SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 4 de janeiro de 2014

TROCA DE TIROS ENTRE BM E BANDIDOS. UM MORTO E TRÊS FERIDOS

ZERO HORA ONLINE 04/01/2014 | 09h56

PIONEIRO.COM

Troca de tiros no bairro Pio X, em Caxias do Sul, deixa um morto. Três pessoas ficaram feridas, entre elas, duas que participaram de roubo de carro em Vila Oliva


Troca de tiros ocorreu no cruzamento da Avenida Rossetti com a Rua Moreira CésarFoto: Diogo Sallaberry / Agência RBS


Um pessoa morreu e outras três ficaram feridas por volta das 20h30min desta sexta-feira no cruzamento da Avenida Rossetti com a Rua Moreira César, no bairro Pio X, em Caxias do Sul.

A vítima fatal e outro dois suspeitos baleados teriam praticado um assalto no distrito de Vila Oliva e fugido em um Gol roubado pela Rota do Sol (RSC-453). Uma viatura da Brigada Militar, que patrulhava a rodovia, avistou o veículo e passou então a perseguir o carro e os assaltantes pela estrada. Um Clio com placas de Farroupilha também estaria acompanhando o bando.

Já na área urbana da cidade, os assaltantes teriam entrado na Avenida Rossetti na contramão e colidido o Gol contra um Celta, que trafegava na Rossetti naquele instante. Logo após o acidente, o trio teria saído do carro atirando contra os policiais, que revidaram.

Segundo a Brigada Militar, Alan Robson Lora, 20 anos, e Gregori Kevin Silva Martins, 22, estavam no carro roubado e foram baleados, sendo socorridos pelo Samu. A terceira pessoa que estaria com eles também foi atingida e morreu no local. Não há confirmação da identidade.

A outra pessoa ferida seria motorista do Celta atingido pelos suspeitos do assalto. A vítima também foi socorrida pelo Samu.


ZERO HORA 04/01/2014 | 16h43

'As pessoas que entram em confronto com a BM têm se dado mal', afirma comandante do 12º BPM de Caxias do Sul. Major Lúcio Henrique de Castilhos Alencastro classificou ocorrêcia como exitosa, apesar da morte de jovem


Troca de tiros ocorreu no cruzamento da Avenida Rossetti com a Rua Moreira CésarFoto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS


Apesar do tiroteio e da morte de um suspeito, o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM), major Lúcio Henrique de Castilhos Alencastro, classificou como exitosa a prisão de dois jovens que teriam assaltado uma casa em Vila Oliva, no interior de Caxias. Os policiais também recuperaram o material roubado, entre eles uma espingarda calibre 36.

Taioman Eliseu Lins Rosa, 20 anos, levou disparos na cabeça e no tórax e morreu antes de receber socorro. Alan Robson Livinali Lora, 20, e Gregori Kevin da Silva Martins, 22, também ocupantes do Clio supostamente usado no assalto foram baleados e estão internados com quadro estável.

— A ocorrência foi positiva, ontem mesmo liguei para dar os parabéns aos policiais. Infelizmente houve a morte desse rapaz, mas nossa missão não é tirar a vida de ninguém. Desde o ano passado, as pessoas que entram em confronto com a BM têm se dado mal. Isso mostra que nosso policial está melhor preparado e mais técnico — afirmou Alencastro, que ressaltou o fato de nenhum policial ter se ferido.

O caso passará agora por investigação interna no Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO/Serra) e tem prazo de conclusão de 60 dias. O procedimento é comum em casos de ferimentos ou morte em confronto.

— As armas foram recolhidas e será aberto um inquérito policial militar. Em toda ocorrência onde há lesão corporal e homicídio ele é aberto. Essa pessoa que morreu tem familiares que querem saber o que de fato ocorreu — explica o major.


Postar um comentário