SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 28 de setembro de 2013

MISTÉRIO EM EXECUÇÃO DE COMERCIANTE


ZERO HORA 28 de setembro de 2013 | N° 17567

CRIME NA CAPITAL

Mistério em execução de comerciante no Mont’Serrat

Proprietário de um minimercado, Luís Carlos Lussani, 45 anos, foi alvejado no início da manhã de ontem



Um crime intriga a polícia e a comunidade do bairro Mont’Serrat, em Porto Alegre. Qual a razão para o assassinato do comerciante Luís Carlos Lussani, 45 anos? No começo da manhã de ontem, um jovem entrou no minimercado de Lussani, aproximou-se da vítima e disparou duas vezes contra o rosto do proprietário. Fugiu sem roubar nada. Lussani morreu dentro do estabelecimento, no cruzamento da Rua Eudoro Berlink com a Avenida Mariland.

Obandido teria estado no local por volta das 8h e comprado um sanduíche. Voltou meia hora depois e se dirigiu para perto do balcão. De braços cruzados, se postou próximo a uma TV e ficou olhando as imagens por alguns instantes. Em seguida, caminhou até o caixa e apontou um revólver para o face direita de Lussani e atirou. O comerciante desabou atrás do balcão. Não satisfeito, o matador puxou o gatilho outra vez, acertando as costas de Lussani.

O assassino deixou o local a pé, pela Eudoro Berlink, em direção à Avenida Lucas de Oliveira. Um motorista o teria visto, contudo, sem descrever detalhes. Gravações de câmeras de vigilância instaladas na região serão requisitadas pela polícia para tentar identificar suspeitos.

Assim que aconteceu o crime, o local foi cercado por parentes, amigos e até fornecedores de Lussani, conhecido como Carlão, estabelecido no bairro havia quase uma década.

– Ele era uma pessoa maravilhosa – definiu uma moradora das imediações e cliente do minimercado.

– Tinha um coração enorme. Emprestava guarda-chuva para os clientes não se molharem – acrescentou outro vizinho.

A filha, e a companheira do comerciante estavam inconsoláveis.

– Ninguém esperava uma coisa dessas – lamentou um irmão da vítima, o também comerciante Anuar Lussani.

Os relatos iniciais de duas testemunhas (uma cliente e um funcionário) são pouco reveladores. Eles disseram que o criminoso era jovem, com idade próxima dos 20 anos, e que vestia calça jeans e boné.

Familiares e vizinhos de Lussani comentaram que um homem com características físicas semelhantes ao criminoso teria estado no minimercado na tarde de quinta-feira, usando barba e bigode, aparentemente, postiços. Uma moradora afirmou que, em uma noite de agosto, um Gol preto parou próximo ao minimercado com dois homens. Um dos eles teria desferido tiros em uma árvore em frente ao estabelecimento, que estava fechado.

A possibilidade de latrocínio (roubo com morte) parece a hipótese com menos evidências. Até o final da tarde de ontem, pelo menos seis pessoas prestaram depoimento na 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa.

– Ainda não temos suspeitas – afirmou o delegado Filipe Borges Bringhenti, da 2ª DHPP.



A VÍTIMA - Natural de Progresso, no Vale do Taquari, Luís Carlos Lussani, 45 anos, vivia em Porto Alegre havia 24 anos. Trabalhou no ramo do comércio como empregado e, depois, abriu o próprio estabelecimento, seguindo exemplo dos dois irmãos, donos de minimercados na Capital. O primeiro estabelecimento de Lussani era no bairro Auxiliadora. Há quatro anos, mudou-se para o Mont’Serrat. Casado pela segunda vez, deixa uma filha adolescente.
Postar um comentário