SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

FIM DE SEMANA DE 12 HOMICÍDIOS NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE NO RS


ZERO HORA 14 de outubro de 2013 | N° 17583

REGIÃO METROPOLITANA

Fim de semana com 12 homicídios

Um crime brutal, em Esteio, na sexta-feira, deu início a um dos finais de semana mais violentos do ano na Região Metropolitana. Até a tarde de domingo, haviam ocorrido 12 homicídios.  Foi dentro de uma casa do Beco Três da Rua João Frainer, no bairro São José, em Esteio, que, por volta das 23h, a sequência se iniciou. Um homem teria matado o próprio filho, de cinco anos, com uma pedrada. Logo em seguida, teria sido linchado por vizinhos. Conforme o relato do titular da DP de Esteio, delegado Leonel Baldasso, John Cristian de Oliveira Borges, cinco anos, dormia quando foi atingido na cabeça.


PORTO ALEGRE - DE FORMA BRUTAL. Homem é encontrado morto na Capital

LARA ELY

Por volta das 5h30min de domingo, um homem de aproximadamente 30 anos foi encontrado morto no centro da Capital. Na calçada da Rua Riachuelo, entre a Marechal Floriano e a Vigário José Inácio, o corpo de um sujeito humilde, com vestes simples e nenhuma identificação, foi recolhido pela Polícia Civil.

No local, a chuva torrencial afastava possíveis testemunhas. Como vestígios, uma garrafa de cerveja quebrada e uma pedra de basalto ao lado do corpo, prováveis responsáveis pelos quatro cortes na cabeça do morto.

– A perícia acredita que essas tenham sido as armas usadas no crime, mas não pode identificar ainda se o homicídio foi por briga, problema com drogas ou roubo seguido de morte – informou o delegado que acompanha o caso, Filipe Bringhenti, da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP).

Nem a pressa da ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi suficiente para encontrar com vida o indigente. Levado ao Instituto Médico Legal (IML), o corpo passou por exame toxicológico de praxe, que vai apurar se a vítima estava sob o efeito de álcool ou entorpecentes.

Sem dinheiro nem acompanhante, o homem poderia ser morador de rua, suspeita o delegado. Acostumado a atender este tipo de ocorrência, Bringhenti explica que o consumo de drogas e a disputa por espaço e por pertences costumam ser fatos motivadores de violência entre moradores de rua do Centro:

– Não se sabe a causa do crime. Apenas que o fato não é incomum e que, neste tipo de situação, eles são agredidos ou até mortos por motivos fúteis.

Postar um comentário