SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 7 de maio de 2013

QUADRILHAS MIGRAM PARA BANCOS


ZERO HORA 7 de maio de 2013 | N° 17425

PÂNICO NO INTERIOR. Quadrilhas que migram para bancos


O perfil dos bandidos envolvidos nos mais recentes ataques ao sistema bancário no Estado, segundo informações preliminares da Polícia Civil, é o de criminosos com antecedentes de roubos, mas pouca experiência envolvendo bancos. A maior parte dos integrantes desses bandos teria migrado de outros tipos de assalto para as agências do Interior em busca do alto volume de dinheiro disponível em comparação à pouca proteção oferecida por efetivos policiais reduzidos.

Em resposta às ações das quadrilhas, que em pelo menos seis ataques desde o início do ano renderam PMs, a Brigada Militar aposta em reforços pontuais de tropa e em uma estratégia de rápido deslocamento para barrar a fuga dos bandidos.

Segundo o titular da Delegacia de Roubos da Polícia Civil, Joel Wagner, assaltos recentes que resultaram na rendição de policiais militares, como Pedras Altas e Fagundes Varela teriam sido praticados por criminosos que roubavam outros tipos de estabelecimento até pouco tempo atrás.

– Estamos percebendo que há várias pessoas, algumas já presas, outras identificadas, que não têm antecedentes específicos de roubo a banco. É uma migração, pela questão da oportunidade, para bancos do Interior, onde o número de policiais é menor – avalia Wagner.

O titular da Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas de Santa Cruz, delegado Luciano Menezes, afirma que um dos assaltantes que atacaram em Pedras Altas, preso recentemente, começou a ser investigado há apenas seis meses. Seu foco, porém, eram assaltos a residências. Um bandido morto no domingo em Vera Cruz, ao tentar roubar uma casa, também é suspeito de ter participado da ação em Pedras Altas.

O subcomandante da BM, coronel Silanus Mello, afirma que a Brigada está reforçando seu efetivo e aposta na rápida reação aos assaltos, com organização de barreiras, para reagir à ousadia dos bandidos:

– Nos dois últimos roubos, demos uma pronta resposta.


PÂNICO NO INTERIOR. Polícia mata suspeito de roubo na Serra

O cerco se fecha aos assaltantes que sexta-feira fizeram dois PMs reféns e atacaram os dois bancos de Fagundes Varela. Depois da prisão de um dos homens, no sábado, um confronto terminou com a morte de outro suspeito na noite de ontem.

Conforme o chefe interino do Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO/Serra), tenente-coronel Leonel Bueno, o assaltante, não identificado até as 23h30min de ontem, abordou uma viatura do Batalhão de Operações Especiais (BOE) de Passo Fundo, que participa do cerco formado em Cotiporã.

– Acreditamos que ele pensou que era um veículo normal. Já abordou com a arma em mãos, em uma estrada vicinal – diz Bueno.

O homem foi levado ao hospital em Veranópolis, mas não resistiu ao ferimentos causados por dois disparos que o atingiram no tiroteio com a polícia. Com ele, foi apreendida uma pistola calibre .380 e um colete à prova de balas. O subcomandante-geral da Brigada Militar, Silanus Mello, comenta que ele tinha um ferimento na perna e usava uma folha de bananeira para cobrí-lo. Mello acredita que possa ser de sábado, quando um dos integrantes foi preso em outro confronto.

A polícia ainda acredita que um integrante esteja no meio do mato. Outro teria conseguido fugir da região.

Ainda ontem à tarde, policiais encontraram uma caverna em meio a rochas, com cascas de frutas e camas improvisadas. Acredita-se que os ladrões tenham passado a noite nesse ponto, no alto de um morro e perto do Rio Carreiros, na região de Cotiporã.

No domingo à noite, um dos ladrões sequestrou um agricultor que mora nas proximidades do rio. O produtor rural, de 28 anos, saía para levar a namorada na casa dela. O casal foi rendido e o agricultor, obrigado a dirigir seu Gol até Bento Gonçalves, onde deixou o criminoso.



Postar um comentário