SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

PRESENTE, EXPLOSÃO E MUTILAÇÕES


ZERO HORA 06 de novembro de 2013 | N° 17606


LARA ELY E VANESSA KANNENBERG


MISTÉRIO EM RIO PARDO. Secretária de médico perde visão do olho direito e dois dedos da mão ao ligar secador de cabelo recebido em consultório



A entrega de um “presente” que explodiria assim que usado pela primeira vez reúne moradores e a polícia de Rio Pardo em torno de um mistério: quem teria recheado um secador de cabelo com explosivos e o endereçado à namorada de um conhecido médico? Na tarde da última segunda-feira, um homem deixou o secador no consultório de Cláudio Augusto Rodembusch, médico cardiologista há mais de 30 anos. O aviso era para que o equipamento fosse entregue à namorada dele, a estudante de Enfermagem Jéssica Andres, 22 anos – que nunca recebeu o presente.

Osecador acabou nas mãos de Manuela Martins, 19 anos, secretária da clínica. Seu patrão, Rodembusch, estranhou o eletrodoméstico e pediu para que a jovem o testasse, já que era manicure e tinha experiência em salões de beleza. Ao ligar o equipamento na tomada, ocorreu a explosão. Ela perdeu a visão do olho direito, dois dedos de uma das mãos e teve escoriações pelo corpo.

O estouro ecoou pela redondeza. Moradores contam que o barulho pôde ser ouvido a cerca de 400 metros da clínica, localizada na rua principal da cidade. Quando bombeiros entraram no local, viram um secador despedaçado e vidraças quebradas. Até mesmo o ar-condicionado e as paredes foram danificadas. O primeiro a chegar à clínica foi o prefeito da cidade. Fernando Schwanke deixava a prefeitura, na mesma rua, quando ouviu o estouro.

– Colocamos ela num carro a levamos ao Pronto-Atendimento – conta Schwanke.

A jovem precisou ser encaminhada para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) da Capital. Zero Hora procurou Rodembusch, mas não o encontrou. A namorada, Jéssica, disse não ter motivos para acreditar que alguém lhe enviaria uma bomba. Na tarde de ontem, Manuela se recuperava de uma cirurgia. Ela sorriu e abanou para a mãe.

– A gente vai até o fim para achar o culpado – garante Noemi Marques Martins, mãe da jovem.

Delegado não descarta hipótese de atentado

Especialistas do Instituto-geral de Perícias (IGP) estiveram no consultório médico para analisar o local e coletar indícios.

Sem o resultado da perícia – que deve ficar pronto em até uma semana –, o delegado de Rio Pardo Anderson Faturi evita falar sobre linha de investigação.

– Claro que eu acho difícil que se trate de uma simples falha técnica, mas até que eu tenha a avaliação dos peritos fico só no achismo. E investigação é feita de provas – afirma Faturi.



Postar um comentário