SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

EXECUÇÃO E INSEGURANÇA

ZERO HORA 19 de setembro de 2013 | N° 17558

ALVORADA. Homem executado com tiro de 12

A movimentação na Rua Raquel Wolff, bairro Jardim Aparecida, em Alvorada, não inibiu a ação de um matador ontem à tarde. Com um tiro de calibre 12, no rosto, ele executou Gilmar Pires da Silva.Para os investigadores da 1ª DP de Alvorada, o crime provavelmente tenha sido a vingança por outro homicídio ocorrido no domingo.

Conforme testemunhas, dois homens se aproximaram de Gilmar por volta das 15h, enquanto ele vendia uma máquina de sorvete a um morador local.


SAPUCAIA DO SUL - Família mantida refém por bandidos

A polícia trabalha na identificação de seis homens que mantiveram uma família refém dentro de casa por cinco horas, na terça-feira, em Sapucaia do Sul. Por volta das 20h, o casal de 37 anos e os três filhos – de seis, oito e 16 anos – foram surpreendidos quando chegavam em casa, em uma Blazer.

Todos foram mantidos amarrados e amordaçados no quarto da adolescente. Conforme o relato das vítimas, os bandidos exigiam dinheiro e joias. Antes de entregar os valores que tinha, o dono da casa teria sido agredido com coronhadas na cabeça.


ALVORADA - Roubos preocupam moradores de loteamento


Grades nas janelas, nas portas, nos portões e até nos aparelhos de ar-condicionado. É assim que os moradores do Loteamento Porto Verde, no bairro Jardim Algarve, em Alvorada, tentam se proteger dos arrombadores. Mas parece que nem as grades têm sido suficientes.

No início do mês, uma casa da Rua Corujas foi alvo dos ladrões. Os bandidos quebraram o motor do portão eletrônico, arrebentaram o marco da porta e levaram o que puderam. Inclusive uma máquina de lavar roupas.

– Tenho grade e já tive a casa arrombada duas vezes – conta o vizinho da frente, o técnico em automação Lidiano José Silva de Jesus, 40 anos.

Há seis anos residindo no Porto Verde, ele conta que os bandidos se aproveitam que grande parte dos moradores trabalha fora durante o dia e retorna para casa tarde, deixando os imóveis vulneráveis aos criminosos.

Na mesma quadra em que ele reside, um casal acompanhava a instalação das grades na casa recém-construída. Moradores do bairro Salomé, em Alvorada, o aposentado José Ademir Rodrigues Campos, 60 anos, e a professora Ione Müller Rodrigues, 57 anos, esperavam pela colocação das barras de ferro nas seis janelas e nas duas portas da casa.

– Só não nos mudamos ainda esperando pelas grades – diz Ione.

“Tentamos entender o porquê de tantos furtos”, diz delegada

No final da Rua Corujas, outro morador conta que os arrombamentos no loteamento têm sido frequentes. Por medo, ele não deixa mais a casa sozinha. Quando sai, deixa um familiar cuidando e, mesmo com grades no portão e nas janelas, pensa em fazer um seguro para se precaver.

Durante mais de uma hora, ontem, a titular da 2ª DP, delegada Fabiana Borges Kleine, reuniu-se com moradores do loteamento.

– Chamamos o pessoal da Associação de Moradores para conversar. Trocamos informações e traçamos metas. Realmente, para um bairro não tão grande, chama a atenção a quantidade de casos. Ainda estamos tentando entender o porquê de tantos furtos e arrombamentos – admitiu a agente.

A delegada não divulgou a quantidade de crimes registrados, mas admitiu que a polícia sequer fica sabendo de alguns casos.

– Pedimos para registrarem todos e nos avisarem sobre qualquer movimentação suspeita. Estamos com alguns procedimentos em andamento. Vamos continuar fazendo diligências e buscar dados para confrontar com os que temos – resumiu.

CAROLINA ROCHA


Postar um comentário