SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

BANDIDOS MATAM DOIS COMERCIANTES NO RS

ZERO HORA 15 de fevereiro de 2014 | N° 17705

CAROLINA ROCHA


LATROCÍNIOS NO RS. Ladrões matam dois comerciantes


Em pouco menos de sete horas, dois comerciantes foram assassinados ontem por bandidos no Rio Grande do Sul.

No primeiro caso, passava da meia-noite em Bento Gonçalves, na Serra, quando Reginaldo José Gobatto, 36 anos, teria reagido à ação de ladrões e foi alvejado na cabeça após tentar interceptar os bandidos. Perto das 7h, no bairro Rubem Berta, na zona norte de Porto Alegre, Albino Lauthert da Silva, 59 anos, foi morto a tiros quando abria o seu mercado.


Veja como foram os dois latrocínios.



Albino foi atacado ao abrir mercado


O comerciante Albino Lauthert da Silva, 59 anos, havia chegado para trabalhar pouco antes das 7h de ontem quando a rotina de trabalho foi brutalmente interrompida por tiros.

Dois homens e uma mulher invadiram o minimercado de Silva, no bairro Ruber Berta, atiraram contra ele e fugiram. Mesmo socorrido, a vítima não resistiu aos ferimentos. Logo depois, um dos bandidos foi encontrado morto próximo do minimercado. O caso ainda é um mistério para a Polícia Civil.

Foi um pouco antes de chegar para trabalhar que Silva foi atacado. Ele colocou o carro na garagem do condomínio que fica na esquina das avenidas Baltazar de Oliveira Garcia e Principal e entrou no Minimercado 57 por uma porta lateral. Um conhecido, funcionário de uma loja próxima, estava com ele para ajudar a abrir as portas do estabelecimento. Não houve tempo para que os dois chegassem até as cortinas de grade. Por uma porta de ferro que dá acesso ao condomínio, o trio invadiu o local. Pela descrição feita pela testemunha, eram dois homens negros e uma mulher branca. Sem anunciar assalto, eles apenas gritavam para que as vítimas deitassem no chão. De cabeça baixa, a testemunha viu apenas que eles se dirigiram ao caixa e, depois, ouviu o som dos disparos.

O Samu foi chamado e prestou socorro ao comerciante, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu antes de a ambulância chegar ao hospital.

– Pelo relato (de testemunhas), não houve anúncio do roubo. Pelo que parece, nada foi levado do mercado. Havia cerca de R$ 1 mil no estabelecimento – detalha o titular da 3ª DHPP, João Paulo de Abreu.

Albino já havia sofrido um assalto havia 10 anos. Baleado no pescoço, ele teria ficado com sequelas para caminhar e nos movimentos de uma das mãos.

Logo que a Polícia Civil foi avisada do que havia ocorrido no minimercado, outra informação chegou aos agentes. A cerca de 100 metros do minimercado, na mesma calçada do condomínio, havia o corpo de um homem ao lado de uma parada de ônibus, morto com dois tiros.

Segundo uma testemunha do tiroteio no mercado, o homem é um dos que havia invadido o minimercado. Baleado no rosto e na barriga, ele foi identificado como Wilson Luis Rosa Cruz, 28 anos, e seria morador das proximidades. Junto ao corpo, havia um revólver calibre 38, quatro cartuchos deflagrados e um intacto.

– A quantidade de disparos confere com a de ferimentos na vítima. Mas como a testemunha não viu a cena, não sabemos ainda a dinâmica dos fatos – explicou o delegado João Paulo, titular da 3ª DHPP.

Sem marcas de sangue no trajeto entre o mercado e a parada de ônibus, os policiais não sabiam se o homem havia saído ferido do local ou se foi atingido do lado de fora do estabelecimento. E dentro do minimercado foi encontrado, no caixa, munição 38. Até ontem, os agentes tentavam descobrir se o revólver era de Albino ou do assaltante.


Reação fatal para Gobatto


Um roubo terminou de forma trágica no início da madrugada de ontem em uma lancheria de Bento Gonçalves, na Serra. Após ter o estabelecimento invadido por um trio armado, o comerciante Reginaldo José Gobatto, 36 anos, seguiu os criminosos e foi morto ao tentar interceptá-los de carro. Pouco depois da meia-noite, os bandidos anunciaram o assalto na Regi Lanches, no bairro São Francisco.

Conforme o Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO/Serra), segundos após o trio deixar o estabelecimento em um Gol com dinheiro, celulares e um notebook, o comerciante teria seguido eles em um Focus. Duas depois, na Rua da Ladeira, Gobatto teria tentado parar o carro dos bandidos e acabou baleado na cabeça. O comerciante chegou a ser encaminhado com vida ao hospital, mas não resistiu.

– A reação foi um erro fatal. O objetivo do ladrão é sempre o bem material. Para evitarmos o agravamento da ocorrência, sempre orientamos as pessoas a nunca reagir – alerta Álvaro Becker, titular do 2º Distrito Policial

Dois bandidos foram presos após perseguição, e um fugiu

Os vizinhos comentam que Gobatto era conhecido no bairro.

– Apesar de morar longe da família, ele sempre procurava se fazer presente. Combinávamos almoços e ele gostava muito de receber visitas. Os bailes e festas eram os principais programas dele – comenta a prima do comerciante, Daniela Gobatto, 32 anos.

A BM foi acionada por vizinhos de Gobatto. O carro com os suspeitos foi localizado por PMs no bairro Botafogo. Houve perseguição. O motorista do Gol perdeu o controle do carro e bateu em uma placa de sinalização. O trio abandonou o veículo e tentou fugir a pé. Dois foram capturados.

Com a dupla, a polícia apreendeu uma pistola calibre 380 e o material roubado. Eles foram encaminhados ao Presídio Estadual de Bento Gonçalves. Os assaltantes foram identificados como Ismael Guedes, 37 anos, e Claudinei Gobbi, 31 anos.



PROTEJA-SE - A principal orientação da polícia é não reagir às investidas de criminosos

- Evite fazer gestos bruscos que possam ser confundidos como reação da sua parte;

- Mantenha a calma e tranquilize quem estiver com você;

- Não reaja;

- Quando possível, telefone para o 190 e procure a delegacia mais próxima para registrar a ocorrência.
Postar um comentário