SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

SP CONCENTRA QUASE METADE DAS MORTES EM ASSALTOS A BANCOS

R7 - 19/7/2013

Pesquisa mostra que 30 pessoas foram assassinadas no País

Do R7



Um segurança foi ferido no ombro por criminosos durante uma tentativa de assalto contra uma agência bancária na rua do Orfanato, na Vila Prudente, em julhoAle Vianna/Brazil Photo/Estadão Conteúd

O Estado de São Paulo responde por quase metade (46,67%) das mortes em assaltos a bancos no País, de acordo com levantamento feito pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) e CNTV (Confederação Nacional dos Vigilantes).

Só no primeiro semestre, 30 pessoas foram assassinadas em assaltos a bancos. São Paulo registrou 14 casos, enquanto Rio de Janeiro teve cinco. Bahia e Rio Grande do Sul completam a lista dos Estados com maior número de casos, sendo três cada.

A principal ocorrência (60% do total) é a chamada “saidinha de banco”, no qual o cliente é abordado logo após o atendimento bancário. Foram 18 mortes provocadas no País.

Para a Contraf-CUT e a CNTV, essas mortes “comprovam, sobretudo, a escassez de investimentos dos bancos na melhoria da segurança”.

As 30 mortes no primeiro trimestre mostram uma média de cinco vítimas mortas por mês, o que representa aumentos de 11,1% em relação ao mesmo período de 2012, quando foram registradas 27 mortes, e de 30,4% em comparação a igual período de 2011, que teve 23 mortes.

Os homens foram as principais vítimas (28), o que representa 93,3% do total. Já o perfil de idade em que as mortes são mais comuns não foi identificado, o que mostra que todas as faixas etárias estão vulneráveis.

Postar um comentário