SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

FINALMENTE, UM ROBÔ

O SUL, 08/08/2013


O artefato será apresentado hoje à sociedade gaúcha.


A Secretaria da Segurança Pública do RS entregará hoje, às 14h30min, para a Brigada Militar, um robô antibomba. Haverá uma simulação do funcionamento do equipamento na sede do Grupamento de Busca e Salvamento, Armazém C-1, no Cais do Porto, avenida Mauá, n 1.050, em Porto Alegre. O robô possibilita que agentes não se aproximem das áreas de risco, sejam com ameaças de explosões ou reações químicas, biológicas, radiológicas e nucleares. O kit antibomba é formado por dez equipamentos, com investimento total de R$ 2.485.000,00. Sigam-me.


Perigo


De minha torre, não tenho nenhuma dúvida de que este robô deverá ser saudado pela sociedade, especialmente porque há quem diga que, entre os grandes problemas que são registrados em Porto Alegre, na Região Metropolitana e no interior, são as bombas, inclusive nucleares, o que poderá se agravar com a proximidade da Copa. No entanto, sem que se completem os efetivos das organizações policiais devidamente equipados com armamentos em prédios sem goteiras, sem que haja mais viaturas e não a tradicional reposição das sucateadas, sem que seja restaurada toda a estrutura do Corpo de Bombeiros e estabelecida uma política penitenciária sustentável, além de mais e mais escolas com professores com salários dignos num mesmo nível dos profissionais da segurança, a chegada de um robô poderá fazer até com que os cidadãos se sintam perdidos no espaço sempre a ouvir: perigo, perigo, perigo.


Trânsito louco


Um desentendimento no trânsito chamou a atenção na avenida Ipiranga, ontem, em Porto Alegre. O motorista de um Pálio ficou irritado ao ser cortado por um ônibus da Carris. De acordo com informações da EPTC, o homem, enfurecido, arremessou um extintor de incêndio em direção aos passageiros que estavam na parte da frente do coletivo, quebrando um vidro. Ninguém ficou ferido.


Roubo de carros


A recuperação de veículos roubados quase triplicou em Porto Alegre com o cerco aos desmanches e o monitoramento em locais de risco. Apesar da lei dos desmanches ter entrado em vigor nesta terça-feira, a polícia já vinha agindo de forma intensa desde o início do ano para combater a receptação de peças e de veículos roubados. De acordo com o delegado Juliano Ferreira, da Delegacia de Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos, a grande dificuldade no combate a este tipo de crime é a atuação de diferentes perfis de criminosos. Em todo o Estado, vinte e cinco carros são levados por dia pelos ladrões.


Mulheres


Quinhentas e noventa e nove mulheres foram estupradas no RS durante o primeiro semestre deste ano. A média é de três casos por dia, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública. No mesmo período, houve 55 assassinatos, ou dois a cada semana. Na Justiça, em Porto Alegre, existe apenas uma vara especializada em questões referentes à violência contra a mulher. No momento, há acúmulo de mais de vinte mil processos. Nem um robô solucionaria isso.

Postar um comentário