SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

MEDO QUE AVANÇA


ZERO HORA 26 de agosto de 2013 | N° 17534

EDUARDO TORRES

Levantamento aponta aumento de latrocínios. Comparado a dados de 2012, crime cresceu 63% na Região Metropolitana


Na manhã de sábado, Adriano Botelho Rodrigues, 43 anos, foi vítima de três disparos quando trabalhava em seu minimercado no bairro Torotama, em Alvorada. A Polícia Civil acredita que ele tenha sido vítima de um assalto, crime que vem atormentando a cidade.

O comerciante foi a 36ª vítima de latrocínio (roubo com morte) no ano, considerando dados das 19 principais cidades da Região Metropolitana. Conforme levantamento do Diário Gaúcho, um percentual 63,6% superior ao mesmo período do ano passado (22 casos).

O crime deste sábado engrossou essa trágica estatística, que não permite às autoridades comemorarem a queda de 17% nos índices de assassinatos na Região Metropolitana este ano. O comerciante foi morto com três tiros nas costas, atrás do balcão onde atendia pouco antes das 11h. Para a polícia, o provável autor dos disparos é um assaltante. Rodrigues foi a terceira vítima em assaltos. somente neste mês em Alvorada. Foram quatro latrocínios na cidade em 2013, o dobro de todo o ano passado.

Mortes violentas apresentam queda nos últimos três anos

Os dados levantados pelo Diário Gaúcho apontam queda nos homicídios. O número de assassinatos na região avaliada chegou a 652 casos desde o começo do ano. Em média, são 2,75 mortes violentas por dia. É o menor índice em três anos de acompanhamento do jornal. Ano passado, no mesmo período, já haviam sido registradas 792 mortes – 3,32 por dia.


O que a pesquisa revelou

NÚMEROS
- 36 pessoas já foram vítimas de latrocínio no ano em 19 cidades da Região Metropolitana – 63,6% a mais do que no mesmo período de 2012 (22 casos).
- Em todo 2012, foram registrados 39 roubos com morte na região.
- Em 2011, no mesmo período do ano, 30 latrocínios haviam sido registrados. Foram 40 casos em todo aquele ano.

MÉDIA DIÁRIA DE HOMICÍDIOS*
- 3,03 em 2011
- 3,32 em 2012
- 2,75 em 2013
Fonte: *Levantamento do Diário Gaúcho entre 19 municípios da Região Metropolitana e do Vale do Sinos até 25 de agosto.


CAXIAS DO SUL - CORPO CARBONIZADO. Adolescente é morto em estrada de chão

Um corpo carbonizado e parcialmente nu foi encontrado na manhã de ontem em Caxias do Sul. Ele estava em uma estrada de chão e apresentava ferimentos na cabeça. Conforme o Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO/Serra), a vítima foi identificada como Anderson Pavloski da Silveira, 15 anos. O garoto estava desaparecido desde quarta-feira. A vítima é de Sulina, no Paraná, e não tinha antecedentes.

Equipes do plantão da Polícia Civil e do Instituto-geral de Perícias estiveram no local para fazer o levantamento do crime. Até ontem, não havia suspeitos ou indícios da motivação. A investigação seguirá hoje com o setor de homicídios do 2º Distrito Policial. Este é o 68º assassinato registrado neste ano na cidade da Serra.


CAXIAS DO SUL - Ladrões colocam fogo em altar

A igreja matriz da Paróquia de Nossa Senhora de Caravaggio, no bairro Ana Rech, em Caxias do Sul, foi arrombada entre a noite de sábado e a madrugada de ontem. Além de levarem dinheiro da coleta da última missa e da venda de artigos religiosos – cerca de R$ 130 – e seis microfones, os criminosos atearam fogo a móveis atrás do antigo altar. As chamas atingiram parte do manto que fica atrás da imagem de Caravaggio, mas não se espalharam pela igreja de 1917. Na frente no altar, em uma toalha, os criminosos derramaram álcool em gel e tentaram colocar fogo.

– Por milagre, o fogo apagou – disse o coordenador de pastoral, Moacir Danieli.

Por não haver sinais de arrombamento, Moacir e o padre, Roberto Mossi, acreditam que o criminoso possa ter frequentado a missa de sábado à noite e ter ficado dentro da igreja. Na sala de som, a tranca superior da porta estava danificada pelo lado interno.

A ação só foi descoberta por volta das 8h de ontem, quando a zeladora abriu a igreja para prepará-la para a missa das 9h. Em razão dos danos e do cheiro de fumaça, a missa ocorreu em uma sala da secretaria da paróquia.

Não há pista dos ladrões. No dia 20, a Igreja de São Cristóvão, que pertence à paróquia, também foi arrombada.


Postar um comentário