SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

PIONEIRO EM ARMAS PESADAS E MENTOR DE ASSALTOS VIOLENTOS É FORAGIDO DO INSTITUTO ESCOLA



ZERO HORA 09 de outubro de 2013 | N° 17578

CARLOS WAGNER

POLÍCIA EM ALERTA

No rastro de mentor de assaltos violentos. Pioneiro no uso de armas pesadas e explosivos em roubos é monitorado


O nome do criminoso considerado mentor intelectual das grandes quadrilhas de assaltantes de bancos que aterrorizaram os gaúchos nas últimas duas décadas reapareceu nas escutas telefônicas feitas pela Polícia Civil. O foragido Igor Machado, 40 anos, está condenado até 2023 e fugiu em abril de 2009 do Instituto Penal Escola Profissionalizante (Ipep), em Charqueadas, na Região Carbonífera.

O reaparecimento do nome de Igor em conversas monitoradas pelos investigadores acendeu a luz de alerta entre os agentes da Delegacia de Roubos, um dos braços do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Segundo a polícia, ele foi um dos primeiros bandidos a usar arma de grosso calibre em assalto a banco. Foi em Nova Roma do Sul, na Serra, em 1991. Também está entre os pioneiros no uso de explosivos para abrir carros-fortes. Em 1993, ficou conhecido por assaltar o delegado Nelmo Bonnet, então diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM).

Em abril de 2004, foi preso por assalto a carro-forte em Antônio Prado. Na ocasião, um caminhão roubado foi jogado contra o blindado. Ele foi preso na fuga portando dois malotes do blindado e alguns milhares de reais em dinheiro.

Igor não só figura na lista dos mais procurados pela polícia, como também integra a seleta galeria dos “monitorados” – são bandidos que, devido ao seu currículo, sempre estão envolvidos em grandes ações.

– Ele é importante porque domina as técnicas do uso de armas pesadas e dos explosivos, tem os contatos que lhe indicam os alvos a serem atacados e possui uma rede de pessoas que lhe dá abrigo – explica o delegado Joel Wagner, titular da Roubos.

Criminoso estaria envolvido com o tráfico de drogas

O conhecimento e os contatos de Igor o cacifam dentro da atual estrutura das quadrilhas que atacam bancos, conforme Wagner. Esses bandos não têm um contingente fixo. Formados para atacar um único objetivo, são integrados na sua maioria por jovens, e muitos deles não têm passagem pela polícia, o que significa que não têm prática na vida criminosa. Dentro desse contexto, eles usam o conhecimento e os contatos de criminosos experientes, como Igor, para planejar suas ações, conclui o delegado Wagner.

Há muito o foragido adotou uma tática de viver em cidades do norte do Rio Grande do Sul, litoral de Santa Catarina e oeste do Paraná e São Paulo. Em 2010, um motorista de táxi de São Paulo relatou à Polícia Civil paulista que havia ficado dois dias transportando Igor e uma outra pessoa para as boates da cidade. Ele o reconheceu porque ficou sem pagar uma corrida, e, navegando na internet, viu a foto dele em uma reportagem do jornal Diário Gaúcho. As últimas informações que chegaram ao delegado Wagner dão conta que o criminoso estaria circulando pela cidade de Foz do Iguaçu, no oeste paranaense, na Tríplice Fronteira entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai.

A pista sobre o aparecimento dele em Foz faz sentido para os policiais. Na última vez que esteve preso, em Porto Alegre, em 2009, durante uma conversa com agentes do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), teria dito que estava envolvido com o tráfico de drogas. O Paraguai é o maior fornecedor de maconha para o Brasil e importante no abastecimento de outras drogas, como a cocaína vinda da Bolívia. É possível que Igor esteja diversificando a sua atividade no submundo do crime.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Como pode um criminoso deste potencial estar cumprindo pena no Instituto Penal Escola Profissionalizante (Ipep), uma porta aberta para fugas. É só no Brasil surreal, o país da impunidade.
Postar um comentário