SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

POSSÍVEL INCÊNDIO CRIMINOSO MATA TRÊS PESSOAS

ZERO HORA 12 de fevereiro de 2014 | N° 17702


INCÊNDIO EM CAXIAS. Identidade de vítimas é divulgada pela polícia


A Polícia Civil confirmou as identidades das três vítimas que morreram carbonizadas no incêndio de uma pensão próxima à Estação Rodoviária de Caxias do Sul, em 3 de dezembro do ano passado. Elas são Mauro Kuhn Casara, 68 anos, Angelin dos Santos Alves, 46, e Ademir Rodrigues, ainda sem idade confirmada.

No dia do incêndio, testemunhas já suspeitavam de que os mortos fossem esses três homens. O resultado só foi possível por meio de exames de DNA, que comparam o material genético de pessoas que procuravam familiares entre as vítimas.

O delegado de Homicídios e Desaparecidos de Caxias, Rodrigo Kegler Duarte, prevê a conclusão do inquérito para a próxima semana.

O suspeito do crime, João Carlos Monteiro de Souza, 24 anos, foi preso em flagrante no mesmo dia do incêndio, quando comprava cigarros na Rodoviária, a poucos metros de onde ficava o imóvel, que também abrigava uma moradia e dois bares. Tudo acabou destruído pelo fogo. Souza foi localizado por PMs com auxílio de populares e acabou reconhecido formalmente por testemunhas na delegacia.

Autor do incêndio deve ser indiciado por triplo homicídio

Souza era antigo morador da pensão. Segundo as testemunhas, ele estava revoltado por ter sido proibido de passar a noite na hospedaria depois de desavenças com hóspedes. Ele teria pulado o portão do corredor de acesso à pensão, dirigindo-se até o quarto de um homem responsável por cuidar da hospedaria e jogado gasolina em um colchão, além de espalhar o combustível ao redor do aposento.

A hipótese de que o autor do incêndio estava acompanhado ainda não foi confirmada. Conforme o delegado, Souza deve responder por triplo homicídio qualificado, devido ao meio cruel empregado nas mortes e impossibilidade de defesa das vítimas. Souza continuava recolhido até a tarde de ontem na Penitenciária Regional de Caxias do Sul, na localidade do Apanhador.
Postar um comentário