SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

ADOLESCENTES EM CRIMES É COMUM


ZERO HORA 22 de janeiro de 2014 | N° 17681


EDUARDO ROSA E ROBERTO AZAMBUJA

Adolescentes em crimes é comum, diz delegado

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) não tem uma estatística que se refere apenas a assaltos a restaurantes – eles entram nos números de roubos. Em 2012, foram 16 mil casos e, no ano passado, mais de 14 mil na Capital. As ocorrências, no entanto, chamam a atenção em bairros como Cidade Baixa, Auxiliadora, Rio Branco e Boa Vista. Só na semana passada, outros dois restaurantes foram alvos dos ladrões.

– Geralmente, tem adolescentes envolvidos nesse tipo de assalto. É cíclico. Com o calor, tem mais gente na rua, em bares. As pessoas se juntam. E há esses crimes – explica o delegado Omar Abud, que responde pela 8ª Delegacia da Polícia Civil. – Por se tratar de um bairro com vários bares noturnos, a tendência é de que tenha um pouco mais de assaltos dessa natureza – acrescenta.

A Brigada Militar pretende traçar um perfil detalhado de adolescentes e crianças que começam a cometer crimes, principalmente à mão armada, com frequência.

– Isso não é novidade para nós. Estamos começando a desconfiar de um novo grupo. Pela descrição, são menores de 12, 13 anos, todos armados e que têm característica de ser muito hostis, violentos – diz o comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Eduardo Biacchi.

Somente em 2013, o 11º BPM apreendeu 150 crianças e adolescentes cometendo crimes como roubo a pedestres e de carros. Conforme a BM, são jovens que reúnem-se em grupos para assaltar, entre o meio e o final da noite, e entram no estabelecimento como se fossem clientes. A maioria estaria envolvida com o tráfico de drogas e seria movida a entorpecentes durante as ações, exemplifica Biacchi.

– (Eles) Andam em toda a cidade e podem se tornar tão ou mais perigosos do que adultos. Com uma arma na mão, encaram aquela situação como uma aventura, um game – explica o oficial.

Em trabalho conjunto com a Polícia Civil, a BM pretende identificar esses grupos e realizar ações preventivas nas ruas, para que os adolescentes infratores possam ser detidos antes de cometer os crimes.

Medidas para incrementar o trabalho do poder público são planejadas por empresários. O Sindicato da Hotelaria e Gastronomia de Porto Alegre (Sindpoa) deve formalizar uma proposta de doação de bicicletas ao governo do Estado para ajudar no policiamento de bares e restaurantes da Capital.


BARES NA MIRA

Na última segunda-feira, mais um estabelecimento foi alvo de criminosos, que roubaram clientes

A ocorrência de assaltos em bares e restaurantes de Porto Alegre tem preocupado proprietários, funcionários e clientes. No fim da noite de segunda-feira, mais um caso foi registrado na cidade: o alvo da vez foi um pub no bairro Auxiliadora.

Pouco antes da meia-noite, um grupo de cinco pessoas assaltou o The Weiss Pub, localizado na Rua Eudoro Berlink. Durante a ação, conforme o relato de vítimas, um carro preto estacionou nas proximidades do estabelecimento. Do veículo, teriam descido quatro adolescentes. Um quinto teria ficado no carro. Ontem, policiais identificaram um jovem que participou do roubo – o caso será encaminhado ao Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca).

Dois funcionários que conversaram com a reportagem contaram que, ao entrarem no local, os criminosos anunciaram o assalto e começaram a recolher celulares, carteiras e relógios dos poucos clientes que ainda estavam nas mesas. Também foi levado dinheiro do caixa.

– Estávamos indo embora quando eles chegaram com armas e começaram o assalto. Eram guris de 13, 14 anos – relatou o engenheiro Ricardo Driemeyer, que estava com um amigo no momento da investida.

Esforço para evitar crimes contra os frequentadores

O proprietário, Gerson De La Corte, viajava no momento do crime. Ele preferiu não comentar o caso, mas afirmou que, daqui para frente, terá de aumentar os cuidados.

– A partir de hoje (ontem), tivemos que reforçar a segurança. O bar tem segurança, mas os bandidos estavam armados – disse De La Corte.

O chef Alexandre Favero teve seu restaurante, na Rua Felipe Neri, também no bairro Auxiliadora, atacado em dezembro de 2012. Ele vê na união de esforços a melhor maneira para a prevenção. Depois do roubo, foi criada uma associação na via, que intensificou o contato com a Brigada Militar.

– Noto que, no último ano, baixou bastante o índice de marginais na região. Mas tenho dois seguranças, sistema de câmeras e monitoramento compartilhado com outros estabelecimentos – relata Favero.


Postar um comentário