SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

VIOLÊNCIA EM PAROBÉ

ZERO HORA 21 de fevereiro de 2014 | N° 17711


Mulher fica quatro horas em poder de assaltante




Uma mulher foi mantida refém dentro de um carro no centro de Parobé, no Vale do Paranhana, durante quatro horas. Dois homens tentaram assaltar uma joalheria, mas foram interceptados e trocaram tiros com a polícia.

Ao tentar fugir, um deles, adolescente (ele completa 18 anos hoje), foi apreendido em uma moto com placas clonadas. O outro, identificado como Danilo Rodrigues de Azevedo, 32 anos, atacou Luana Souza, 20 anos, que saía do trabalho naquele momento. O bandido colocou a jovem por sobre o ombro e, de porte de duas pistolas, abordou um Kadett, onde estava uma família com quatro pessoas. Os passageiros do carro foram liberados, e o assaltante entrou no veículo com a refém.

A abordagem ocorreu ontem por volta das 17h30min, na Rua Odorico Mosmann, na esquina com a João Mosmann. A Brigada Militar, a Polícia Civil, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e o Batalhão de Operações Especiais (BOE) de Porto Alegre participaram das negociações. Quatro homens fizeram tratativas e, às 21h20min, cerca de quatro horas depois, Luana foi liberada.

A jovem foi levada para a Delegacia de Pronto Atendimento de Taquara para prestar depoimento, assim como Azevedo, que tinha antecedentes criminais, segundo a polícia.

De acordo com o major Alessandro Prestes, do BOE, ele não fez ameaças à jovem. Luana reagiu bem ao tempo que passou na mira da arma. Centenas de moradores do município cercaram a área onde ocorreu a ação.
Postar um comentário