SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

CORPOS ENCONTRADOS EM VEÍCULO INCENDIADO


ZERO HORA 14 de janeiro de 2014 | N° 17673

MISTÉRIO EM GRAVATAÍ

Até ontem à noite, a Polícia Civil não tinha a identificação das duas vítimas



Agentes da 1ª Delegacia da Polícia Civil de Gravataí tentam desvendar, desde a noite de domingo, um mistério envolvendo dois corpos carbonizados dentro de um Astra com placas de Ribeirão Preto (SP). A primeira pista foi justamente a placa do veículo.

Estacionado na Rua Doutor Barros Cassal, no bairro Neópolis, em Gravataí, o carro foi encontrado em chamas por volta das 23h de domingo. Pela numeração, os policiais descobriram que o veículo havia sido vendido para um morador de Cachoeirinha e revendido logo depois. Foi assim que eles chegaram à possível identificação de uma das vítimas, que teria comprado o carro.

Ocorrência registrada em DP é pista para investigadores

Ontem pela manhã, uma nova informação ajudou na investigação. Uma mulher procurou a polícia para comunicar o desaparecimento do seu companheiro, ocorrido na noite de sábado. Ele teria saído com o Astra e deixado o celular cair no chão da garagem. Desde então, o homem não havia mais voltado para casa, nem entrado em contato com a família. O homem seria o mesmo que eles suspeitavam ser a vítima, pois a mulher identificou o Astra queimado como sendo dele. Enquanto não houver indícios mais concretos sobre o caso, a polícia não divulgará o nome do desaparecido.

A família tentou fazer o reconhecimento do corpo, mas devido ao estado do cadáver, isso não foi possível.

– Só será possível com o exame de DNA – explicou o chefe de investigações da 1ª Delegacia da Polícia Civil de Gravataí, Jair Gonçalves.

Enquanto isso, os policiais responsáveis pelo caso buscam pistas que possam ajudar a identificar a outra vítima, também encontrada morta e carbonizada no carro. A suspeita dos investigadores é de que o cadáver também seja de um homem.
Postar um comentário