SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 16 de julho de 2013

ADVOGADA É MORTA DENTRO DE CASA EM PORTO ALEGRE

ZERO HORA 16 de julho de 2013 | N° 17493

ATAQUE VIOLENTO

Polícia investiga hipóteses de latrocínio e homicídio em crime na Zona Norte


CAROLINA ROCHA

A advogada Aida Maria da Graça Alvares Galmarini, 62 anos, foi morta dentro de casa, no bairro Rubem Berta, na zona norte de Porto Alegre. O crime aconteceu entre a noite de domingo e a madrugada de ontem. A Polícia Civil trabalha com as hipóteses de latrocínio (roubo com morte) e homicídio.

Moradora da Rua Alceu Soares de Lima, no Parque Santa Fé, Aida morava havia 20 anos na residência, cercada de folhagens, onde cuidava de gatos e cães. Na manhã de ontem, os pedreiros que iniciariam uma obra na casa dela chegaram para trabalhar por volta das 7h. Chamaram pela advogada, que não atendeu à porta.

– Eles foram até a casa de um vizinho, que os havia indicado para ela. O homem entrou na casa para chamá-la e a encontrou morta na cozinha – contou o delegado João Paulo de Abreu, da 3ª Delegacia de Homicídios da Capital.

Caída próximo a uma pia, Aida tinha marcas de uma pancada na cabeça. O delegado suspeita de que o agressor tenha usado um tijolo para atingi-la. Segundo os peritos que examinaram o corpo, havia também cortes no pescoço da advogada, que podem ter sido provocados por uma tesoura. A arma não foi encontrada.

Alguns objetos, como um aparelho de TV e um notebook, teriam desaparecido da casa e por isso, mesmo trabalhando com a hipótese de um homicídio, o delegado não descarta o latrocínio.

Ocorrências de roubos com morte aumentaram em 2013

Por volta das 19h de domingo, Aida conversou com a filha por telefone. Depois disso, não foi mais vista pelos vizinhos. Até a tarde de ontem, a polícia ainda não tinha suspeitos do crime.

Caso seja confirmado a hipótese de roubo com morte, será o 31º latrocínio do ano na Região Metropolitana – média de um caso a cada 6,5 dias. No ano passado, no mesmo período, foram registrados 16 casos, média de uma ocorrência a cada 12,3 dias.

Para o delegado Cleber Ferreira, encarregado das delegacias da Capital e que responde interinamente também pelas DPs da Região Metropolitana, a explicação pode estar ligada a um aumento de ladrões sob efeito de drogas ou até mesmo inexperientes:

– Os latrocínios ocorrem mais em roubo de automóveis. Qualquer movimento brusco que a vítima faz dentro do carro, o assaltante tende a se assustar e atirar. Ele também não vai tranquilo para o assalto. Por isso a gente costuma aconselhar as vítimas a nunca fazer gestos que possam surpreendê-los ou assustá-los. Além disso, há que se considerar que muitos estão sob efeito de drogas ou de bebidas. Ou são inexperientes, que se aventuram a praticar esses roubos.

Com o assassinato de Aida e de outras duas pessoas na madrugada de ontem na Capital, foi ultrapassada a marca de 550 mortes violentas no ano nas 19 principais cidades da Região Metropolitana e do Vale do Sinos, conforme levantamento do jornal Diário Gaúcho. Em 2012, o caso 550 foi registrado em junho, 36 dias antes do que a marca registrada em 2013. Com isso, o levantamento aponta uma queda na média de mortes na Grande Porto Alegre, de 3,43 mortes por dia em 2012 (até 6 de junho) para 2,81 casos por dia até a madrugada de ontem.

Postar um comentário