SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

segunda-feira, 10 de março de 2014

MORTO AO TENTAR FUGIR COM VIATURA


ZERO HORA 10 de março de 2014 | N° 17728

MICHELI AGUIAR | SÃO LEOPOLDO

ROUBO COM REFÉNS. Surpreendidos por PMs na saída de restaurante que haviam assaltado em São Leopoldo, ladrões se refugiaram em carro oficial



Dois homens fizeram funcionários e clientes reféns em um restaurante em São Leopoldo e trocaram tiros com a Brigada Militar. Um dos bandidos acabou morto ao se refugir em uma viatura da BM. A ação criminosa se deu por volta das 14h de ontem, quando dois assaltantes renderam o motoboy do Galeto & CIA, na Rua Osvaldo Aranha, no centro do município, e anunciaram o assalto.

No momento da ação, apenas dois clientes almoçavam no estabelecimento, que tem como atividade principal a telentrega. Os 12 funcionários trabalhavam na cozinha e na churrasqueira.

Conforme uma das funcionárias, grávida de cinco meses, os bandidos Ederson Rutkoski de Oliveira, 30 anos, e Eliseu Pompeu Gomes, 26 anos – acusado da morte do ex-secretário de Saúde de Porto Alegre e ex-vice-prefeito da Capital Eliseu Santos, em 2010 –, estavam tranquilos e não agrediram ninguém. Sem violência, os assaltantes levaram os dois clientes com os funcionários para os fundos do restaurante. Com a dupla, ficou refém o proprietário, Flávio Schmem, e um cliente. Um dos funcionários conseguiu acionar a polícia, que chegou em menos de 10 minutos, tempo que durou o assalto. Quando os bandidos saíam do estabelecimento, avistaram a viatura da BM na rua – neste momento, soltaram os reféns. A mulher do dono da galeteria, Ana Schmem, conta que ao ver o marido com uma arma apontada para a cabeça se desesperou.

– Passa um filme pela cabeça. Não sabia o que fazer – lembra.

Os assaltantes foram surpreendidos por dois PMs, que estavam escondidos atrás de um veículo estacionado na rua. Ao verem reféns soltos, os policiais começaram a tirar contra a dupla, que estava armada. Foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma pistola 9 milímetros. Em meio ao tiroteio, Ederson tentou usar a viatura da BM para fugir, mas acabou baleado com três tiros no tórax e morreu dentro do carro. Pelo menos 10 disparos atingiram a viatura. Já Eliseu, teria saído correndo em direção à rua lateral do restaurante, mas caiu após ser ferido com dois tiros nas costas e um no braço direito. Ele passou por uma cirurgia, e não corre risco de vida. Eliseu está internado sob custódia policial no Hospital Centenário de São Leopoldo.

– Não foi um assalto casual a restaurante. Eles vieram planejados para assaltar, tinham veiculo de apoio, armamento pesado. O indivíduo que morreu tinha uma pistola nove milímetros engatilhada. A guarnição reagiu no momento correto – afirma o tenente-coronel Carlos Armindo Thomé Marques, que responde pelo CRPO do Vale do Sinos.

Assim que receber alta, Eliseu será encaminhado ao presídio

Ainda segundo a polícia, os bandidos eram experientes em assaltos, por isso, não foram violentos – Ederson cumpria pena em regime semiaberto no presídio de Taquara desde 2013 e respondia por homicídio. Eliseu mantém relações com uma quadrilha especializada em roubo de carros.

– Quando eles perceberam que o comparsa, que estava com o veículo i30 para a fuga, não estava mais ali, eles partiram para o ‘Deus nos acuda’ – conta o tenente-coronel José Nilo Alves, do 25° BPM.

Conforme o delegado plantonista Tarcísio Lobato Kaltbach, o caso será investigado como tentativa de homicídio contra os dois PMs e roubo. Assim que receber alta, Eliseu Pompeu Gomes será encaminhado ao Presídio Central.


“Foi pior que cena de cinema”, diz testemunha


A troca de tiros entre a polícia e os assaltantes foi presenciada pelo filho de três anos da operadora de telemarketing Fernanda Rieth, 25 anos. Vizinha do restaurante, a criança olhava pela janela a movimentação da rua quando foi surpreendida pelo barulho das armas. Assustado, o pequeno saiu correndo gritando e pedindo socorro para a mãe.

– Foi pior do que cena de cinema. Nunca tinha visto algo assim – afirma a jovem, vizinha do restaurante.

A cena também foi vista por quem estava na Praça 20 de Setembro, que fica em frente ao estabelecimento e que aos domingos lota de frequentadores. A caixa de supermercado Joana de Paula entrava na Biblioteca Vianna Moog, que fica junto à praça, quando ouviu os tiros.

– A minha reação foi me abaixar e entrar rápido na biblioteca.

Apesar do susto e dos mais de 30 tiros disparados entre a dupla e a polícia, ninguém saiu ferido.


Preso por crime ontem estava solto desde 2011

Eliseu Pompeu Gomes é acusado da morte do ex-secretário da Saúde de Porto Alegre Eliseu Santos e estava solto há quase três anos, em relação a este crime. Aguardava em liberdade o julgamento, em júri popular, ainda sem data marcada. Gomes é acusado pelo Ministério Público de atacar o ex-secretário em 26 de fevereiro de 2010. À época, Gomes acabou ferido na troca de tiros com a vítima.

Preso em Canela, na Serra, em 4 de março de 2010, depois de sua prisão temporária ter sido decretada pela Justiça, Gomes foi enviado ao Presídio Central de Porto Alegre. O suspeito se entregou depois de ter sido confirmado que era dele o sangue coletado no local do crime, onde ele foi baleado na coxa e no pé esquerdo por Eliseu Santos, que reagiu à abordagem.

No entanto, Gomes foi solto em abril de 2011, junto a uma leva de libertações de suspeitos de envolvimento nas mortes de Eliseu Santos.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Nada mais é do que mais retrato da insegurança e da impunidade que assola o Brasil,  um país onde a bandidagem anda livre, leve e solta pela vontade dos legisladores, descaso dos administradores e conivência da justiça atacam tudo e a todos...

Postar um comentário