SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

INVESTIGAÇÃO DAS MORTES DE FILHO E PAI EM ESTEIO ESBARRA NO MEDO DE TESTEMUNHAS

ZERO HORA 14/10/2013 | 21h45

Investigação das mortes de filho e pai em Esteio esbarra no medo de testemunhas. Na noite de sexta, conforme a Polícia Civil, Valnei Borges, 55 anos, matou o filho de cinco anos


Objetos apreendidos pela Polícia Civil na residência da famíliaFoto: Divulgação / Polícia Civil

Eduardo Rosa

Uma série de perguntas sobre o assassinato de um menino de cinco anos, seguido de vingança, segue sem respostas para a Delegacia da Polícia Civil de Esteio. E o motivo seria o medo de falar que impera entre os moradores do beco onde ocorreram os crimes, no qual há pontos de tráfico de drogas.

No fim da noite de sexta-feira, conforme a Polícia Civil, Valnei Borges, 55 anos, matou o filho John Cristian de Oliveira Borges com um bloco de concreto. Depois, foi assassinado por vizinhos como forma de fazer justiça.

— Mataram ele como se fosse um julgamento — diz o delegado responsável pela investigação, Leonel Baldasso.

Inicialmente, havia sido divulgado que o pedreiro fora espancado com pedaços de pau. Uma informação obtida pelo delegado junto ao Departamento Médico Legal (DML), porém, aponta uso de uma arma de fogo, possivelmente calibre 12. Também não está descartada a utilização de uma pá, apreendida na residência da Avenida João Frainer, Beco 3.

A mulher de Borges e uma filha foram ouvidas pela polícia nesta segunda-feira, mas não deram detalhes da morte dele, assim como outros moradores do beco. A mulher, cujo nome não foi divulgado, teria pego o filho já morto no colo e saído gritando pela rua. Em seguida, dois homens teriam entrado na casa e matado Borges.

A causa do desentendimento que culminou com a morte de John Cristian, que dormia no quarto, intriga o delegado. O pedreiro seria apegado ao filho e não teria histórico de envolvimento com crime e uso de entorpecentes. A única ocorrência em que ele esteve envolvido era por desavença familiar — registrada pela própria mulher, que depois desistiu de dar sequência à denúncia.


15 de outubro de 2013 | N° 17584

BARBÁRIE EM ESTEIO. Medo de falar dificulta investigação


Uma série de perguntas sobre o assassinato de um menino de cinco anos, seguido de vingança, segue sem respostas para a Delegacia da Polícia Civil de Esteio.

E o motivo seria o medo de falar que impera entre os moradores do beco onde ocorreram os crimes, no qual há pontos de tráfico de drogas. No fim da noite de sexta-feira, conforme a Polícia Civil, Valnei Borges, 55 anos, matou o filho John Cristian de Oliveira Borges com um bloco de concreto. Depois, foi assassinado por vizinhos como forma de fazer justiça.

– Mataram ele como se fosse um julgamento – diz o delegado responsável pela investigação, Leonel Baldasso.

Conforme o Departamento Médico Legal (DML), Borges foi morto provavelmente com uma espingarda calibre 12.
Postar um comentário