SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

DESCULPEM PELOS NOSSOS TAXISTAS

ZERO HORA 28 de outubro de 2013 | N° 17597

PÁGINA 10 | ROSANE DE OLIVEIRA


É duro admitir, mas Porto Alegre ainda tem um longo caminho a percorrer até ser considerada uma cidade amigável para os turistas. O 20º Mundial de Atletismo Master, que trouxe mais de 4 mil pessoas de diferentes partes do mundo, mostrou que não estamos prontos para a Copa de 2014, embora nossas autoridades apregoem o contrário e digam que os percalços foram isolados. De todas as nossas falhas, a mais vergonhosa é a que envolve taxistas picaretas, dispostos a levar vantagem enganando turistas.

Mesmo que a maioria absoluta dos motoristas de táxi seja honesta, o comportamento dos que achacaram turistas envergonha a cidade inteira. Três casos entrarão para a história como simbólicos da falta de preparo para receber estrangeiros:

1 – Dois atletas japoneses pagaram R$ 300 para ir do Cete, no bairro Menino Deus, até o Shopping Praia de Belas, uma corrida que não daria mais do que R$ 10;

2 – A camaronesa Rose Kakanou, 47 anos, perdeu a prova de lançamento de dardo porque chegou atrasada depois de ficar mais de uma hora dando voltas pela cidade com um motorista inescrupuloso que lhe cobrou mais de R$ 100 para ir do Menino Deus à Sogipa;

3 – Um chileno pediu para ir do Centro à Usina do Gasômetro e o motorista apresentou uma conta de R$ 50.

Será que em menos de um ano dá para mudar esse tipo do comportamento? A Secretaria Municipal de Turismo se preocupou em oferecer cursos de inglês e espanhol para os taxistas e a produzir material impresso com um vocabulário básico em diferentes idiomas, mas achou que não precisava dar noções básicas de civilidade e honestidade, dois conceitos inseparáveis para quem lida com público. Não serve de consolo saber que não estamos sós, que em diferentes cidades do Brasil o turista desavisado corre o risco de ser assaltado por quem deveria transportá-lo.

Ainda há tempo para que a prefeitura e o governo do Estado adotem medidas para convencer os prestadores de serviços a tratar bem o turista. O Mundial de Atletismo Master acabou, a Copa terá poucos jogos em Porto Alegre, mas a cidade precisa se preparar para receber visitantes em qualquer temporada.
Postar um comentário