SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

ALVO DE VINGANÇA


ZERO HORA 1 de agosto de 2013 | N° 17529

LETÍCIA COSTA


Dívidas teriam motivado execução de empresário. Morto na frente do filho, dono de revenda de veículos havia se mudado para Capão para fugir de ameaças


Foi para se esconder que o empresário do ramo de motos e carros Zelomar Ortiz, 52 anos, se mudou com a família para Capão da Canoa, no Litoral Norte. Mas a tentativa de fugir de ameaças que recebia em decorrência de dívidas, segundo a Polícia Civil, não foi suficiente para evitar a morte dele, na frente do filho, em plena luz do dia.

Ortiz foi alvejado com três disparos de revólver calibre 38 dentro de um camioneta Mercedes-Benz, no começo da manhã de sexta-feira, quando deixava o filho de 12 anos no colégio. A linha de investigação da polícia aponta para uma vingança, por questões patrimoniais. O valor do camioneta ainda não havia sido quitado.

– Ele veio para Capão porque já estava sofrendo ameaças. Temos suspeitos, mas não vou entrar em detalhes – disse a delegada Walquiria Meder, titular da Delegacia de Capão da Canoa.

Recentemente, em um churrasco entre amigos já na nova residência – uma casa em um condomínio de alto padrão do Litoral Norte –, Ortiz teria dito que pessoas foram até a revenda de automóveis de sua propriedade na parada 70, em Gravataí, para ameaçá-lo. Sem dar muitos detalhes aos amigos, Ortiz resolveu se mudar, mesmo sem estabelecer um novo negócio.

Revenda ficou aberta por menos de três meses

A revenda na parada 70 era a terceira loja de veículos do empresário, que há cerca de dois anos recebeu uma herança do pai. O ponto durou pouco tempo. Com as chaves recebidas em maio, o empresário teria fechado as portas da Zelo Motos em julho. No mesmo mês, adquiriu a casa no condomínio e matriculou os filhos na escola de Capão. Ortiz estaria no terceiro casamento e tinha a guarda da filha de 11 anos e do filho de 12 anos. As outras duas revendas, na parada 64 – uma delas só com motos importadas – não estavam mais em operação, e as sociedades já haviam sido desfeitas.

Sem carros e motos à venda, o espaço da revenda na parada 70 permanece sendo alugado no nome de Ortiz e é utilizado como estacionamento aos sábados e domingos. Conforme o dono do imóvel, que pediu para não ter o nome divulgado, o local estava com o aluguel vencido havia dois meses.

O investimento de Ortiz no ramo de veículos começou no ano passado, mas o empresário já ostentava a paixão por motos havia anos. Conforme o presidente da Associação Motoesporte e Lazer de Gravataí (Ameg), Gilson Ilha Cardoso Junior, o pai do empresário era dono da Fazenda Ortiz, que abrigava uma pista de motocross na cidade. Em 2012, já com a herança, Ortiz foi um dos patrocinadores do 1º Moto Aldeia, evento organizado pela Ameg. Em outra ocasião, investiu em reformas de um espaço com pistas de corrida para realizar um campeonato de nível estadual.

– O forte dele eram motos esportivas, acima de R$ 30 mil – destacou Gilson Junior.

Apesar do gosto por motocicletas, o empresário não costumava andar muito nelas, diz um amigo que pede para não ser identificado por temer represálias. Ortiz era integrante da equipe Só Zerinho Moto Show, que faz apresentações com acrobacias em motos e carros. Comprou um motor-home para acompanhar, com toda família, as apresentações no começo do ano. Em janeiro, durante uma apresentação em Balneário Gaivota (SC), ele teria dito:

– Nunca fui tão feliz como estou sendo.

Ortiz teria mantido contato com a equipe. Por duas vezes, reuniu o grupo para churrascos na nova residência.

– Ele era bem divertido, gostava de festa – descreveu o amigo.


Delegada descarta vínculo de herança com o crime

Procurado pela reportagem de Zero Hora, João Ortiz, irmão de Zelomar por parte de pai, disse que não vai se manifestar neste momento e que não mantinha muito contato com a atual mulher da vítima. Familiares já prestaram depoimentos à Polícia Civil. Conforme a delegada Walquiria Meder, o homicídio não teria relação com o dinheiro recebido de herança:

– Houve o recebimento de herança, que mudou a situação econômica da vítima. As testemunhas e familiares não especificaram o valor, mas a divisão entre os irmãos foi tranquila. Não tem suspeita nenhuma sobre envolvimento da família no crime.

Diligências para colher depoimentos continuam sendo feitas enquanto a delegada aguarda o laudo de um veículo suspeito de ter sido usado pelo matador. O carro, um Fiesta preto, foi encontrado na noite de sexta-feira, com placas clonadas nas proximidades de um parque aquático de Capão da Canoa. Mesmo sem conseguir identificar detalhes do veículo em imagens de câmeras do local da execução, a polícia acredita que o carro possa ajudar a esclarecer a autoria do crime.


A EMBOSCADA

- O empresário Zelomar Ortiz, 52 anos, foi morto por volta das 7h30min de sexta-feira em frente ao Centro de Ensino Médio Pastor Dohms, em Capão da Canoa.

- Um carro preto teria parado atrás da Mercedes-Benz de Ortiz, que deixava o filho de 12 anos na escola.

- Quando o garoto abriu a porta do carona, um homem o empurrou e efetuou três disparos – todos na cabeça da vítima.

- Na noite de sexta, um Fiesta preto foi encontrado nas proximidades de um parque aquático da cidade. O carro foi encaminhado para a perícia, pois a polícia acredita que ele tenha sido usado pelo assassino.


OUTROS CRIMES


ROSÁRIO DO SUL - Antes de morrer, vítima revela o autor de disparo


Alvo de um ataque dentro de casa, um idoso conseguiu relatar à polícia o autor do crime momentos antes de morrer. Nelso Ângelo Cossetin, 72 anos, foi baleado em Rosário do Sul por volta das 19h de segunda-feira. Segundo a companheira da vítima, que estava no local e foi atingida por um disparo de raspão no braço direito, o crime teria sido praticado por dois homens que chegaram de moto na residência, no bairro João Alves Osório. Ela foi atendida e passa bem. Um dos criminosos teria arrombado a porta da residência e atirado contra o idoso. Cossetin chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu ao ferimento no abdômen. Segundo a BM, ele revelou que conhecia o atirador, com quem estava negociando a compra de um revólver. O suspeito deixou um capacete e uma carteira com documentos no local do crime.

– Seguimos investigando para identificar o segundo suspeito – disse a delegada Ana Luiza Tarouco.


PORTO ALEGRE - Presa dupla que agia na Zona Norte

O roubo de uma Honda CB 300 na zona norte de Porto Alegre, em 17 de fevereiro, foi o ponto de partida para uma investigação que culminou na prisão de dois homens ontem. Conforme o delegado Arthur Raldi, a dupla faz parte de uma quadrilha especializada no roubo de motocicletas. Em duplas, os assaltantes chegavam de moto até as vítimas. Armados, rendiam os motociclistas e os obrigavam a descer do veículos. O assaltante caroneiro assumia a moto roubada e ambos fugiam, deixando a vítima a pé. Em geral, os ataques ocorriam na Zona Norte.



Postar um comentário