SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O BANDIDO ESTÁ CERTO?

O SUL, 05/06/2013

WANDERLEY SOARES

Os assaltos não são eventuais e, sim, parte da rotina.


Um jovem de 22 anos reagiu a um assalto e baleou o criminoso. O episódio ocorreu, ontem, numa casa do bairro Ideal, em Novo Hamburgo. O moço estava com a namorada em um posto de combustíveis, na BR-116, quando foi abordado pelo bandido e obrigado a dirigir até a casa dos pais da jovem. Os donos da casa foram amarrados e os namorados tiveram de colocar objetos no carro. No entanto, o jovem aproveitou uma distração do ladrão para atingi-lo na cabeça com uma garrafada. Logo depois, apoderou-se da arma e atirou no bandido que, mesmo ferido, fugiu. Para os policiólogos, o jovem agiu errado e, com sorte, deu certo. Mas em qual momento se deve decidir que o bandido está certo e toda a reação contra ele é errada? Na medida em que a segurança proporcionada pelo Estado for confiável, ninguém reagirá diante da eventualidade de um assalto. No entanto, hoje, os assaltos não são eventuais e, sim, parte da rotina.


Tráfico (1)



Quatro acusados em operação internacional contra o tráfico de drogas foram presos em Rio Grande. Era de lá que a quadrilha enviava drogas à Europa em meio a peixes e sacos de gelo. A Operação Nações Unidas, da Polícia Federal, teve apoio de outros países e efetuou prisões em Portugal e na Suíça, além do Brasil.


Tráfico (2)


A interceptação de 12 mil ligações telefônicas de dois criminosos levou a Polícia Civil a descobrir um esquema que comandava o tráfico de drogas de Bom Jesus de dentro de uma cela do Presídio Estadual de Vacaria. Ontem, policiais interromperam as atividades dos bandidos. Considerando a dificuldade em apurar a atuação de traficantes que estão presos, é possível deduzir alguma coisa sobre os bandidos que estão em liberdade, inclusive os que gozam do regime semiaberto, com ou sem tornozeleiras.


Tráfico (3)


A Polícia Civil conseguiu prender um dos traficantes mais antigos do RS, identificado como Gilmar Luiz Dametto Barramacher, de 60 anos. Ele agia desde a década de 70. Ele foi preso na divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no município de Torres. Barramacher carregava oito quilos de maconha. A polícia custou um pouquinho, mas prendeu o homem.


Delegados


Quarenta e oito novos delegados passaram a integrar os quadros da Polícia Civil gaúcha. A formatura ocorreu segunda-feira, no Palácio Piratini. Com o reforço, a Polícia Civil contará, teoricamente, com 566 delegados em atividade. Ainda não foram divulgados os critérios da distribuição dos novos profissionais, pois, entre outras questões, há a das aposentadorias.


Promessa


Segundo a promessa do governo da transversalidade gaúcha, até dezembro de 2014 o Presídio Central estará plenamente desocupado. Como entramos em junho, restam para aquela casa prisional 29 meses de existência. Por ora, não se sabe como será distribuída a população que lá existe de 4.200 almas, em média. A capacidade real do Central é de dois mil apenados.
Postar um comentário