SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

GERENTES REFÉNS DO CRIME

ZERO HORA 07 de agosto de 2013 | N° 17515

Quadrilha rende gerente em Gentil, no Norte

A família de uma gerente de banco foi feita refém na madrugada de segunda para terça-feira, em Gentil, no norte do Estado. Quatro criminosos renderam Luiza Triches, o marido, a mãe e a filha dela por volta da meia-noite. A intenção dos bandidos era levar a mulher até Santo Antônio do Palma, a seis quilômetros de Gentil, cidade onde fica o banco Sicredi em que a vítima trabalha.

Depois de mais de três horas na casa, o bando deixou a mãe da gerente e a criança amarradas, roubou o Siena de Luiza e se dirigiu com ela e o marido à agência, por volta das 3h30min. Segundo a Brigada Militar, outro veículo dava cobertura aos criminosos.

O grupo entrou no banco e tentou abrir o cofre, sem sucesso. Depois, os bandidos pensaram em levar o cofre do local. Segundo o marido da vítima, os assaltantes chegaram a ligar para um comparsa solicitando um trator. Logo em seguida, o alarme da agência disparou, e os bandidos fugiram. As vítimas foram deixadas no local. O Siena foi abandonado a cerca de um quilômetro do banco.

Da casa, foram levados dois celulares, um tablet e um notebook. Os criminosos estão foragidos.

 Em outros cinco casos recentes, os gerentes foram rendidos pelos bandidos

GENTIL - Em 16 de maio, a subgerente do Sicredi de Gentil, no Norte, foi feita refém. Grávida de dois meses, ela viu o marido e o filho de seis anos serem ameaçados antes de ser obrigada a abrir a agência.

CONSTANTINA - Quatro homens renderam o gerente do Banrisul e a mulher dele, no início de maio, e os mantiveram reféns até o amanhecer. Depois, dois deles levaram a mulher para Boa Vista das Missões, enquanto obrigaram o gerente a abrir o cofre.

NOVO HAMBURGO - Em abril, bandidos sequestraram o tesoureiro da Caixa, a mulher e o filho e os mantiveram reféns. O homem foi obrigado a ir ao local de trabalho, e os parentes foram levados no carro da família para um cativeiro em Sapiranga.

PORTO ALEGRE - Em fevereiro, quatro homens sequestraram a gerente do Banrisul do Partenon e o marido. O casal passou a noite em cativeiro e, na manhã seguinte, foi levado ao banco, onde ela teve de abrir o cofre.

SALVADOR DO SUL - Em agosto de 2012, o gerente do Sicredi foi sequestrado com a mulher, o filho e a empregada. No dia seguinte, o bando obrigou o gerente a fazer um saque na agência.

Postar um comentário