SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

COLÉGIO SE MOBILIZA POR SEGURANÇA

ZERO HORA 29 de agosto de 2013 | N° 17537

Em outro colégio, protesto por segurança



Alunos do Ensino Médio do turno da noite da Escola Estadual Professor Elmano Lauffer Leal, no bairro Jardim Planalto, na zona norte de Porto Alegre, fizeram uma mobilização ontem à noite para pedir mais segurança. Na noite de terça-feira, cinco alunos foram assaltados por um grupo de 10 criminosos que levaram bolsas, dinheiro, celulares e até os tênis dos estudantes.

Para pedir a presença da Brigada Militar, os alunos fecharam, das 19h às 20h, a Avenida Baltazar de Oliveira Garcia, esquina com a Avenida Ary Tarragô, onde fica a escola. Foi no corredor de ônibus da Baltazar que os cinco alunos foram assaltados às 22h15min de terça. O caso, mais um de uma série de assaltos, foi a gota d’água. Somente no último mês, pelo menos cinco assaltados foram registrados à noite.

– A gente se sentiu impotente. Eu sou mãe e sou estudante. E quem nos protege. Como é ontem (terça) levaram 20 minutos para mandar uma viatura e hoje (quarta) tem quatro para ficar aqui? – disse a estudante Raquel Tavares Ferreira, 43 anos, estudante do 2º ano.

Aluna abandonou instituição por causa da insegurança

Segundo os alunos, a BM demorou 20 minutos para chegar após o último ataque. Os PMs não registraram a ocorrência do assalto. Ontem, quatro viaturas e pelo menos 10 policiais do 20º BPM estavam acompanhando o protesto.

O vice-diretor da escola, Maurício de Oliveira Ricardo, disse que, em julho, a direção mandou um representante para uma reunião com órgãos de segurança. A resposta ao pedido de mais policiamento foi de que o efetivo da BM na região é insuficiente. Para tentar driblar os bandidos, a Elmano Lauffer chegou a mudar o horário de saída. Antes, os alunos largavam às 23h, hoje largam antes. Mesmo a tentativa de fazer com que saiam juntos, para evitar os assaltos, fracassa.

– Em abril, uma ótima aluna do 3º ano abandonou a escola depois de ser assaltada, tamanho foi o trauma. Sem contar os pedidos de transferência de professores que não querem mais trabalhar à noite – conta Maurício.
Postar um comentário