SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 14 de maio de 2013

AS DROGAS E O FRACASSO

O SUL -Porto Alegre, Terça-feira, 14 de Maio de 2013


O combate ao tráfico não se resume a ações da segurança pública


O número de presos por tráfico de drogas aumentou mais de 1.000% desde 2008 no RS. O Estado tem 29.172 apenados. Levantamento da Susepe (Superintendência de Serviços Penitenciários) mostrou que 13.700 estão presos por tráfico de entorpecentes. É quase a metade de toda a população carcerária. Dados do sistema integrado de informações penitenciárias do Ministério da Justiça revelam que em 2008 pouco mais de mil pessoas estavam na mesma condição. O juiz da Vara de Execuções criminais de Porto Alegre, Sidnei Brzusca, acredita que este aumento das prisões por tráfico é o grande responsável pelas superlotações dos presídios, no entanto, alerta para o fato de que a repressão não abala a ação dos quadrilheiros. Um detalhe significativo é de que a atuação das mulheres no tráfico é, hoje, dez vezes maior do que em 2008. O combate ao tráfico não se resume a ações da segurança pública, embora o próprio governo descarregue, praticamente, toda a responsabilidade sobre as organizações policiais, o que resulta num fracasso a cada dia mais evidente


Crack


Um jovem de 18 anos foi preso, ontem, com 60 pedras de crack, durante patrulhamento da Brigada Militar no bairro Restinga Velha, Zona Sul da Capital, um dos chamados territórios da paz da segurança transversal gaúcha


Sete tiros


Um homem de 54 anos, que apresentava sete ferimentos a bala, foi encontrado morto em sua casa, em Caxias do Sul. O caso havia sido registrado como suicídio. Um revólver calibre 22, com sete cápsulas deflagradas, que estava ao lado do corpo, foi apreendido


Banco


Quatro homens assaltaram, ontem, a agência do Bradesco de Ivoti. Os bandidos renderam o gerente quando ele chegava para abrir o banco. O vigilante e outros dois funcionários também foram rendidos. Tudo muito fácil


Negócios


Trinta pessoas morreram em acidentes de trânsito no Rio Grande do Sul no fim de semana do Dia das Mães. É três vezes mais do que no ano passado. Aqui de minha torre, tenho alertado para o fato de que a baderna no trânsito nas áreas urbanas, cuja fiscalização é da pior qualidade, garante que nas cidades e nas rodovias os negócios das casas funerárias devem continuar em constante crescimento


Fracasso


Os registros de armas na Polícia Federal cresceram 378%. Não obstante as explicações oficiais sociológicas, psicológicas e antropológicas, é plenamente factual que as tais campanhas de desarmamento estão plenamente fracassadas, pois o Estado não consegue traçar um plano profissional, permanente e crescente contra a violência e a criminalidade. A reação de cada cidadão é a de se armar


Redenção


O Parque da Redenção e arredores, a não ser em momentos festivos, continua sendo uma das mais belas áreas despoliciadas de Porto Alegre, a Capital do Kiko da Copa.

Postar um comentário