SEGURANÇA PÚBLICA - CONCEITO E OBJETIVO

No Sistema de Justiça Criminal, cada poder tem funções que interagem, complementam e dão continuidade ao esforço do outro na preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. A eficácia do sistema depende da harmonia e comprometimento dos Poderes de Estado em garantir a paz social. O Sistema de Justiça Criminal envolve leis claras e objetivas, prevenção de delitos, contenção, investigação, perícia, denuncia, defesa, processo legal, julgamento, sentença e a execução penal com objetivos e prioridades de reeducação, reintegração social e ressocialização do autor de ilicitudes. A finalidade do Sistema é garantir o direito da população à Justiça e à Segurança Pública, a celeridade dos processos e a supremacia do interesse público em que a justiça, a vida, a saúde, o patrimônio e o bem-estar das pessoas e comunidades são prioridades.

quarta-feira, 12 de março de 2014

PERSEGUIÇÃO E TIROTEIO À LUZ DO DIA


ZERO HORA 12 de março de 2014 | N° 17730


EDUARDO TORRES


VIOLÊNCIA EM CANOAS - Perseguição e tiroteio à luz do dia

Criminosos que usavam réplica de pistola e arma de pressão foram rendidos após perseguição da BM



Em pleno começo de tarde, um posto de combustíveis no centro de Canoas virou palco de tiroteio em perseguição da Brigada Militar a assaltantes. Um bandido acabou morto e outros dois presos. De acordo com testemunhas, mais de 10 tiros foram dados dentro do estabelecimento na Avenida Getúlio Vargas. O detalhe, que foi descoberto somente após o fim da ofensiva policial, é que o trio portava uma réplica de uma pistola e uma arma de pressão.

Segundo um dos funcionários do posto, um dos disparos atravessou o vidro da loja de conveniências, atingiu um dos refrigeradores, e por detalhe, o tiro não acertou um dos clientes, que tomava café em uma das mesas.

– A bala passou a uns centímetros da cabeça dele. Estávamos em uns quatro aqui dentro e nos jogamos no chão, esperando passar aquilo tudo. Nem sei para onde aquele cliente fugiu. Só sei que saiu correndo daqui, em pânico – lembra um dos funcionários.

Por volta das 14h30min, o posto foi o ponto final de uma perseguição da Brigada Militar a três homens que assaltaram a loja Pompeia, no centro de São Leopoldo, na Região Metropolitana.

O homem que morreu baleado pelos PMs foi identificado como Rogério de Ávila Lopes, 30 anos. Ele estava no banco de trás de um Monza verde, que foi crivado de tiros por dois PMs de Canoas. Ademir Madruga de Oliveira, 44 anos, ficou ferido do lado de fora do carro e foi encaminhado ao HPS de Canoas. Já Adriano Salgado, 40 anos, que dirigia o Monza, não foi atingido e se entregou à polícia.

Após a perseguição na BR-116, os bandidos entraram no posto com a viatura logo atrás. Junto às bombas de gasolina, Oliveira teria saltado do carro e, com a mão na suposta arma, teria corrido em direção aos frentistas, que fugiram. Foi o primeiro baleado. Lopes foi atingido quando saía do carro com a réplica de uma arma na mão.

– Nós atiramos quando eles fizeram menção de sacar a arma e tomar os frentistas como reféns – conta um soldado de 26 anos, que pediu para não ser identificado.

– Na hora do pavor, a gente só pensou em se salvar – complementa uma funcionária.

Arma de brinquedo não muda a penalidade, afirma delegado

A dupla foi autuada em flagrante por roubo qualificado. Luiz Francisco Pires, o delegado plantonista da DPPA de Canoas, explica que o fato de o armamento ser falso não desqualifica o fato.

– Essas armas foram suficientes para provocar o constrangimento das vítimas do roubo. O simples fato de fazerem menção de sacar as armas justifica a legítima defesa dos PMs – garante o policial.


Trio roubou R$ 6 mil em São Leopoldo



O trio chegou à loja Pompeia, por volta das 14h, passando-se por clientes. Quando o gerente, de 53 anos, chegou ao local, um deles o ameaçou com um revólver e o obrigou a limpar os caixas. O trio saiu rapidamente da loja, no centro de São Leopoldo, levando uma sacola com mais de R$ 6 mil. Uma testemunha teria identificado o Monza verde, com placas de Canoas.

O alerta à Brigada Militar foi imediato. Como os bandidos fugiram em direção à BR-116, os batalhões de Sapucaia do Sul, Esteio e Canoas ficaram de prontidão.

Uma viatura de Sapucaia perseguiu o Monza. Encurralados, os bandidos teriam desviado o caminho para a BR-386, mas retornaram em direção ao centro de Canoas. Ali, a viatura de Sapucaia apresentou problemas mecânicos. A perseguição terminou no posto, com dois PMs de Canoas.

– Reagi porque ele iria pegar um funcionário do posto. Só atirei porque vi que não atingiria nenhum inocente – diz o soldado da BM.

Rogério de Ávila Lopes é o quarto assaltante morto em em confronto com policiais desde sexta.


Funcionário do posto de combustíveis de canoas - ‘‘A bala passou a uns centímetros da cabeça dele. Nem sei para onde aquele cliente fugiu. Nos jogamos no chão. Só sei que saiu correndo daqui, em pânico".

Luiz Francisco Pires, delegado plantonista de Canoas - ‘‘Essas armas foram suficientes para provocar o constrangimento das vítimas do roubo. O simples fato de fazerem menção de sacar as armas justifica a legítima defesa dos PMs."

Postar um comentário