SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 26 de outubro de 2013

POLÍCIA INTERCEPTA E FRUSTA SEQUESTRO PLANEJADO DA CADEIA

ZERO HORA 26 de outubro de 2013 | N° 17595

CAROLINA ROCHA

PEGOS PELA POLÍCIA. Da cadeia, bando planejou sequestro. Alvo era família de bancário de São Leopoldo, mas ação acabou frustrada


Escutas telefônicas acompanhadas pela Delegacia de Homicídios de Canoas revelaram o plano de um bando para sequestrar o gerente de uma agência bancária de São Leopoldo, no Vale do Sinos. Policiais do município realizaram, na manhã de ontem, operação para ouvir seis presos, suspeitos de terem tentado executar o sequestro. A ação foi planejada dentro de uma cadeia.

Entre os investigados, está o compadre do gerente, que teria dado à quadrilha informações privilegiadas sobre a rotina do bancário.

A tentativa de sequestro ocorreu em 16 de setembro. A intenção era render os sogros do gerente, na casa onde a família vivia, no bairro Scharlau, e, depois, render o bancário e a mulher, para que ele abrisse o cofre da agência, no centro da cidade. No entanto, ao perceber a chegada de estranhos, o idoso fechou o portão eletrônico, escapou pelos fundos e foi socorrido por vizinhos.

A ação foi orquestrada de dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc). É lá que está Jolair Lourenço Gomes Siqueira, 32 anos, um conhecido assaltante de bancos de São Leopoldo. Segundo a polícia, ele recebeu informações do cunhado, compadre do gerente. Jolair juntou-se ao colega de presídio Lauri Sávio Cunha, 31 anos, um dos mais violentos traficantes de Canoas, preso desde a Operação Cova Rasa, em 2009.

Em liberdade condicional, homem recrutou comparsas

Lauri repassou as informações para seu braço direito, Marcos Roberto Corrêa da Silva, 32 anos, que estava em liberdade condicional. Com ele, teria ficado a tarefa de recrutar dois homens para o sequestro. No dia seguinte à tentativa de invasão da casa do bairro Scharlau, Silva foi preso pela Delegacia de Homicídios de Canoas, que o investigava por um homicídio ocorrido em junho em Canoas. Foi nas escutas telefônicas da Delegacia de Homicídios de Canoas que as negociações para realizar o sequestro e o roubo surgiram. Os grampos telefônicos foram encaminhados para a 2ª DP de São Leopoldo, que iniciou as investigações.

Na quarta-feira passada, os agentes prenderam temporariamente o compadre do gerente. Ele foi localizado em Xangri-lá, no Litoral Norte. Na quarta e na quinta, também foram presos, em Canoas e Cachoeirinha, dois homens suspeitos de terem tentado render o sogro do gerente.

Na manhã de sexta-feira, os policiais foram até a Pasc, onde estão Lauri e Jolair, e a Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas, onde está Marco Roberto. Os três receberam voz de prisão, por conta de prisões temporárias decretadas pela Justiça. Um forte esquema de segurança foi montado na 2ª DP de São Leopoldo para que os seis presos fossem à cidade para prestar depoimentos e passar por exames de reconhecimento de vítimas e testemunhas.

Lauri já estava sendo investigado pela Delegacia de Roubos do Deic. Isso porque a mulher dele, Márcia Pordelo Amaral, 28 anos, foi presa recentemente em Eldorado do Sul com três homens. Eles planejavam um assalto a uma joalheria de Canoas. Márcia também tinha prisão decretada por envolvimento no roubo da joalheria Coliseu do Shopping Praia de Belas, em Porto Alegre, em janeiro.



Postar um comentário