas que até mesmo dão como solucionados problemas insolúveis, o que ocorre com frequência na escorregadia política da segurança pública do RS. Há sempre mais câmeras de vigilâncias, mais brigadianos em formação, mais policiais civis nomeados, mais viaturas entregues, mais projetos de comunicação, mais vagas nos presídios, mais territórios da paz, mais ternura com a bandidagem e, no frigir dos ovos, mais violência e criminalidade com dados que são rapidamente velados pela cabala dos números em homenagem à Copa que está chegando na Porto Alegre do Kiko. E tudo começa com informações bem simplificadas como esta, por exemplo, orientada, é claro, pela segurança pública da transversalidade: "Nesta quinta-feira [ontem], a polícia realizou a prisão de oitenta pessoas envolvidas com o tráfico de drogas em todo o Estado". Bela operação, segundo a cabala dos números. No entanto, como um humilde marquês, lembro que o RS tem 496 municípios. Além disso, sabemos todos, não há lugar para colocar esses oitenta presos, se é que presos devem ficar


Nervoso

O CPC (Comando de Policiamento da Capital), através de uma patrulha do 1 BOE, fez a apreensão de 51 kg de crack na BR 386, Km 484. A droga estava no tanque de combustível de uma caminhonete Ford Ranger, com placas do Paraná. Os policiais desconfiaram do nervosismo do motorista e de marcas de solda no tanque. Ele acabou confessando que levava crack para ser comercializado na Região Metropolitana de Porto Alegre


Execução

Foi executado a tiros, na madrugada de ontem, um enteado do traficante Paulão Ricardo dos Santos, o Paulão, um dos magnatas do tráfico de Porto Alegre. Carlos Mauricio Silva Rabelini, 21 anos, foi baleado quando estava numa casa no bairro Partenon. Paulão está atualmente preso na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas. Embora este tipo de delito seja até festejado pela comunidade, ele é sempre ameaçador para todos nós


Ritmo de Kiko

Servidores da área da Saúde realizaram, ontem, um ato de protesto em frente ao HPS por causa da retirada da gratificação de 40% de insalubridade de médicos, técnicos de enfermagem e enfermeiros que trabalham no HPS e no Pronto-atendimento Cruzeiro do Sul. O HPS é um dos orgulhos da comunidade de Porto Alegre e, ao que parece, está entrando no ritmo da capital da copa do Kiko, assim como o viaduto Otávio Rocha, na avenida Borges de Medeiros.
Postar um comentário