SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 30 de julho de 2013

INSEGURANÇA NA SERRA

ZERO HORA 25 de julho de 2013 | N° 17502

Comércio sofre com sequência de roubos. Criminosos atacam estabelecimentos de uma mesma rua em Caxias do Sul


Ações rotineiras de uma dupla de assaltantes são o principal assunto abordado nas rodas de conversa entre moradores e comerciantes da Rua Flávio Francisco Belini, no bairro Santos Dumont, em Caxias do Sul. Em menos de uma semana, quatro casos foram registradas.

Aregião que virou alvo dos bandidos se limita a 800 metros da via. Em investidas rápidas e com rostos encobertos por capacetes e toucas ninja, os criminosos têm gerado um sentimento coletivo de insegurança.

A última ação da dupla ocorreu na tarde de terça-feira. O alvo foi a Churrascaria Borba, próxima da BR-116. Um homem armado exigiu ao proprietário que entregasse o dinheiro do caixa. Sem agredir ninguém, o assaltante fugiu com R$ 486 e embarcou na moto de um comparsa que o aguardava no lado de fora.

– Ele chegou a me apontar o que dizia ser um revólver, mas não consegui identificar o que era. Como fui pego de surpresa, fiquei calmo, mas depois bate o sentimento de revolta. É o primeiro assalto em oito anos que tenho o negócio – conta o proprietário da churrascaria, Ismarildo Fortuna da Fonseca, 45 anos.

Antes da investida ao restaurante, a dupla já havia atacado um minimercado, uma padaria e um açougue da mesma rua. Um consenso entre os comerciantes é de que os autores dos roubos são os mesmos em todos os casos. Os principais indícios seriam a jaqueta cinza com estampas usada por um dos criminosos nos ataques e a moto preta pilotada pelo comparsa. Duas das investidas foram registradas por câmeras de segurança.

– Sempre tivemos câmeras na padaria, mas isso não inibiu a ação deles. No momento em que ele me abordou, fiquei nervosa e reagi segurando a mão dele. Sei que não podia fazer aquilo, mas na hora não pensei. Ele pegou R$ 80 e fugiu – diz a proprietária da Padaria e Confeitaria 14 Bis, Jaqueline Poletto da Silva, 38 anos.

Até ontem, nenhum suspeito dos ataques havia sido identificado.
Postar um comentário