SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

ASSASSINADO POR 150 REAIS

28 de agosto de 2013 | N° 17536

FIM DAS BUSCAS, Taxista foi assassinado por R$ 150


O corpo do taxista Luiz André da Rocha, 53 anos, desaparecido desde o dia 12, foi localizado no Rio Jacuí, em Charqueadas. A polícia informou que o homem foi morto por R$ 150 por um adolescente de 17 anos e um jovem de 18 anos.

Rocha foi assassinado em Venâncio Aires. Os dois suspeitos estão detidos desde o dia 19 pelo assassinato de Rocha e de outro taxista, Paulo Roberto Lagemann, 55 anos, morto no dia 18 com golpes de faca. Rocha foi encontrado na segunda-feira distante 70 quilômetros do local do assassinato. O corpo estava em um local conhecido como Praia das Pedrinhas.

– Os bombeiros fizeram diversas buscas pela área. Sabíamos que era só uma questão de tempo para o corpo aparecer – disse o delegado Paulo Cesar Schirrmann.

A família reconheceu a vítima pela aliança e pelas roupas.

Segundo o delegado Schirrmann, a cabeça apresentava lesões, possivelmente de pedradas:

– O adolescente confessou os crimes, mas disse que os golpes fatais teriam sido desferidos pelo seu comparsa. Já o jovem (Leonardo Pereira Siebennega) nega as acusações. Como sabemos que os dois eram usuários de drogas, acreditamos que viram nos assassinatos uma forma fácil de obter dinheiro para sustentar o vício.

Ambos tinham antecedentes por furtos. Rocha deixa a mulher e uma filha de sete anos.

JÚLIA OTERO

Postar um comentário