SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

CARROS ROUBADOS NO RS, LEVADOS PARA SC


ZERO HORA 07 de fevereiro de 2014 | N° 17697

SCHIRLEI ALVES


VEÍCULOS NOVOS. Roubados no RS, levados para SC

Polícia Militar apreendeu 16 automóveis, a maioria de alto padrão, que foram guiados do Estado para município catarinense


A suspeita de que um desmanche de veículos de alto padrão funcionava em um galpão em um bairro da zona norte de Joinville se confirmou na manhã de ontem. Quatro suspeitos foram presos em flagrante, e 16 carros, apreendidos – nove deles com placas de cidades do Rio Grande do Sul. Se fossem comprados novos, o valor dos veículos giraria em torno de R$ 1,9 milhão, considerando a Tabela Fipe.

De acordo com o tenente Eduardo Steil, todos os carros foram roubados em Porto Alegre. Os crimes são recentes, e os carros, praticamente zerados. Uma BMW 528i, por exemplo, estava com 2 mil quilômetros rodados. Boa parte dos veículos foi fabricada em 2013 e 2014.

O sócio da suposta autopeças, que seria um dos cabeças do esquema, revelou que os carros roubados já vinham do Rio Grande do Sul com as placas adulteradas e que todos eles seriam desmanchados. As placas falsas são de sete cidades diferentes: Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul, Campo Bom, Estância Velha, Guaporé e Santa Maria.

O serviço de inteligência do 8º Batalhão da Polícia Militar (PM) trabalhou dois dias em cima do caso, desde que recebeu a informação sobre um carro roubado. Ao monitorar o veículo, os policiais acabaram chegando aos demais.

O desmanche era mantido em um galpão aparentemente sem levantar suspeita. Situado na Rua Iguaçu, bairro Santo Antônio, o local tinha boa aparência e parecia uma microempresa. Dentro do galpão, os suspeitos improvisaram uma estrutura de madeira que permitia esconder os carros roubados.

Vizinhos não suspeitavam de local usado para desmanche

Dois carros, uma Duster e um Gol, já estavam sendo desmontados em uma sala nos fundos do depósito quando a polícia fez a abordagem. Os veículos Santa Fé, BMW X1, BMW 528i, Hilux SW4, Idea, Mitsubishi ASX, Jetta, Hyundai i30, Kombi e duas caminhonetes S10 de cabine dupla estavam com as placas clonadas.

Um Golf com placas de Joinville, que aparentemente não tem registro de roubo, também foi apreendido, porque a polícia encontrou peças roubadas no porta-malas do veículo. Dois suspeitos foram presos em flagrante no galpão, ainda pela manhã. Um deles se identificou como pedreiro do local. O outro disse que teria sido contratado para cuidar do galpão, que não despertava suspeita de vizinhos. Ele estaria recebendo R$ 300 por semana.

No meio da tarde, a Polícia Militar apreendeu mais dois veículos – um Peugeot 207 e um Focus que também estava com a placa adulterada – e prendeu outros dois suspeitos. Um deles, segundo a PM, é sócio de uma autopeças na Rua Florianópolis. O outro se identificou como funcionário da loja. O sócio confessou que comprava os carros roubados por valores que variam entre R$ 4 mil e R$ 5 mil.



Postar um comentário